Agnes e Vladmir interpretam pai e filha em 'Quanto Mais Vida Melhor'
Reprodução/Globo 06.04.2022
Agnes e Vladmir interpretam pai e filha em 'Quanto Mais Vida Melhor'


No ar como Tina em "Quanto Mais Vida Melhor", Agnes Brichta sente que o trabalho dela como a filha de Neném, personagem interpretado pelo próprio pai, Vladmir Brichta, foi bem recebido pelo público. Ela, que enfrenta a primeira novela da carreira, diz se sentir impressionada por não compararem a forma de trabalhar com a do pai. 


"A gente fica imaginando o que pode vir de pior, porque é uma exposição, eu não tive uma comparação ou um questionamento da minha habilidade por ser filha dele", conta ao iG Gente. Na entrevista, Agnes revela que nas redes sociais também não foi criticada pelo trabalho e que, para ela, o público soube separar personagem da atriz. 

"Fico feliz porque sinto que as pessoas acompanham a personagem e distanciam isso, é muito legal, nunca é uma crítica ao meu trabalho e sim à personagem. Isso mostra que as pessoas compram que é um personagem, mesmo sendo com o meu pai, falam 'Tina e Neném', não 'Agnes e Vladmir'", afirma. 

Agnes conta que aprendia com Vladmir em casa, mas que o trabalho prático a ensinou muito mais. "Olha, a gente já trocava muito sobre ser ator, livros de teatro, sou muito nerd e ele fez faculdade de teatro. Mas trabalhar junto é ter ali o exemplo real, eu contava com ele, mas nunca fui de pedir instrução, aprendi cedo de que não há uma forma única de passar verdade, de interpretar", comenta. 

A atriz também elogia o pai por dar liberdade para ela no trabalho. "Ele me deixa seguir solta em tudo, o trabalho foi ótimo, criei mais confiança do que se tivesse maior instrução, acabei me divertindo muito com ele. Ele propõe, eu já gosto, sei onde posso ousar e de repente estamos brincando, fica leve. As cenas mais leves são com ele", afirma. 

Na relação de Tina e Neném, Agnes diz que os dois diferem muito da relação pai e filha que ela tem com Vladmir. Para ela, o ponto em comum dos dois com a ficção é o carinho e o amor dos personagens. "O Neném e a Tina são muito diretos, extrovertidos, não ficam horas debatendo. Mas a quantidade de carinho e atenção é bem igual, sinto a mesma conexão que os personagens sentem", conta e completa: "Os dois são mais 'estourados', mas nós não, somos muito da paz, conversamos por horas, a energia é outra, completamente". 

Enteada de Adriana Esteves, Agnes explica que também aprendeu muito com a atriz, mas que ao chegar no set, viu que os aprendizados com o pai e a madrasta não eram regra. "Os dois diferem muito e têm uma qualidade de trabalho incrível, observando isso, notei que não tem uma forma única de ser um ótimo ator. Aí aconteceu bastante de eu andar por um caminho, ouvir os dois lados, misturar e dar a minha forma. Ter os dois em casa me mostrou muito isso", conta. 

"Estudei muito com o apoio deles e continuamente. Ao entrar na novela, tive alguns momentos  que pensei: 'estudei, estudei, estudei, vivi com eles e não sei nada'. Tem esse pânico de chegar na prática e descobrir que não sabe. Passado o pânico, a gente analisa melhor e a bagagem toda se mostra proveitosa. Conversar é uma coisa, fazer é outra. Um pouquinho de estudo, muito de improviso", revela, rindo. 

Os dias de luta de Tina


Leia Também

Leia Também


Agnes brinca com a situação de Tina, que nesta semana, descobriu ser filha de Rony, interpretado por Felipe Abib. "Eu estou vendo essa energia, abril, socorro, é um grande socorro. O negócio vai pegar, abril terá revelações", comenta e revela que o mês terá grandes mudanças para a personagem. 

A atriz conta que é abordada na rua por pessoas que sentem pena da personagem. "Desde que souberam da paternidade do Rony, falam para mim que meu pai é bandido, tem essas brincadeiras", afirma.

Agnes também revela que sabia do segredo desde o primeiro dia da produção. "Na primeira reunião geral contaram e disseram que era segredo de família. Sinto que isso dá uma camada a mais por trabalhar com o meu pai, mas não é o meu pai, sabe? Quando eu caí nessa situação, pensei: 'isso é muito legal, posso trabalhar uma relação com um pai que me reconheço, mas depois um pai que não tem uma boa relação'", afirma.

Tina também passa por outra situação: o pai trocou de corpo com a personagem Paula Terrari, interpretada por Giovanna Antonelli. Novata em novelas, Agnes diz que se divertiu para gravar as cenas em que Vladmir interpretou Paula. "Eu lembro o primeiro dia que gravamos trocados, adiantamos um monte de cenas e eu fiquei pirada no nível de mais assistir do que entrar em cena. Me perguntava: 'o que aconteceu, como ele está desse jeito?'. Eu fiquei muito animada, eu saí pensando: 'pô, é um momento legal para a novela, vou me divertir junto'. Deu uma leveza para tudo", conta. 

Agnes também diz que mudou o modo de atuar após as trocas de corpos. "Ao ver ele mais feminino, eu fiz uma escolha consciente de fazer a Tina um pouco mais masculina para puxar o lugar da bola, da brincadeira e ele não conseguir acompanhar porque é a Paula Terrari, ficaria mais engraçado", revela. 

Interesse romântico de Tigrão, interpretado por Matheus Abreu, Agnes conta que se enxerga em Tina nas cenas de amor. "Não sou uma pessoa de enfrentar, de bater de frente, mas me vejo na Tina no romance. Sou muito romântica, tenho mais facilidade de admitir isso do que ela. Vendo o relacionamento crescendo, vejo a vulnerabilidade que ela aprende a lidar e eu sempre lidei, foi ali que nos encontramos. Eu carrego isso, foi fácil de encontrar para ela", afirma. 

Amizade com veteranos

Além de contracenar com o próprio pai, Agnes também contracena com Elizabeth Savallah, que interpreta a avó de Tina, e Marcos Caruso, que atua como Osvaldo na obra. A atriz conta que os dois atores veteranos são amorosos e auxiliaram ela em momentos de nervosismo. 

"Os dois são atores muito amorosos e atentos, gentis também. Sempre dando dicas, dica técnica, eu me acalmava de saber que eles estavam perto. Primeira cena que eu tive em família, eu me tremia e não conseguia segurar um macarrão, o Caruso pedia para eu respirar, me acalmava, vários momentos que tanto ele quanto a Savallah ensinavam a gente, eram muito disponíveis", conta. 

"Essa casa de Nedda é de muito amor, das quatro casas da novela é a mais cheia de amor, eu ficava preocupada em abraçar por causa da pandemia. Tivemos preparação para demonstrar afeto sem toque, mas é uma casa de abraço", revela. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários