undefined
Divulgação
Cena de Uma Viagem Inesperada, que estreia nesta quinta (28) em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, Aracaju, Belém, Curitiba, Maceió, Manaus, entre outras

A relação do cinema brasileiro e argentino está cada vez mais intensa e somente nesta semana estreiam duas produções exemplares desse estreitamento especialmente benéfico para a percepção do público sobre o cinema nacional. Diferentemente de “Happy Hour – Verdades e Consequências”, “Uma Viagem Inesperada” pende mais para o lado argentino da equação.

Leia também: Crônica familiar, “Sueño Florianópolis” transforma Brasil em paraíso

Dirigido por Juan José Jusid, “Uma Viagem Inesperada” aborda com propriedade, sem deixar a ternura de lado, a dificuldade dos pais em lidar com o bullying nas escolas.

undefined
Ana Rovati
Débora Nascimento nos bastidores de Uma Viagem Inesperada

Esse distanciamento emocional é dilatado no longa por conta de Pablo (Pablo Rago, de “O Segredo dos Seus Olhos”) morar no Rio de Janeiro, onde atua como engenheiro de uma grande petrolífera, e o filho carente de maior atenção morar em Buenos Aires.

Alertado pela mãe de Andrés (Tomás Wicz) sobre seu comportamento errante e preocupante na escola, ele foi flagrado com uma faca na aula de geografia, Pablo retorna à capital argentina para passar um tempo com o menino e tentar entender o que está acontecendo. O timing, porém, é complicado. Sua namorada brasileira, papel de Débora Nascimento , acaba de se descobrir grávida.

A partir dessa intrincada trama, Pablo precisará aprender a se fazer mais disponível emocionalmente para as pessoas que gravitam o seu universo e, dessa maneira, o título do filme ganha nova e oportuna conotação.

 Leia também: Disney se prepara para medir forças com a Netflix e indica futuro do audiovisual

Viagem Inesperada?

undefined
Divulgação
Cena de Uma Viagem Inesperada: bullying em debate

Pablo é um tipo anacrônico. Egoísta, ele é um sujeito que não demonstra grande responsabilidade afetiva – prova disso é sua disposição de trair a namorada tão logo a oportunidade se apresenta durante uma viagem que faz para se aproximar de seu filho.

A maneira como Jusid e Rago abordam o personagem, com um registro entre o humor e o deslocamento, em que todos os personagens precisam alertar o protagonista de suas reiteradas falhas, ajuda a dimensionar sua evolução no curso do longa.

Leia também: Conceitualmente sofisticado, "Nós" usa o terror para fazer o público pensar

A opção por Débora Nascimento, que tem um papel pequeno, mas importante, se justifica pelo sucesso da novela “Avenida Brasil” na Argentina. O Rio de Janeiro que surge aqui, sobreposto a uma Buenos Aires de enquadramentos fechados, é o cartão postal, que reforça o viés da transitoriedade que atravessam esses personagens em "Uma Viagem Inesperada" .

    Veja Também

      Mostrar mais