Rainha Elizabeth II vestindo o luto por seu marido e consorte real, o príncipe Philip, velado no último final de semana
Getty Images
Rainha Elizabeth II vestindo o luto por seu marido e consorte real, o príncipe Philip, velado no último final de semana

A rainha Elizabeth completa 95 anos nesta quarta-feira, 21, quando são feitos 21 disparos de canhões em sua homenagem. Entretanto, a comemoração oficial só será realizada em junho, com um grande desfile. A tradição remonta ao século 17 e a razão é prática: o tempo costuma estar melhor em junho e, assim, mais expectadores podem ver a comitiva passar. Tradição e pragmatismo são dois eixos que regem o reinado de Elizabeth. E, neste momento ruim para comemorações, após o  velório do príncipe Philip e as polêmicas com Harry e Meghan , não seria diferente.

O aniversário da rainha acontece em momento delicado, após a morte do marido consorte real e príncipe do Reino Unido, Philip Mountbatten, que foi velado no último de semana; além da polêmica (apelidada de Megxit) com o neto Harry e a mulher dele, Meghan, que se afastaram das atividades reais e deram uma entrevista, recentemente, à apresentadora Oprah, revelando que a família da rainha estava criticando a cor da pele do filho do casal . Definitivamente, é um mau momento para celebrações.

O portal Daily Mirror chegou a classificar a situação como a “pior crise da monarquia desde a abdicação de Edward VIII, tio de Elizabeth, em 1936. O The Guardian comparou com a morte de Lady Di, em 1997.

Os anos difíceis não foram poucos, mas a rainha está acostumada a superar os problemas para manter a monarquia viva. Desta vez, os especialistas estão divididos: alguns acreditam que Elizabeth vá abdicar do trono após esses últimos fatos e também por sua elevada idade. Os boatos sobre isso já crescem há dois anos. “Estou convencido de que a rainha dará um passo atrás”, afirma Robert Jobson, colunista do London Evening Star, jornal tradicional inglês. Mesmo assim, a maioria ainda acredita que ela nunca vai abdicar do trono porque a monarquia não deve correr riscos.

As pesquisas no Reino Unido apontam que apenas 20% dos britânicos se definem como republicanos, mas se o filho dela, o príncipe Charles, 72 (primeiro na linha sucessória), quem o povo condissera um elo fraco, herdar o trono, isso poderia indicar uma mudança nas pesquisas e tendências – segundo a revista XL Semanal, líder na Espanha.

Camila, Duqueza da Cornualha, Príncipe Charles, Elizabeth II, falecido príncipe Philip, príncipe William e Kate Middleton, Duquesa de Cambridge
Reprodução
Camila, Duqueza da Cornualha, Príncipe Charles, Elizabeth II, falecido príncipe Philip, príncipe William e Kate Middleton, Duquesa de Cambridge

A relação entre o príncipe Charles e sua mãe sempre distante e até ruim, mas isso melhorou um pouco nos últimos tempos. Em novembro de 2020, quando ele completou 72 anos, os dois riram abertamente em público juntos e, também por isso, a imprensa britânica passou a falar da possibilidade de abdicação.

Dona do maior reinado da história, com 70 anos de duração, Elizabeth II subiu ao trono em 1952, com 25 anos da idade. Desde muito jovem, aprendeu a não se lamentar pelas obrigações e nem sair da linha. XL Semanal comenta, em matéria especial sobre o aniversário da rainha, que já ocorreram muitos escândalos envolvendo a família real e com consequência da saída de alguns membros, sejam eles de sangue azul ou não.

Antes de Harry e Meghan , havia sido o príncipe Andrew, apontados por muitos como o filho favorito da rainha, após a imprensa comentar sobre sua amizade com Jeffrey Epstein, envolvido em um escândalo sexual. Tanto Harry quanto Andrew deram entrevistas televisivas bombásticas. E a reação da rainha foi a impavidez, se mantendo estável e firme.

Elizabeth II e Susan
Getty Images
Elizabeth II e Susan

Elizabeth tem sido firme por toda a sua vida. Sempre fiel à sua maneira de ser, a rainha teve 30 cachorros da mesma raça, corgi , todos descendentes da primeira, Susan, que recebeu de presente do pai quando completou 18 anos; usou a mesma marca de sapatos, comeu o mesmo cereal durante décadas e tomou o mesmo drink (dubonnet com gin) durante décadas.

Uma das maiores marcas britânicas é a presença da rainha, que tem trabalhado em agendas anuais de, pelo menos, 200 aparições. Segundo depoimento da mulher do príncipe Andrew, Sofia, a rainha inclusive escolhe usar roupas coloridas para ajudar a conquistar a atenção dos súditos. “Precisa ter certeza de que as pessoas vão vê-la. Quando ela vai a algum lugar, sempre há multidões e as pessoas querem ver pelo menos um pedacinho do chapéu da rainha”, disse Sofia. Elizabeth tem 1,63 de altura.

Muitos ingleses acreditam que a rainha pensa que, depois de todos os ocorridos, deve uma coroação ao seu filho, Charles, mesmo acreditando que o ideal seria um reinado curto, quase um parêntese, antes do reinado de William, filho de Charles e Lady Di e segundo na linha sucessória.

William e Kate Middleton já representam o que muitos quiseram ver em Charles e Diana, um casal moderno e exemplar , capaz de garantir a continuidade e a sobrevivência da monarquia. Não por acaso foi William que se pronunciou para defender a honra da família real após a entrevista de Harry e Meghan para Oprah , quando comentaram questões de racismo na família.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários