A atriz conta sobre a malvada Cachirula do longa infantil, fala de mais uma parceria com Gianecchini no remake “Guerra dos Sexos” e diz que não há diferença entre cena de sexo com homem ou mulher

Depois de viver na TV a vilã Clara, na novela “Passione” (2010), Mariana Ximenes estará nas telonas dos cinemas como a temida Cachirula, em “31 Minutos”. “Ela é completamente diferente das vilãs que eu já fiz porque é engraçada e foi divertido dublar para um filme infantil de ação”, disse a atriz, que dá voz a uma malvada colecionadora de animais em extinção no primeiro longa feito com bonecos de fantoches no Brasil.

Siga o iG Gente no Twitter e receba notícias dos famosos em tempo real

O filme, que conta a história sobre a importância da amizade e o valor da liberdade, ainda traz no elenco as vozes de Daniel de Oliveira , que interpreta Juanín, e Márcio Garcia , o Túlio. O longa infantil de Álvaro Diaz e Pedro Peirano, uma coprodução entre Brasil, Chile e Espanha, e estará nos cinemas de todo o País em 03 de agosto.

Pestes a voltar à televisão no segundo semestre, Mariana conversou com iG Gente após o lançamento do longa para convidados, na tarde deste sábado (21), em São Paulo. A atriz mais uma vez fará parceria em cena com Reynaldo Gianecchini , que se curou de um câncer linfático recentemente, no remake “Guerra dos Sexos”. Ela ainda falou sobre a experiência de ter tirado a roupa para o artista plástico Miguel Rio Branco e que não pretende sair nua na "Playboy". Confira o bate-papo em que a atriz ainda nega que esteja planejando casamento com o empresários Lucas Mello . "Estou namorando e muito feliz", avisa ela. 

iG: Qual foi a diferença de fazer esta vilã para as que você já fez?
Mariana Ximenes: Ela é divertida, engraçada e é um trabalho para um filme infantil. Na verdade, a gente empresta a voz para um personagem que já está lá, totalmente diferente do que se faz pra uma novela, um filme. É muito gostoso, você tem que encarnar uma personagem que é uma vilã de um infantil, mas ao mesmo tempo adorei fazer porque é uma história de amizade.

iG: Como foi a recepção do público infantil nas pré-estreias?
Mariana Ximenes: Já tinha dublado outros desenhos. É um barato, a criançada fala no meio do filme, interage, é muito engraçado, muito bom.

Gianecchini está incrível, um touro. Já acompanhei umas sequências dele nadando, numa ilha deserta, correndo, pulando. É lindo de ver. Ele está o máximo. Admirável"


iG: Quando criança, qual era a sua relação com animais? Tinha bichos em casa? Já quis ter algum animal em extinção?
Mariana Ximenes: Já tive uma tartaruga, um periquito e um cachorrinho. Nunca tive vontade de ter um em extinção, deixa o bichinho livre. Hoje não tenho mais bichinhos, por enquanto, porque não paro em casa e bichinho você tem que ter pra ter afeto e cuidar.

iG: Você brincava com bonecas? O filme te traz alguma recordação da infância?
Mariana Ximenes: Eu brincava na rua, eram as brincadeiras mais caseiras. Minha avó fazia boneca de espiga de milho, só não deu pra guardar porque deteriorou, mas tenho boneca de pano que ela fazia também. Hoje em dia os adultos devem estimular isso nas crianças porque o mundo já está muito tecnológico, qualquer criança sabe mexer no iPad e falar no iPhone. Na verdade, a gente é de uma geração que na infância não teve isso então acho que é gostoso estimular o lado criativo das crianças e não só tecnológico.

iG: Depois de acompanhar de perto a luta contra o câncer de Reynaldo Gianecchini, vocês voltam a fazer um par romântico no remake “Guerra dos Sexos”. De que forma volta essa parceria?
Mariana Ximenes: Forte. Aliás, ele está incrível, um touro. Mas só vamos começamos a gravar juntos um pouquinho mais pra frente porque nossa história acontece depois. Mas eu já acompanhei umas sequências dele nadando, numa ilha deserta, correndo, pulando. É lindo de ver. Ele está o máximo. Admirável.

iG: Jesus Luz, que vai ser seu outro caso na novela, estará debutando como ator. Qual é o cuidado que você tem para que uma cena dê certo quando se atua com um ator iniciante? Você se sente responsável pelo resultado final?
Mariana Ximenes: Responsável é muito porque na verdade temos um diretor e um autor. Eu não sei o que te dizer porque eu não sei o que esperar. Quem sabe ele se revela um grande ator? Nem o conheci ainda. Eu tive que começar, a Fernanda Montenegro também. A pessoa tem que estar a fim de estudar.

iG: É seu primeiro remake e fazer este especificamente, uma das novelas mais importantes da TV brasileira, é uma responsabilidade maior?
Mariana Ximenes: Dá um frio na barriga, mas também vem com uma roupagem toda diferente. É mais contemporânea, naquela época não tinha iPhone, iPad. Hoje em dia é uma outra abordagem. Estou fazendo este trabalho como todos os outros, nenhum a gente sabe se vai ser sucesso ou não, não dá para saber. Tomara que seja um sucesso, é outra época, outro público, outra abordagem. Há 30 anos as pessoas tinham um humor, hoje é diferente. As gerações mudam, né?

É a mesma coisa porque não vou me envolver com a pessoa com quem eu estou fazendo a cena, seja homem ou mulher", diz sobre cena de sexo com outra mulher

iG: Ter tirado a roupa para o fotógrafo e artista plástico Miguel Rio Branco te deixa mais à vontade para aceitar um convite da “Playboy”?
Mariana Ximenes: Não tem absolutamente nada a ver com a “Playboy”. Fiz um ensaio que nem aparece minha cabeça, meu rosto, nem frontal. O Miguel Rio Branco é um dos maiores artistas deste País e é um trabalho artístico.

iG: Isso é um não para a “Playboy” então?
Mariana Ximenes: Por enquanto não. Fazer para um Miguel Rio Branco, que é um artista renomado no mundo inteiro, é muito autoral, visceral de uma obra muito impressionante e de quem sou fã há muitos anos.

iG: Você faz um casal gay com a Leandra Leal no filme, “Uivo da Gata”. Fazer cenas de beijo, de sexo com uma mulher é diferente com um homem?
Mariana Ximenes: É a mesma coisa porque não vou me envolver com a pessoa com quem eu estou fazendo a cena, seja homem ou mulher. Eu tenho namorado, não quero me envolver com a pessoa com quem estou contracenando. É a mesma postura profissional de todos. Você tem uma equipe muito unida e aí você cria um ambiente pra isso e está todo mundo querendo contar aquela história. Uma cena de sexo com um homem também não dá vergonha? Claro que dá. É quase que um preconceito das pessoas acharem que tem diferença.

iG: É verdade que você já está planejando o casamento com o Lucas Mello?
Mariana Ximenes: Não. As pessoas estão adiantando casamento, filhos. Estou namorando e muito feliz com o Lucas e pronto

Confira cenas dos bastidores do filme "31 Minutos":


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.