Malu interpreta Irma em Pantanal
Reprodução/Vinícius Mochizuki
Malu interpreta Irma em Pantanal


No papel de Irma na primeira fase de "Pantanal", a atriz Malu Rodrigues defende a personagem, que se envolve na polêmica de se apaixonar pelo marido da irmã, Madeleine (Bruna Linzmeyer). Com a virada de fase nesta terça-feira (12), o papel da ruiva será assumido por Camila Morgado. 


Em entrevista ao iG Gente, Malu diz que não é apenas uma "talaricagem" por parte de Irma e que a situação familiar é muito mais complexa na novela. "As irmãs são desestruturadas emocionalmente, é complicado, muito difícil. Até as pessoas que falavam que a Irma era 'talarica', falando: 'mas também, com uma mãe dessas'. Essa relação de amor e ódio entre as irmãs é intensa e vai se intensificando, é o que o pantanal faz com as pessoas", comenta.

Malu também fala da criação das personagens, antagônicas na obra adaptada por Bruno Luperi. "São duas mulheres fúteis, criadas na futilidade, não significa que sejam más, mas foram criadas assim. É complicado, após adultas, mostrar um mundo novo para elas. Por isso elas se apaixonam pelo Zé Leôncio. A Irma se apaixona pelo que a Madeleine conta, depois, quando ela conhece, vê que é diferente e se apaixona com outro olhar, ela nem pensa muito na Madeleine, é mais forte que ela, esse querer de viver algo diferente", afirma. 

A atriz conta que Irma é uma mistura de sentimentos. Criada em uma família conservadora, a personagem nunca teve coragem de impor as próprias vontades, até ver Zé Leôncio. "Até quando aparece um cara diferente e legal, que é o Zé Leôncio, vai para a Madeleine. Então penso que é essa rejeição. Eu brincava que a Irma se sente rejeitada por todos, isso machuca muito alguém, a Madeleine é sempre a escolhida, então imagine como foi a infância dela", defende. 

Malu na primeira fase, Camila na segunda

Nesta primeira fase de "Pantanal", Malu Rodrigues interpretou Irma e construiu a juventude da personagem de Camila Morgado, que irá assumir o papel na segunda fase. Malu conta que apesar da pandemia da covid-19, construiu as características ao lado da atriz. 

"A gente teve o primeiro encontro no salão para decidir a cor do cabelo da personagem. Pintamos juntas de ruivo, para trazer essa coisa misteriosa, já que o loiro querendo ou não traz essa sensação de angelical, de pureza, então optamos pelo ruivo com a nossa caracterizadora", conta.

Além disso, Malu diz que teve outros dois encontros presenciais com Camila, ao lado da preparadora de elenco. Na produção, as duas tiveram outra maneira de continuar o contato. "Fizemos um diário. Era um 'podcast' meu para ela, dela para mim no WhatsApp. Eu ligava para contar como fiz a cena e vice-versa. Mandava fotos do figurino, do pantanal, áudios de tudo, foram um 'zilhão' de telefonemas e áudios, nos falamos muito e construímos juntas por opção, para não fazer a Irma tão ingênua", afirma. 

Ela também celebra que o público está entendendo os conflitos de Irma na obra. "Eu estou adorando que as pessoas estão em dúvida se a Irma é boa ou não e quais caminhos a personagem vai fazer. Como a gente fez ela um pouco diferente, o público segue em dúvida", comenta. 

Diversão e perrengues

Durante a produção, diversos atores de "Pantanal" passaram por alguns problemas, como Juliana Paes, que contou que teve de fugir de um jacaré. Mas Malu não se abateu pelos perrengues e garante que a experiência foi incrível. 

"Faz muito calor no pantanal, nas gravações com o Renato Góes andando, a equipe dava uma pausa para comer uma fruta, tomar uma água... todos mergulhavam no rio e a gente não podia por estar de figurino. Até o calor é diferente do calor do Rio de Janeiro, além disso, muitos bichos, mas não fui picada por nada, mesmo sem repelente, não sei o que aconteceu", comenta.

Leia Também

Leia Também

"As locomoções, minhas cenas eram sempre diurnas, mas dava sorte de voltar de bi-motor, mas que era quente demais. A galera que não conseguia pegar o avião na volta, tinha que enfrentar o carro balançando na estrada de terra e era uma hora e meia, até três horas, de uma fazenda para outra", afirma, rindo. 

Leia Também

Dias especiais no pantanal

Durante as folgas, Malu conta que teve diversos momentos especiais. Seja nadando nos rios do pantanal, seja sendo recebida pelo povo mato-grossense, ou até pela natureza do bioma. 

"O dia mais especial na minha vida e serei eternamente grata por ter produzido essa novela foi o dia quando tive uma folga — e eu quase não fui por receio — fui até a fazenda do Almir Sater e foi quando de fato eu pude me deliciar das maravilhas do pantanal. Fiquei mergulhada no rio até o pôr do sol, todos no rio, se refrescando, comi uma feijoada maravilhosa, cantamos a tarde inteira, foi um sonho realizado", comenta. 

Comparação com Marina Ruy Barbosa

Nas redes sociais, alguns internautas compararam Malu com Marina Ruy Barbosa, justamente pelos cabelos ruivos em 'Pantanal'. A atriz se defende e diz que não tem nada parecido com a colega de profissão. "Eu adoro a Marina, acho o trabalho dela ótimo, penso que sou a nova Malu. Eu renasci depois desse momento pandêmico e dessa volta de trabalho", comenta. 

"Conheço a Marina antes dela virar a 'Marina Ruy Barbosa', adoro o trabalho dela e está tudo certo ter essas comparações, se for para o bem, claro. Somos muito diferentes, atrizes que diferem, acho que a galera fala mais pelo cabelo ruivo. A gente que é atriz tem que trocar de pele a cada personagem", afirma. 

Covid-19 na produção

Malu, que volta às telas após quatro anos do último trabalho em novelas, em "O Outro Lado do Paraíso", comenta que essa volta também é simbólica após o ápice da pandemia. 

"Fiquei dois anos em casa, então para mim, está sendo especial voltar a trabalhar, ao audiovisual, me sinto feliz e honrada de fazer esse projeto. Sei da grandiosidade do remake de 'Pantanal', fico muito feliz", conta. Durante a produção da novela, Malu e outros componentes do elenco contraíram covid-19. 

"Eles tiveram todo um cuidado no pantanal, quando voltamos ao Rio, teve a onda pós-ano novo e acabei pegando, a gente teve alguém na novela que passou e aí até atrasamos o término das gravações por pegar gravando ou na vida, mas a Globo foi super rigorosa, só os atores tiravam a máscara para gravar", comenta. 

Apesar do ocorrido, Malu elogia a produção da Globo e conta que viveu um confinamento no pantanal. "O elenco fazia testes diariamente, menos no pantanal porque estávamos enclausurados. Mas quando ao chegar a gente fez dois testes. Após liberação, a gente ficava de boa na casa em que morávamos, era quase um 'BBB', eu dividi quarto com a Letícia Salles, que virou um amorzinho na minha vida, igual a Bruna [Linzmayer]".

Carreira musical

Malu não é apenas atriz! Ela também lançou um single recentemente, o "Alvoroço". A artista diz que não irá parar apenas nesta obra e pretende investir mais na carreira musical. 


"Decidi lançar meu primeiro single, encontrei um maluco para investir em mim, o Alexandre Catenas que me chamou para entrar nesse projeto. Estou amando a receptividade do 'Alvoroço'. Já estamos montando o próximo feat, espero que vocês curtam, estou muito feliz com a repercussão e com o projeto", conta.

Além da música, ela também estará no musical de 'Frankenstein' e produz a série "Musa Música". "Enquanto não vou aos musicais, aproveito a série para Globoplay. Estou curtindo esse momento musical na produção", diz. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários