Tamanho do texto

Um processo foi aberto por Tania Zarak por se sentir excluída ao engravidar

Tania Zarak, ex-executiva da Netflix, abriu na última terça-feira (2) um processo contra a plataforma de streaming, pois ela alega que foi excluída e posteriormente demitida após revelar que estava grávida.

Leia também: Vício em Netflix? Plataforma pode minar mais do que sua vida social

Tania Zarak e símbolo da Netflix
Reprodução/Twitter/Divulgação
Tania Zarak abriu um processo contra a Netflix, pois acredita que foi demitida por estar grávida


De acordo com informações do site “Variety”, Tania trabalhava na gerencia do setor que cuida das produções originais internacionais da Netflix em 2018. No início de novembro do ano passado, ela anunciou sua gravidez e, segundo ela, passou a ser excluída das reuniões e ignorada por seu gerente, Francisco Ramos.

Leia também: Intensificação da concorrência ameaça reinado da Netflix no streaming

A ex-executiva reclamou no RH da empresa e no mesmo dia foi chamada para discutir a situação em uma reunião com Francisco.

No processo que abriu, Tania alega que, durante esta reunião, ela procurou assegurar o gerente que ela poderia trabalhar durante a gravidez , mas quando falou que tiraria a licença de maternidade em maio notou que ele ficou “visivelmente agitado”. No dia seguinte, Francisco a demitiu.

Leia também: Netflix vai deixar público escolher final de suas produções em futuro próximo

A ação também alega que a empresa diz que oferece aos funcionários até um ano de licença maternidade para a mãe ter mais tempo para cuidar do seu filho, mas a verdade é que a Netflix “retalia secretamente” quem usa esse benefício. A plataforma de streaming ainda não respondeu ao processo e não se pronunciou sobre o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.