Tamanho do texto

Folhetins disputam o mesmo horário e apresentam narrativas clássicas. Mas, enquanto um melhora, o outro é criticado

Depois de anos apostando em tramas bíblicas, A Record voltou para as novelas contemporâneas em 2018 com “Apocalipse”. Mas, enquanto o folhetim ainda tinha sua base na religião, em 2019 “Topíssima” quebrou de vez esse jejum com uma narrativa sem uma temática específica, e apresenta um novelão clássico.

montagem com protagonistas de verao 90 e topissima
Divulgação
"Verão 90" x "Topíssima"

Escrita por Christianne Fridman (“Chamas da Vida”), “ Topíssima ” ainda não encontrou seu público e não mantém boa audiência no horário, mas está mostrando potencial. Exibida a partir de 19h50, a novela bate de frente com boa parte de “Verão 90”, que começa por volta de 19h30 na Globo .

E, ao contrário do folhetim de Fridman, a novela global não tem boa recepção. Em sua reta final, “ Verão 90 ” acabará em 26 de julho, embora al guns atores já tenham terminado de gravar. Com um começo inconstante, a trama até se encontrou e foi ganhando um tom cômico graças a Claudia Raia , mas nem o talento da atriz conseguiu superar os vilões chorões e os problemas no roteiro .

Já “Topíssima” não tem nada de inovador, mas no que se propôs a fazer tem tido êxito. Floriano Peixoto, Camila Rodrigues, Emílio Orciollo Netto, Cristiana Oliveira, Silvia Pfeifer e Denise Del Vecchio são alguns dos nomes nos papeis principais, o que mostra que a produção tem talento de sobra à disposição.

A seu favor, a novela não apela para a memória afetiva do público como a concorrente faz, muito menos abre espaço para erros temporais. Embora caia em clichês como o sócio interessado na herança e a mãe que quer a filha casada a qualquer custo, consegue desviar da mesmice ao inserir um crime que os protagonistas, Sophia (Camila Rodrigues) e Antônio (Felipe Cunha) são acusados, mas não cometeram.

Com boa direção, a novela tem potencial para crescer, embora os longos meses que deve passar no ar podem render algumas barrigas. Ainda assim, é um passo da Record na direção certa, mostrando confiança em seus autores para criar algo de interesse para os fãs de novela, sem deixar de lado o nicho religioso.

Em compensação, “Verão 90” tem um humor melhor fundamentado, núcleos paralelos com mais sustância e um desenvolvimento de quem faz novelas melhor. Apesar de rejuvenescer a produção com protagonistas novos como Isabelle Drummond e Rafael Vitti, são os “medalhões” como Alexandre Borges e Dira Paes que roubam a cena.

Leia também: Record percebe saturação de novelas bíblicas e aposta em "Topíssima"

Entre a nostalgia dos anos 1990 e os dramas da atualidade, o público tem duas opções para o horário com “Verão 90” e “ Topíssima ”. E para você, qual é a melhor?