Tamanho do texto

O governo atual deu menos verba de publicidade para a Globo do que para SBT e Record, mesmo essas emissoras tendo um número menor de audiência

A Rede Globo vem recebendo uma verba de publicidade oficial do governo federal menor do que a Record e o SBT , que têm audiência consideravelmente menor. O Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) mostra que a verba da emissora caiu 58,3% em um ano.

Jair Bolsonaro em transmissão no Facebook em que criticou a Globo arrow-options
Reprodução/Facebook
Jair Bolsonaro em transmissão no Facebook em que criticou a Globo













Leia também: Em meio a demissões em massa, Globo investe R$ 1 bilhão no streaming

De acordo com o documento, obtido pelo jornal Folha de S.Paulo , a Globo teria recebido 39,1% da verba de publicidade no ano de 2018. Porém, já no primeiro semestre deste ano, 2019, por mais que seja dona de 33,1% da audiência no país, a emissora recebeu apenas 16,3% dos recursos.

Mesmo juntas a Record e o  SBT obtém uma audiência menor do que a da Globo . Mas isso não impediu o governo de passar a destinar mais de 80% dos recursos para essas duas emissoras.

Leia também: Arrependida? Xuxa visita Globo escondida e retorno não é descartado

Entre os governos de Dilma Rousseff e Michel Temer, e o primeiro semestre do governo de Bolsonaro, a Record   saiu de 26,6% para 42,6% das verbas de publicidade. E o SBT  foi de 24,8% para 41%.

Desde 2018, a distribuição de verba para propaganda governamental na televisão segue normas que levam a audiência como um dos critérios principais, mas não o único, para a divisão da verba entre as emissoras. Também passaram a ser consideradas outros pontos, como sua programação, seu alcance no país e o público-alvo de suas atrações.

Leia também: Sem audiência e criatividade, “Se Joga” é um tiro no pé da Globo

No ano passado, o faturamento da Globo com publicidade do governo foi de R$ 400 milhões líquido, o que representou 4% do total faturado no ano. Em 2019, esse número só não foi drasticamente menor, pois o Banco do Brasil fechou o patrocínio do Bom Dia Brasil e do  Pequenas Empresas Grandes Negócios, antes da posse de Bolsonaro