Tamanho do texto

"A vida Invisível de Eurídice Gusmão" é o primeiro filme brasileiro a prevalecer na principal mostra paralela do festival de cinema francês

O novo filme de Karim Aïnouz, "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão" foi eleito o vencedor da mostra Um Certo Olhar no festival de Cannes 2019 , nesta sexta-feira (24). É a primeira vez que um longa brasileiro triunfa na principal mostra paralela do maior festival de cinema do planeta.

Leia também: Karim Aïnouz celebra recepção a seu "filme anti-machista" em Cannes

Eurídice Gusmão
Divulgação/Pedro Machado
"A vida invisível de Eurídice Gusmão" é obra do cearense Karim Aïnouz

A trama dá conta da trajetória de duas irmãs cariocas nos anos de 1950, cujos sonhos são soterrados pelo peso de uma sociedade machista. Fernanda Montenegro e Carol Duarte dividem o papel de Eurídice. 

Leia também: Diretor de “Azul é a Cor Mais Quente” se indispõe com jornalistas em Cannes

O júri da mostra Um Certo Olhar , que tem como objetivo exibir obras com linguagem experimental, foi presidido pela cineasta libanesa Nadine Labaki. O sueco "Border", que chegou ao Oscar na categoria de maquiagem em 2019, foi o vencedor em 2018. Outras ganhadores dessa competição são "A Imagem que Falta", "Dente Canino" e "Depois de Lucia".

"A Vida Invisível de Eurídice Gusmão"

O filme é baseado no romance homônimo de Martha Batalha. Júlia Stockler interpreta Guida, irmã de Eurídice. Gregório Duvivier, Marcio Vito e Nikolas Antunes também estão no elenco.

Este é o terceiro longa do diretor brasileiro apresentado em Cannes. Sua primeira participação foi em 2002 com o filme "Madame Satã". Retornou ao festival em 2011 com "O abismo prateado".

Veja o trailer


Outros premiados

Prêmio do júri: "Fire Will Come", de Oliver Laxe

Melhor Diretor: Kantemir Balagov ("Beanpole")

Melhor performance: Chiara Mastroianni ("On a Magical Night")

Prêmio Especial do Júri: Albert Serra ("Liberté")

Prêmio Especial do Júri: Bruno Dumont ("Joan of Arc")