Tamanho do texto

Personagem sai dos holofotes no Universo Cinematográfico da Marvel após "Vingadores: Ultimato" e despedida faz jus à bela jornada no cinema

Capitão América
Divulgação
Bastidores de Capitão América: Guerra Civil

Se existe um herói infalível, embora ele não se veja dessa forma, no Universo Cinematográfico da Marvel é Steve Rogers, o Capitão América. Interpretado com devoção e brilhantismo por Chris Evans desde 2011, o primeiro vingador se despede dos holofotes de maneira bonita em “Vingadores: Ultimato”.

Leia também: Como Thor se tornou o vingador mais fanfarrão e importante do Universo Marvel

A moral incorruptível e o otimismo incorrigível são símbolos de um herói de tempos menos cínicos e obscuros, algo que Evans soube tangenciar em seus filmes, mas principalmente naqueles em que dividia a cena com Tony Stark (Robert Downey Jr).  Seu Capitão América também foi inseguro, generoso e corajoso, características difíceis de abordar sem cair no pieguismo, mas que o ator conseguiu driblar .

O personagem ostenta a melhor trilogia da Marvel , justamente aquela mais diversa, inteligente e criativa. “O Primeiro Vingador” (2011) foi uma matinê ao gosto dos anos 80, que estavam em alta à época do lançamento; já “O Soldado Invernal” (2014) inseriu o Universo Marvel no mundo da espionagem, sem deixar de introduzir elementos relevantes para a franquia. O longa marcou, ainda, a estreia dos irmãos Russo que comandariam os dois últimos “Vingadores” além de “Capitão América: Guerra Civil” (2016).

O derradeiro longa do personagem serviu como um grande clímax dentro do MCU, antes dos eventos patrocinados por Thanos (Josh Brolin), e apresentou um aprofundamento na relação dos filmes do estúdio. Afinal, além da presença maciça de outros personagens, Pantera Negra foi apresentado aqui.

Leia também: "Vingadores: Ultimato" trata Robert Downey Jr. como o Pelé da Marvel

Unanimidade

Chris Evans como Capitão América
Divulgação
Chris Evans em cena de Vingadores: Ultimato

Por tudo isso fica difícil negar a importância do vingador que é uma unanimidade entre os fãs. Muitos podem ter ficado do lado de Tony Stark em 2016, mas não alimentaram qualquer vestígio de antagonismo com Steve. Em um mundo marcado pela corrupção, violência e decepção, dá gosto torcer por alguém com os valores e obstinação do Capitão América no cinema.