Durante o período de isolamento social, motivado pela pandemia de coronavírus , as pessoas estão passando mais tempo conectadas e em frente à TV para ocupar o tempo. Pensando nisso, alguns sites e canais pagos de teor adulto resolveram liberar parte do conteúdo gratuitamente e essa atitude não agradou Clayton Nunes, sócio e CEO do site Brasileirinhas.

Leia também: Morre a cineasta Sarah Maldoror vítima da Covid-19

Casal olhando para o computador arrow-options
shutterstock
Sites e canais de conteúdo erótico estão com conteúdo liberado


“Sou totalmente contra. Quem libera esse tipo de conteúdo, seja na TV paga ou na internet, está também abrindo a possibilidade para o acesso por parte de crianças”, afirmou Clayton ao colunista Ricardo Feltrin, do UOL .

O empresário acredita que essa é uma atitude irresponsável porque “hoje em dia qualquer criança já sabe mexer tranquilamente em qualquer equipamento [eletrônico]”. O representante do site Brasileirinhas não citou nomes, mas o canal Sexy Hot disponibilizou acesso gratuito a alguns filmes eróticos na TV paga.

Vale ressaltar que essa liberação de conteúdo também atrapalha os negócios, pois assim que a pandemia afetou o Brasil o site gerenciado por Clayton dobrou o número de assinaturas, mas esse pico já se estabilizou. Diante desse dado, o CEO disse que não quer que o conteúdo dos concorrentes fique fechado apenas para poder lucrar mais.

Leia também: Pandemia não vai afetar cronograma de "Guardiões da Galáxia 3", diz diretor

“Nosso acervo é e sempre foi fechado. A gente sabe muito bem que está lidando com conteúdo adulto , e que não pode ser acessado por menores. Empresa que abre conteúdo temporariamente, aí sim, está querendo criar um hábito até então inexistente no público”, afirmou Clayton.

    Veja Também

      Mostrar mais