O ator Brad Pitt concedeu uma longa entrevista ao The New York Times , publicada nesta quarta-feira (4), para promover seu novo filme, "Ad Astra", e falou bastante sobre masculinidade tóxica, um dos elementos vitais do longa dirigido por James Gray e que suscita comentários sobre uma possível indicação ao Oscar para o ator.  Nesse contexto, ele abordou o fim do casamento com Angelina Jolie .

Leia também: Grazi Massafera e Caio Castro se beijam na festa de Luciano Huck

Brad Pitt
Micaiah Carter/The New York Times
Brad Pitt posa para o fotógrafo do The New York Times

Quando Gray e Brad Pitt começaram a desenvolver o projeto, que é produzido pelo brasileiro Rodrigo Teixeira, em 2017, o ator estava em pleno furacão da separação. Ao NYT, Gray disse que não quis explorar isso com o ator. 

"Eu tinha problemas familiares acontecendo. Vamos deixar dessa maneira", disse Pitt ao entrevistador. "O fato é que todos nós carregamos dores e luto". À época foi reportado que a separação se materializou após uma briga a respeito do alcoolismo de Pitt em um jato particular. Ele se dedicou à recuperação da sobriedade após o fim do casamento - foi mais de um ano e meio de participação no Alcóolicos Anônimos - e comentou a respeito: "Eu levei as coisas o mais longe possível até o momento de remover meus privilégios com bebida".

Leia também: Filhos e carreira motivam discrição de Angelina Jolie em sua vida amorosa

"Você tem todos esses homens sentados e sendo abertos e honestos de uma maneira que eu nunca vi antes", observa Brad Pitt . "Foi esse espaço seguro onde havia pouco julgamento e pouco julgmanento meu sobre mim mesmo. Foi libertador poder expor as suas partes feias", relata.

    Veja Também

      Mostrar mais