Com apoio de mais de 100 pessoas no financiamento coletivo, a 2ª edição da FLIMA começa nesta sexta-feira (23) em Santo Antônio do Pinhal, interior de São Paulo. A Festa Literária da Mantiqueira terá mais de 80 atrações, sendo 69 delas gratuitas.

Leia também: Flip se expande para artes plásticas

FLIMA 2019 terá mais de 60 apresentações gratuitas durante três dias de evento
Reprodução/Facebook/FLIMA
FLIMA 2019 terá mais de 60 apresentações gratuitas durante três dias de evento

Mesmo sendo um evento literário e tendo o apoio da prefeitura da cidade, Roberto Guimarães, que idealizou e organiza o evento desde 2018, explica que realizar a FLIMA por meio do financiamento coletivo o ajuda a pensar no futuro do evento. “Aprendemos a fazer muito com pouco e quando tivermos um financiamento robusto, é o que eu espero que aconteça em breve, teremos aprendido a ser o mais econômico possível”, conta.

Roberto relembra que na primeira edição da Festa Literária, que aconteceu em setembro de 2018, ele precisou tirar dinheiro do próprio bolso para arcar com os custos do evento. “Quem bancou boa parte do evento fomos nós. Tivemos o financiamento, mas precisou tirar dinheiro do nosso bolso”, confessa.

O organizador revela que não vê problema em optar pelo financiamento coletivo para realizar este evento e compara as atrações da Festa Literária da Mantiqueira com eventos maiores. “É um evento grande para a cidade, com 69 atrações gratuitas e grandes nomes do mundo literário. Tem evento que com R$ 1 milhão não faz metade”, fala.

Nesta edição, o escritor homenageado é o mineiro de Ituiutaba, Luis Vilela e autor dos livros “Contos”, “Você Verá”, “A Feijoada e Outros Contos”, entre outros grandes títulos. Entre a lista de convidados está Ana Maria Machado que comemora 50 anos na literatura, Luiz Ruffalo e outros grandes nomes do meio literário.

Leia também: Longe da auto-ajuda, livros para jovens adultos passam mensagens positivas

A criação da FLIMA

Mesa
Reprodução/Facebook/FLIMA
Mesa "Passado presente" da FLIMA de 2018

“Foi uma junção de fatores. Sou de São Paulo e mudei pra cá em 2015. Cheguei aqui para fugir da loucura de São Paulo e com minha esposa e um filho pequeno, pensei ‘vamos viver uma vida tranquila’”, relembra Roberto Guimarães .

A sua mudança para Santo Antônio do Pinhal coincidiu com a inauguração do Auditório Municipal, local onde a Festa Literária acontece, e também com a última edição de um evento literário de São Francisco Xavier. “Era um evento literário da Mantiqueira e um projeto do Governo do Estado, era meio que a ‘FLIP de São Paulo’”, conta.

“Eu sempre mexi com cultura, fui me aventurando e entendendo como que era [a cidade]. Até que um dia eu pensei ‘acho que precisa desse movimento [literário]’. Ter acabado um evento que acontecia na região e ao mesmo tempo ter esse equipamento cultural incrível disponível, fez com que a FLIMA nascesse”, confessa.

Leia também: Festival de música e literatura movimenta o interior de São Paulo em julho

Quando questionado sobre a seleção dos convidados, Guimarães revela que "todos os autores estão indo sem receber cachê, mas sim porque acreditam na causa".  Ele ainda explica que ter o financiamento para produzir a Festa faz com que as pessoas que contribuíram façam parte de todo o processo.

“O legal do financiamento não é só o recurso, mas como gera o engajamento das pessoas, como elas se sentem donas daqui, eles acreditam na causa”, explica com orgulho da Festa. "Somos uma iniciativa cultural independente, usando a literatura, a promoção do livro e a formação dos leitores", conta Guimarães, que tem o intuito de trazer ainda mais crianças para a literatura.

Por acontecer em uma cidade turística, o organizador da Festa revela que o diferencial é juntar os turistas com os moradores do local: “É um evento que movimenta a economia, porém tem um diferencial: a festa é um evento para turistas e moradores”.

Para 2019, Roberto espera que o número de participantes nas atividades da FLIMA  triplique, considerando que em 2018 foram mais de 5 mil pessoas no evento. “Minha expectativa para esse ano é ver as pessoas sorrindo”, confessa deixando os números de lado. Para 2020? Bom, ele quer que o evento continue “expandindo e tenha menos problemas financeiros”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários