Em entrevista ao iG, dupla debate sobre o mercado, fala sobre sua entrada na produção de videoclipes e conta qual presente mais inusitado que já ganhou nos 22 anos de carreira

Victor e Leo no estúdio do iG
Reprodução
Victor e Leo no estúdio do iG


Victor e Leo estiveram nos estúdios do iG  esta semana para uma entrevista exclusiva sobre música, relação com as fãs, preconceito com o sertanejo e a intenção de investir cada vez mais em videoclipes. 

Com as duas primeiras apostas no ramo, já alcançaram mais de 20 milhões de visualizações em “Na Linha do Tempo”, em sete meses, e quase 2 milhões em “O tempo não apaga” , em três semanas no ar. “Talvez a gente tenha se empolgado com o lance de videoclipe, sim”, contou Leo, que planeja fazer outros trabalhos nesse sentido. Inclusive, afirmou que gostaria de atuar.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias nos famosos

A dupla também falou sobre comentários de que Manoel Carlos  teria se recusado a inserir música sertaneja na trilha de “Em Família”. “De repente o diretor artístico ou musical achou que não caberia música sertaneja”, comentou Leo, que acredita não haver preconceito ao ritmo. “Não sei se ainda existe preconceito com a música sertaneja, mas que falta conceito, falta”, apontou Victor.

Victor e Leo também falaram sobre as duplas que costumam ter o trabalho dos irmãos como referência. “Se alguém se inspira no trabalho da gente, ótimo. O que será feito com isso é problema de cada artista e não nos cabe julgar”, comentou Victor, quando questionado se se sente bem representado.

Pergunta de fãs

Os cantores também reservaram um momento para responder perguntas de fãs. A primeira delas era para saber se os irmãos brigam muito e por quais motivos. “Já brigamos aqui no ar”, brincou Leo. “A gente tem discussões porque somos duas cabeças pensantes muito distintas. E isso, óbvio, tem um lado bom e um lado trabalhoso. Existe um estresse, uma superconvivência, que às vezes desgasta e há discussões inerentes. (...) Mas nos amamos”, pontuou Victor.

Na pergunta seguinte, eles responderam sobre o presente mais inusitado que teriam ganhado de alguma fã. Sem se recordar qual seria, Leo citou alguns mimos que recebe e usa com frequência. “Muita roupa de esportes e acessórios”. Victor comentou que “usa” todos os chocolates que ganha e contou que a dupla tem um espaço, em Uberlândia, reservado para guardar os trabalhos artísticos que recebem, além das dezenas de sapos de pelúcia. Leo, então, lembra que já ganhou uma égua de presente.

Em uma pergunta enviada diretamente para Victor, uma fã questionou se, agora que está solteiro, ele pegaria alguma delas. “Que pergunta boa”, disparou Victor, rindo, antes de responder. “Eu não pego ninguém, em primeiro lugar. Essa coisa de pegar... Não enxergo as pessoas como fãs. Para eu considerar alguém como fã, preciso aceitar a ideia de que eu seja um ídolo. E eu não aceito essa ideia. (...) Independentemente de ser fã do meu trabalho ou não, conhecer gente é sempre bom e eu não tenho essa neura”.

Confira o vídeo com a entrevista completa com Victor e Leo:




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.