Cora foi uma das principais vilãs da novela das 19h
Reprodução/Globo 27.05.2022
Cora foi uma das principais vilãs da novela das 19h


Valentina Bandeira, que acaba de se despedir da vilã Cora, da novela "Quanto Mais Vida, Melhor", da Globo, conta que interpretar uma vilã pela primeira vez foi tão intenso, que ela ficou doente após as últimas cenas.


"Eu sempre quis fazer uma vilã, mas as coisas que eu puxei para ser vilã são o que eu oprimo na minha vida cotidiana", afirma. A atriz, em entrevista ao iG Gente, conta que fez a personagem "deslizando". "Apesar de lapidar na novela, já que no começo estava menos fluida. Mas cara, foi gostoso de fazer, foi uma época muito feliz da minha vida".

A atriz entrega que após o fim das gravações de "Quanto Mais Vida, Melhor", ficou doente. "Eu fiquei duas semanas de cama, porque fiquei exausta da carga que a Cora demandou, eu depositei tudo nela, eu me relacionei fortemente com ela", analisa.

Para ela, é muita responsabilidade fazer uma vilã. "Quando eu me via, me deixava aflita, não me deixou relaxar. Pensei que seria mais fácil de me ver, mas não foi. É engraçado, porque eu sou a pessoa que vê 88 vezes a mesma cena, vejo ponto a ponto, tem isso. Mas o final da novela eu gostei de assistir, estou mais relaxada, acho que a Cora está tão louca que desconectou com a realidade, entrou em um lugar da fantasia", comenta.

De todas as cenas, a última foi a mais complicada para Valentina

Valentina, que antes de Cora, atuou no "Zorra", comenta que as últimas cenas como Cora foram as mais difíceis, mas que trouxeram aprendizados para a atriz. "A penúltima e a última foram as mais difíceis, a última me concentrei melhor, mas a penúltima foi de ação, com jato de água na cara, era madrugada, estava frio, foi uma loucura", afirma.

"Mas a última foi a mais emocionante que fiz na minha vida, me mostrou que posso fazer uma cena dramática", diz e celebra: "Ganhei segurança de que posso fazer bem uma cena dramática e consigo levar minha sensibilidade para o drama. Na minha vida eu sou dramática, mas eu usava o humor como ferramenta, saber que posso usar o drama como ferramenta é muito positivo".


Além do drama, Valentina teve de aprender a ser sensual e recebeu algumas aulas de pole dance. "Fiz umas aulinhas de pole dance, tive que aprender a ficar sensual, foi um ganho na minha vida. Eu não estava acostumada a usar saia curta e ter um coxão, eu comecei a malhar coxa para compor a personagem", afirma.

"É doido me ver nessa posição e fazer um personagem com uma carga de sensualidade diferente da expectativa comum, eu trabalhei em mim e eu não havia experimentado antes", analisa.  

Para Valentina, a insegurança de Cora é a razão para as maldades da personagem na novela. "Ela fica muito insegura, aí ela vira uma pessoa ciumenta e descontrolada, mas o que me pegava mais era a perversidade, um transbordamento, um certo descontrole que eu me reconheço nela, mas eu oprimo dentro de mim, eu não gosto", observa.

A atriz também reflete sobre o relacionamento de Cora e Roni, personagem de Felipe Abib. "Não sou muito ciumenta não, até sou, quando estou muito apaixonada, mas é tão raro, é uma parada que eu tento evitar porque é ruim e inútil. Não quero relacionamentos assim. Eu não tendo a me entregar para relacionamentos ciumentos como o da Cora", pontua. 



A insegurança de Cora, para Valentina, vem desde o começo da novela. "Eu acho ela totalmente insegura. Da relação com a Flávia, é muita insegurança, é uma pessoa que não gosta de si mesma. Eu acho que isso me identifico, porque tenho dificuldade de lidar comigo mesma e penso que ela é assim. Ela faz maldades porque ela não gosta dela mesma", analisa. 

Valentina também diz que não esperava que a personagem cresceria tanto na obra. "Meu personagem tem um grande destaque no fim e não esperava tanto isso, então, me surpreendeu. Eu não questionei nada, como estávamos na pandemia, eu estava tão feliz de poder trabalhar e gravar, eu só aceitei a maneira que estávamos fazendo e fui feliz", celebra. 

Mais novelas por aí?

Valentina não esconde a vontade de seguir atuando em novelas da Globo. A atriz se revela uma grande fã da emissora. "Pretendo fazer novelas, mas minha carreira está se transformando. Sou fã da Rede Globo, fiquei sete anos na Globo, sou noveleira. É tudo na minha vida, eu respeito e admiro e quero fazer parte sempre", conta. 

Ela diz ter "vontade de fazer tudo". "Grandes personagens que me interessem, acho que tenho sensibilidade para isso. Na minha vida cotidiana, minha sensibilidade me atrapalha demais, então se eu investir ela, eu sei que tenho profundidade emocional para isso", afirma. 

Além da novela atual, Valentina também está trabalhando com conteúdo on-line e também obras já gravadas. "Tenho filmes gravados engaiolados, outros de comédia para sair, trabalho com internet, estou entrando em um mundo novo", lista. 

Valentina se surpreendeu com comentários no Twitter

A intérprete de Cora confessou que aproveitava os momentos da novela no ar para ver o que o público comentava sobre a personagem dela. "Eu sou rata de Twitter, então eu entro compulsivamente quando a novela está no ar, eu sou tão doente que eu coloco meu nome, troco de Cora para Valentina Bandeira e fico vendo tudo o que as pessoas estão falando", comenta, rindo e diz:

"Falo porque sei que um monte de gente faz isso também". Para ela, o público teve certa dificuldade de diferenciar a Valentina da Cora. "As pessoas ficam com um asco tão bizarro, as pessoas odeiam a Cora em um nível absurdo. As pessoas querem que ela morra", afirma. 

Para Valentina, o ódio por Cora não é apenas pelas maldades, como também pelo físico dela. "Penso que a galera tem uma expectativa de que as pessoas apareçam na televisão muito bonitas com feições controladas e eu sou expressiva, eu acho que eu até me expresso demais. As pessoas não estão acostumadas com quem não é exatamente lindo, tem muitos comentários que me chamam de feia, mas acredito que é uma confusão entre o ódio pela Cora e eu", comenta. 

Já no Instagram, Valentina diz que a situação é diferente. "No Instagram eu sou um personagem tão diferente que recebo comentários do tipo: 'Meu Deus do céu eu te amo e odeio a Cora'. Tem pessoas que pedem para eu pegar leve, mas é o máximo de comentários que recebo", diz, rindo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários