Tamanho do texto

Coprodução entre Brasil e Argentina tem Débora Nascimento no elenco e faz abordagem inusitada da dificuldade parental em abordar o bullying escolar

Cena de Uma Viagem Inesperada, que estreia nesta quinta (28) em  São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, Aracaju, Belém, Curitiba, Maceió, Manaus, entre outras
Divulgação
Cena de Uma Viagem Inesperada, que estreia nesta quinta (28) em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, Aracaju, Belém, Curitiba, Maceió, Manaus, entre outras

A relação do cinema brasileiro e argentino está cada vez mais intensa e somente nesta semana estreiam duas produções exemplares desse estreitamento especialmente benéfico para a percepção do público sobre o cinema nacional. Diferentemente de “Happy Hour – Verdades e Consequências”, “Uma Viagem Inesperada” pende mais para o lado argentino da equação.

Leia também: Crônica familiar, “Sueño Florianópolis” transforma Brasil em paraíso

Dirigido por Juan José Jusid, “Uma Viagem Inesperada” aborda com propriedade, sem deixar a ternura de lado, a dificuldade dos pais em lidar com o bullying nas escolas.

Débora Nascimento nos bastidores de Uma Viagem Inesperada
Ana Rovati
Débora Nascimento nos bastidores de Uma Viagem Inesperada

Esse distanciamento emocional é dilatado no longa por conta de Pablo (Pablo Rago, de “O Segredo dos Seus Olhos”) morar no Rio de Janeiro, onde atua como engenheiro de uma grande petrolífera, e o filho carente de maior atenção morar em Buenos Aires.

Alertado pela mãe de Andrés (Tomás Wicz) sobre seu comportamento errante e preocupante na escola, ele foi flagrado com uma faca na aula de geografia, Pablo retorna à capital argentina para passar um tempo com o menino e tentar entender o que está acontecendo. O timing, porém, é complicado. Sua namorada brasileira, papel de Débora Nascimento , acaba de se descobrir grávida.

A partir dessa intrincada trama, Pablo precisará aprender a se fazer mais disponível emocionalmente para as pessoas que gravitam o seu universo e, dessa maneira, o título do filme ganha nova e oportuna conotação.

 Leia também: Disney se prepara para medir forças com a Netflix e indica futuro do audiovisual

Viagem Inesperada?

Cena de Uma Viagem Inesperada: bullying em debate
Divulgação
Cena de Uma Viagem Inesperada: bullying em debate

Pablo é um tipo anacrônico. Egoísta, ele é um sujeito que não demonstra grande responsabilidade afetiva – prova disso é sua disposição de trair a namorada tão logo a oportunidade se apresenta durante uma viagem que faz para se aproximar de seu filho.

A maneira como Jusid e Rago abordam o personagem, com um registro entre o humor e o deslocamento, em que todos os personagens precisam alertar o protagonista de suas reiteradas falhas, ajuda a dimensionar sua evolução no curso do longa.

Leia também: Conceitualmente sofisticado, "Nós" usa o terror para fazer o público pensar

A opção por Débora Nascimento, que tem um papel pequeno, mas importante, se justifica pelo sucesso da novela “Avenida Brasil” na Argentina. O Rio de Janeiro que surge aqui, sobreposto a uma Buenos Aires de enquadramentos fechados, é o cartão postal, que reforça o viés da transitoriedade que atravessam esses personagens em "Uma Viagem Inesperada" .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.