Tamanho do texto

Baseada nas histórias em quadrinhos de Gerard Way e Gabriel Bá, a produção da Netflix abre as portas para uma discussão sobre HQ's nacionais

Aproveitando o hype dos filmes de heróis, a Netflix investiu na série “The Umbrella Academy”, baseada nos quadrinhos escritos por Gerard Way, da banda My Chemical Romance, e com ilustrações do brasileiro Gabriel Bá.

Leia também: Netflix deve se unir a grandes estúdios em órgão de regulamentação do cinema

The Umbrella Academy
Divulgação
The Umbrella Academy

Em " The Umbrella Academy " 43 crianças nascem simultaneamente em diferentes lugares do mundo. Sabendo que os bebês têm superpoderes, um homem rico adota sete deles e começa a treiná-los para combater o crime. Já crescidos, cada irmão segue seu próprio caminho e só voltam a se reunir com a morte do pai adotivo.

Leia também: Segunda chance? Hulu pode salvar “Demolidor” e outras séries da Netflix

Advinda do universo das histórias em quadrinhos , e tendo um brasileiro na criação, a chegada da produção na plataforma de streaming, mesmo que secundariamente, aquece o mercado de brasileiro de HQ’s, que apesar de pouco reconhecido, têm suas riquezas.

Visando enaltecer o produto nacional, o iG Gente selecionou clássicos que também merecem ser descobertos pela grande mídia e, principalmente, pelo público:

  • “Vania e a Turma de Anexia”
Vania e a Turma de Anexia
Divulgação
Vania e a Turma de Anexia

Lançado em novembro de 2017, o quadrinho criado por Pedro D’Apremont e Gabriel Goés retrata a nação fictícia de Anexia, uma decadente república pós-soviética. Neste universo, os leitores conhecem a turma do Vania: um grupo de arruaceiros que vivem causando problemas e se jogando em aventuras banhadas à vodca e excesso de drogas.

  • Castanha do Pará
Divulgação
"Castanha do Pará"

Em outubro de 2017, “Castanha do Pará” sagrou-se o primeiro quadrinho a conquistar um Prêmio Jabuti. Criado por Didalti Jr, a obra independente, conta as aventuras de um menino-urubu que vive pelos cenários do tradicional mercado público Ver-o-Peso, em Belém. O personagem mora sob o céu aberto e sobrevive dos furtos e das migalhas de atenção que sobram do mundo ao seu redor.

Apesar de ter ganhado reconhecimento em 2017, a HQ foi lançado em 2016 e apenas pôde ter edição física graças a um financiamento coletivo.

  • Papa-Capim
Papa-Capim ganhou graphic novel de horror
Divulgação
Papa-Capim ganhou graphic novel de horror

Lançado em meados de 2016, primeira graphic novel do índio Papa-Capim, personagem de Maurício de Sousa, iniciou a MSP no universo do terror, trazendo histórias baseadas em textos que relatam a reação dos índios ao verem um homem branco pela primeira vez.

Temas como possessão, canibalismo, ataques, teor de violência e morte compõem a trama de maneira jamais vista no produto principal do autor, a “Turma da Mônica”.

  • Market Garden
Market Garden revive tempos antigos
Divulgação
Market Garden revive tempos antigos

Lançado em dezembro de 2017, o quadrinho de Bruno Seelig ficou conhecido por ter altas doses de nostalgia. Em suma, a história gira em torno de quatro amigos que, fartos de sofrer bullying, resolvem se unir para derrotar um inimigo em comum. Tudo isso enquanto lidam com problemas juvenis e a preparação para o vestibular.

À época da estreia, as ilustrações de Bruno foram comparadas com o universo da série “Stranger Things”, que resgata o imaginário dos leitores contando histórias de aventuras adolescentes.

  • Dupin
Dupin é inspirada em obras de Edgar Allan Poe
Divulgação
Dupin é inspirada em obras de Edgar Allan Poe

Nas bancas desde 2015, a obra Dupin, inspirada nos contos de Edgar Allan Poe, a obra retrata  dois primos, que após a morte do pai de um deles, que vivia em Portugal, são obrigados a viver juntos no Brasil.

Assim como na trama original, os dois personagens têm que lidar com o brutal assassinato de duas mulheres na rua em que moram e desenvolvem uma obsessão pela solução desse caso. Escrita por Leandro Melite, a obra já foi considerada pela editora Zarabatana um tesouro nacional.

  • Beladona
Beladona mostra os horrores de Samantha
Divulgação
Beladona mostra os horrores de Samantha

A HQ foi lançada em 2011 de forma independente na internet, “Beladona” chegou às livrarias em 2014 como graphic novel. Escrita por Ana Recalde e Denis Mello, a estória gira em torno de Samantha e se passa em dois universos: um que ela vive sua rotina tradicional, no Rio de Janeiro, e outro formado por seus maiores pesadelos.

  • Astromini
Astromini é aventureira e divertida
Divulgação
Astromini é aventureira e divertida

Fechando a lista está “Astromini”, lançada em janeiro de 2018. Em suma, a HQ retrata a jornada de uma exploradora, Shë, que têm uma missão: sobrevoar um ambiente inóspito e desconhecido. Todavia, um acidente faz com que ela desvie seu caminho. O clímax da gibi criada por Vencys Lao e Welton Santos ganha força quando o local que sobrevoava ganha uma nova perspectiva tornando-se um obstáculo a ser vencido.

Leia também: Netflix amplia presença no México e anuncia 50 novos projetos no País

Baseada nas histórias em quadrinhos escritos por Gerard Way, da banda My Chemical Romance, e com ilustrações do brasileiro Gabriel Bá, a série " The Umbrella Academy " já está disponível na  Netflix