Bella Campos defendeu a personagem de
Reprodução/Globo 17.05.2022
Bella Campos defendeu a personagem de "Pantanal"


Bella Campos está dividida sobre os interesses românticos da personagem Muda, que ela interpreta em "Pantanal". Levi, interpretado por Leandro Lima, e Tibério, personagem de Guito, balançam o coração da misteriosa Muda. A atriz, que estreou nas telas no papel que vem chamando atenção dos telespectadores, analisa que ela está entendendo o que é afeto na novela. 


Em entrevista ao iG Gente, a atriz de 23 anos faz até uma provocação ao refletir sobre o romance entre Muda e Tibério. "Com o olhar de telespectadora, é muito shippável esse casal, mas eu provoco: todo mundo está shippando porque o Tibério gosta muito dela, mas já pararam para pensar se ela gosta dele?", questiona.

Para ela, o público deveria entender o lado de Muda e ouvi-la. "A Muda deixa claro que ela gosta dele, mas não da forma que ele gosta dela. Vejo muita gente falando que ela tem que ficar com ele, porque ele é bom, por gratidão. Mas não penso que as pessoas devem ficar com alguém por gratidão. Acho que se deve pensar se é correspondido", comenta.

"Ela é uma personagem que vai se conhecer muito nesse caminho e isso vai mostrar possibilidades desses afetos para ela, mas eu ainda penso que esse sentimento negativo do trauma da morte do pai é forte e até por isso ela enxerga o Tibério como uma figura paterna", explica.

Bella analisa que a personagem não deve ficar com Tibério "só porque ele é bonzinho". "Ela vai ficar com ele no momento em que ela minimamente corresponder. Fico pensando se fosse ao contrário, se fosse uma mulher falando que ama, sem ter nunca ficado com o cara, planejando o casamento sem ter sido correspondida, se ela não seria chamada de 'emocionada'", pondera. 

Ao falar da personagem e da relação com o mundo, Bella defende os atos de Muda. "Ela vive em uma briga mental eterna entre a razão e a emoção, porque a razão dela diz para ela cumprir essa vingança. Mas tudo o que acontece a afeta e ela começa a conhecer outros sentimentos para além dos negativos que falam mais alto, então, há essa briga muito forte", pontua. 

Bella e o ataque da onça

Nos últimos capítulos de "Pantanal", Muda foi atacada por Maria Marruá, que atualmente é uma onça. Bella comenta que a cena, em que ela é atacada e atira sem querer no Velho do Rio (Osmar Prado), foi a mais difícil durante a produção da novela. 

"Na verdade, não tinha onça. Eu fiz toda a reação imaginando que teria uma onça me atacando, mas não tinha nada ali. Até aquele momento em que eu olho para fora e levo um susto eu estava olhando para o nada, tive que trabalhar o imaginário para sentir o pavor, o desespero, sentir que vou morrer, sendo que não tinha nada em volta. Nesse dia a onça nem estava no set", conta. 


Ela relembra que o primeiro encontro com a onça, em que Muda mira e quase atira no animal, foi mais simples, justamente porque ela observava a onça real. "Ela se aproximou, mas a gente grava vários takes. No take aberto ela estava e nos fechados a gente deixava ela quietinha por questão de segurança", revela. 

Bella também explica que teve uma certa dificuldade para ter 'raiva' da onça. "Conheci a onça e ela é muito fofa, muito querida, o que dificultava para mim para fazer a reação. Ela se espreguiçava, deitava e eu tinha que olhar para ela como se a onça quisesse me matar", conta. 

Além da onça, Bella também gravou com a sucuri. "Foi bem legal. A sucuri eu adoro. Eu acreditava que não iria gostar, mas eu gostei de pegar a sucuri, a gente podia pegar nela, mas na onça, não. Eu achava que seria horrível, mas foi muito legal", afirma, rindo. 

O que é mais difícil: falar ou ficar muda?

Ao receber o convite para atuar em "Pantanal", Bella não se sentiu incomodada por ficar sem falas no começo da novela. Mas para a atriz, demonstrar emoções sem falar foi um desafio. "E um dos grandes, de como verbalizar sem as palavras, então, foi algo a mais para mim. Por ser meu primeiro trabalho, senti um certo nervosismo e nosso corpo fala muito, então, eu não podia deixar com que meu nervosismo pessoal travasse meu corpo porque ele deveria estar livre para passar a mensagem da personagem", conta.

Mas para Bella a personagem poderia ficar muda por mais tempo. "Eu gostaria de fazer da mesma forma, é um desafio bom", afirma. "Algumas pessoas acham que dá mais trabalho decorar texto, mas, para mim, dava mais trabalho quando ela não falava, porque como não tinha texto no roteiro, eu criava os textos", revela. 


"Toda vez que ela tinha que estar em cena, eu criava os pensamentos dela, eu criava o que ela poderia falar, então eu tive mais trabalho nesse parte, mas era legal. Eu tinha liberdade de criação, de construção da personagem. Como ela não falava, eu poderia pensar qualquer coisa, tinha isso ao meu favor. Gosto muito dessa fase dela falando e traz outra camada para a personagem", aponta. 

Para ela, "decorar fala é moleza, é a coisa mais fácil que um ator pode fazer". Bella também dá detalhes da preparação da personagem. "Fiz algumas coisas na preparação da novela, fiz um workshop em que fiquei um fim de semana inteiro em Brasília trabalhando os movimentos do corpo, como responder com o corpo, concentração e foi uma busca interna de como o silêncio reverbera na gente, como difere de tudo, porque ela escolhe não falar", pontua.

"Me preparei, foi legal, tem a bioenergética, um método de atuação que a gente trabalha pontos do corpo e foi interessante esse processo de criação e acho que acrescentou a mim como atriz. Esse tempo sem falar, só com o corpo, quando as palavras chegam, só acrescenta", comenta.

Ao receber a personagem pela primeira vez, Bella conta que pensou na complexidade de construção. "Nem pensei sobre o tempo que ela ficaria sem falar verbalmente, porque ela chega falando. A primeira aparição dela é falando e foram falas tão fortes. Ela traz uma história tão forte e mesmo quando ela não fala, ela se comunica tanto que não foi uma questão para mim", afirma. 

"Feliz de trazer entretenimento"

Apesar do enredo denso e da carga dramática, a personagem de Bella se tornou queridinha da web ao proporcionar diversos memes nas redes sociais. A atriz se diz contente com a reação dos internautas.




"A pouca felicidade que o brasileiro tem nesse momento do país, atualmente, são os memes. Fico feliz que estou trazendo um pouco de entretenimento e felicidade neste momento", celebra Bella.

"Eu adoro os memes! É o que eu digo: a Muda não é uma vilã. Ela é uma garota traumatizada, machucada, e essa coisa do nome ser Muda, é o que gera os memes, porque ela fala. Até a falta de revelação do nome dela é parte do plano", comenta. 

Bella já era ambientada ao pantanal

Muda é primeiro papel de Bella Campos na televisão
Reprodução/Globo 17.05.2022
Muda é primeiro papel de Bella Campos na televisão


Mato-grossense, a atriz já tinha uma breve noção do bioma que iria enfrentar. Diferente de outros atores, Bella não enfrentou tantos perrengues. "Para mim, foi bem tranquilo. Da outra vez que eu vim, não sentia mosquitos, formiga, nada. Dessa vez eu vim e acho que é outro tipo de formiga, porque elas picaram o meu pé e está coçando muito", conta, brincando. 

A atriz até relembra uma situação curiosa que passou na tapera em que gravou ao lado de Alanis Guillen e Jesuíta Barbosa. "Da outra vez não tive nada, gravamos na tapera e teve uma infestação de tanajuras e a gente gravava com elas subindo nossa perna e, para mim, era de boa, mas dessa vez alguma formiguinha invisível me atacou", afirma.

Para ela, não há dificuldade com animais, insetos e o calor. "Eu sempre digo que a maior dificuldade são as porteiras até chegar no set e na fazenda, são 50 porteiras, mas tirando isso, é prazeroso estar aqui e penso que isso ajuda muito. A gente tem um privilégio de gravar aqui e realmente sentir como é esse lugar. O pantanal mexe com você", finaliza. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários