Com os bastidores de “O Sétimo Guardião” mais interessantes do que a trama e “Espelho da Vida” se perdendo na própria estória, “Verão 90”, que entrou na grade em janeiro, teve uma estreia meteórica na Rede Globo , garantindo bons números e recordes na faixa.

Leia também: Com boa audiência, "Verão 90" sofre com furos no desenvolvimento da trama

Abusando da comédia pastelão, “Verão 90” vira “Zorra Total” na faixa das sete
Divulgação
Abusando da comédia pastelão, “Verão 90” vira “Zorra Total” na faixa das sete

Todavia, com seis meses na programação, “ Verão 90 ” vem abusando do humor pastelão, fazendo com que o arco, ou seja, o meio da estória, aconteça da pior maneira possível.

Leia também: Sucesso em "Verão 90", Claudia Raia é sinônimo de boa audiência na faixa das 19h

Em seus primeiros meses, a novela já apresentava estes problemas, mas como gozava de vislumbre por ser um produto novo e nostálgico, não foi criticado por isso. Porém, com protagonistas totalmente dependentes de personagens interpretados por atores mais experientes, a saturação tornou-se um fator inevitável. Para piorar, o fato de a trama escorar-se nestes personagens fez com que o roteiro perdesse qualidade.

Claudia Raia em
Divulgação / Rede Globo
Claudia Raia em "Verão 90"

A exemplo de Lidiane Pantera, vivida por Claudia Raia , a personagem é o verdadeiro cristal da trama. Desbocada e escrachada, ela poderia ser diagnosticada com escoliose, já que carregou tantos personagens nas costas no decorrer dos últimos cinco meses.

Claudia Raia em
Divulgação / TV Globo
Claudia Raia em "Verão 90"

Além de animar as cenas de sua filha, Manuela Renata (Isabella Drummond), ela balançou a produção ao coreografar os Tigres Siberianos, trio que era formado por jovens de núcleos diferentes. Não podemos esquecer que a personagem também fez o cineasta Herculano Mendes (Humberto Martins) perder as estribeiras ao cogitar um retorno ao mercado erótico.

Saturada, agora a personagem integra o núcleo abastado da produção, atuando como assistente de Mercedes (Duda Wendling). Sem brilho, o roteiro deveria fazer sua parte e incrementar a novela com pitadas de mistério e acontecimentos instigantes, contudo, ao que parece as autoras resolveram elevar o humor, deixando-o mais inocente, atrapalhado e menos natural, ou seja, transformando a novela em um “Zorra Total” na faixa das sete.

Entretanto, o problema não seria tão sério se apenas uma personagem estivesse sendo afetada por este efeito " Zorra Total ". Para infelicidade do público, todos os núcleos vem sofrendo com este fenômeno. A exemplo de Mercedes Ferreira Lima, uma mulher sagaz, alerta e inteligente, que tornou-se uma adolescente ao cair nas falcatruas de sua assistente pessoal - o que seria engraçado se não fosse tão óbvio.

Claudia Raia e Dira Paes em
Divulgação/TV Globo
Claudia Raia e Dira Paes em "Verão 90"

Leia também: Presa em estereotipo de pobre, Dira Paes requer espaço em "Verão 90"

Sem naturalidade, imprevisibilidade e com a saturação de personagens como o de Claudia Raia, “ Verão 90 ” chega perto do fim perdendo o posto de melhor novela da emissora no quesito qualidade, para piorar, “A Dona do Pedaço”, nova trama das nove, não é uma concorrente de peso, o que apenas acentua o quanto a trama tombou abruptamente.

    Veja Também

      Mostrar mais