Tamanho do texto

Foi anunciado pelo deputado estadual Castello Branco que a mostra acontecerá com supervisão de um coronel reformado do Exército

A Cinemateca Brasileira, localizada na Vila Clementino, zona Sul de São Paulo, começou a ser frequentada por militares e políticos tidos como conversadores nos últimos meses. O motivo é que uma mostra de filmes militares está sendo organizada para o mês de outubro. As informações são da  Folha de S. Paulo .

Leia também: Stephen King ganha mostra com mais de 40 filmes inspirados em suas obras

Cinemateca arrow-options
Reprodução/Facebook
Cinemateca se prepara para receber mostra de filmes militares


Com um gigantesco acervo de rolos de filmes e documentos, a Cinemateca é a principal instituição do País quando o assunto é preservar e difundir o patrimônio audiovisual brasileiro. O local é administrado por uma organização social, porém é subordinada ao Ministério da Cidadania (que abriga o antigo MinC). Isso significa que a gestão possui características de gerenciamento privado, mas ainda possui influência política.

Em um vídeo gravado no dia 14 de agosto, o deputado estadual Castello Branco , do PSL, apareceu com a cúpula da Cinemateca para anunciar a realização da mostra de filmes militares. Ainda de acordo com a Folha , depois de falar sobre a importância do acervo, os militares citaram slogan da campanha de Jair Bolsonaro: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. A gravação terminou com uma continência dos militares do grupo.

Leia também: Novo filme de Karim Aïnouz vence mostra Um Certo Olhar em Cannes

Ainda este ano, estão previstos dez eventos e o Festival de Curtas é visto como o principal. Rodrigo Morais, um assessor especial da Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), organização que administra a Cinemateca, apoia a mostra de filmes militares e diz que receber visitas de escolas e um projeto de educação para o cinema também estão nos planos futuros.  

Quem está organizando a exibição é o coronel reformado do Exército, Lamartine Holanda e, segundo ele, as produções da mostra falarão sobre a participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Segunda Guerra Mundial. A Cinemateca cederá seu acervo de filmes, equipamentos e também o espaço para o evento marcado para acontecer entre os dias 10 e 13 de outubro.

Leia também: Problemas políticos e descaso marcam os 110 anos do Theatro Municipal do Rio

De acordo com Holanda, a Cinemateca será paga pelo serviço e o conteúdo da mostra não possui viés ideológico, mas sim histórico. Ele também garantiu que a mostra não tem ligação com nenhum partido e enfatizou que é pesquisador e consultor de cinema desde 1994.