A disputa pela herança de Gugu Liberato ganhou um novo capítulo. Após ser deixada de fora do testamento, Rose Miriam Di Matteo entrou na Justiça para ser reconhecida como parceira estável do apresentador e pediu uma pensão mensal no valor de R$ 100 mil – mesmo valor que Gugu deixou em testamento para a mãe, Maria do Céu. O juiz Galdino Toledo Júnior, do Tribunal de Justiça de São Paulo, analisou o caso e bateu o martelo.

Leia também: Desembargador cassa pensão de R$ 100 mil da viúva de Gugu Liberato

Rose Miriam Di Matteo e Gugu Liberato arrow-options
Reprodução
Gugu Liberato e Rose Miriam Di Matteo


Leia também: Ex de Gugu ataca Rose Miriam: “Crianças não merecem essa situação”

A decisão, tomada na última quarta-feira (5), foi divulgada pelo colunista Erlan Bastos nas suas redes sociais. No documento, está descrito que Rose Miriam deve continuar recebendo um valor semelhante ao que Gugu já dava a ela em vida para ajudar na criação dos filhos – gerados por meio de inseminação artificial.

Leia também: Viúva de Gugu aciona Leão Lobo na Justiça por difamação

Foi determinado pelo juiz que Rose Miriam receba um valor máximo de 10 mil dólares por mês, o equivalente a R$ 40 mil. Como a união estável não foi reconhecida, a viúva não tem direito a pensão alimentícia. Além é descrito que o valor da pensão, que acabou sendo fixada em R$ 42,5 mil , é o suficiente para ela manter o “pagamento dos encargos assumidos com empregados, despesas com educação e lazer, além da saúde física, mental e dentária dos filhos”.

    Veja Também

      Mostrar mais