Tamanho do texto

Filme de Joel Edgerton teve lançamento no Brasil cancelado e decisão foi apontada como censura. Filme não recebeu indicações ao Oscar

Toda temporada de prêmios é a mesma coisa: muitos filmes exibidos em circuitos fechados, festivais e algumas salas de cinema em NY e Los Angeles para serem considerados para o Oscar. Esse foi o caso de “Boy Erased: Uma Verdade Anulada”, filme de Joel Edgerton que foi exibido no TIFF 2018 e estreou em salas limitadas nos EUA em novembro.

Divulgação
"Boy Erased" teve lançamento cancelado no Brasil e autor acusou decisão de "censura"

O filme causou polêmica no Brasil no último fim de semana quando a Universal Pictures anunciou que ele não seria mais exibido no Brasil. Uma onda de burburinho surgiu, indicando que o motivo para “ Boy Erased ” não estrear por aqui seria censura.

Leia também: Melissa McCarthy  é indicada ao Oscar e ao Framboesa de Ouro no mesmo ano

O autor do livro no qual o filme foi baseado e roteirista do filme Garrad Conley foi o primeiro a apontar censura na decisão em uma publicação agora deletada no Twitter. A ele se seguiu o ator Kevin McHale, que fez uma série de posts no Instagram denunciando a censura pelo fato do filme ser LGBTQ+.

A Universal chegou a divulgar um comunicado explicando que a decisão não teve relação com censura, mas sim com orçamento, já que a divulgação do filme seria mais cara do que a possível bilheteria. O próprio presidente Jair Bolsonaro, acusado de ter liderado a censura, se pronunciou dizendo que não tem nenhuma relação com o fato de que o filme não será exibido.

Leia também: Esnobada! Veja quem ficou de fora e merecia uma indicação ao Oscar 2019

Censura ou não?

Richard E. Grant e Melissa McCarthy foramindicados ao Oscar e garantiram a distribuição brasileira de
Divulgação
Richard E. Grant e Melissa McCarthy foramindicados ao Oscar e garantiram a distribuição brasileira de "Poderia Me Perdoar?"

Não existe, de fato, nada que comprove que o longa foi censurado. É muito comum que filmes menores não sejam exibidos no Brasil na mesma época em que são lançados nos EUA, por falta de público. “Poderia Me Perdoar?”, que também tem temática LGBT+, não tinha previsão de estreia por aqui, mas por conta das três indicações ao Oscar acabou ganhando uma pequena distribuição pela Fox em algumas cidades.

“Corra!”, por exemplo, sucesso de bilheteria e surpresa da temporada de premiação, foi lançado nos EUA em fevereiro de 2018. Aqui, ele só chegou em maio, depois que já tinha virado hit. Com isso, o novo filme do diretor Jordan Peele, “Nós”, estreará na mesma data no Brasil e EUA.  

Outro filme que seria distribuído no Brasil pela Universal, “Bem-vindos a Marwen”, também teve distribuição cancelada, depois de fracassar nas bilheterias americanas. Outro exemplo recente, “A Noite é Delas”, da Sony Pictures, já havia ganhado até trailer brasileiro quando teve a exibição cancelada por conta da má bilheteria, saindo por aqui direto na TV e DVD.

Boy Erased

Divulgação
"Boy Erased"

O filme escrito por Conley é estrelado por Nicole Kidman, Russell Crowe e Lucas Hedges e conta a história de Jared Eamons (Hedges) que é encaminhado para um “tratamento de cura gay” por seus pais religiosos extremistas.

Leia também: Alfonso Cuarón e Spike Lee concentram disputa pelo Oscar de direção em 2019

O longa, baseado na experiência do próprio Conley, mostra a traumática experiência nesse projeto de conversão. Hedges chegou a ser indicado ao Globo de Ouro por seu papel, mas “ Boy Erased : Uma Verdade Anulada” acabou ficando fora do Oscar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas