Tamanho do texto

“Sempre nos perguntam se a gente namora, ou se temos uma quedinha por alguém do grupo", disse uma das vocalistas da banda

Durante os dias 10 e 11 os fãs loucos de K-pop do Rio de Janeiro e de São Paulo aproveitaram e muito a terceira visita de KARD ao Brasil. Jiwoo, B.M, J.Seph e Somin revelaram ao IG Gente que tiveram que enfrentar bastante preconceito na Coreia do Sul por serem uma banda mista (com dois homens e duas mulheres).

Leia também: Muito além do BTS: confira as bandas de k-pop mais populares da atualidade

Kard arrow-options
Reprodução/Instagram
Kard


“Sempre nos perguntam se a gente namora, ou se temos uma quedinha por alguém do grupo, só que não. É difícil para eles aceitarem que somos apenas um grupo trabalhando e que nos damos bem. Não somos um grupo de casais”, afirmou uma das vocalistas de Kard .

Leia também: Entre forró e brega funk: as versões mais diferentes do k-pop

Hoje, o grupo é um dos maiores grupos mistos de K-pop do país e bem reconhecidos aqui no Brasil, por isso a banda agradece todo o carinho que recebe dos fãs todas as vezes que está por aqui. “Graças ao grande número de fãs que temos aqui, podemos sempre fazer grandes shows com as nossas melhores performances. Agradecemos demais esse carinho que recebemos sempre de vocês”, disse BM em coletiva.

Eles percebem que a distância entre o Brasil e Coreia tanto geográfica quanto culturalmente já não é mais uma questão, na verdade se sentem cada vez mais próximos dos fãs brasileiros e, por isso escolheram a música Pesadão de Iza para fazer parte do show aqui.

Leia também: De Psy a BTS: a explosão do K-pop no Brasil vive seu auge

“Estávamos procurando uma música que fosse bem popular aqui no Brasil e acabamos descobrindo Pesadão . Ouvimos, Gostamos e durante o preparo a nossa maior dificuldade foi com a pronúncia, mas ensaiamos bastante para tentar chegar no cover mais parecido com a música original”, disse Jiwoo.

E não é que conseguiram?!