Tamanho do texto

Filme vencedor do Globo de Ouro se vê no epicentro de uma grande polêmica com recuperação de entrevista antiga do diretor e de tweet recente de roteirista apoiando política xenófoba e controversa de Trump

Após ganhar dois Globos de Ouro no último domingo (06), o diretor Peter Farrelly pode ter sua expectativa para o Oscar um tanto podadas. Responsável pelo longa “Green Book: o Guia”, trama humanitária que traz a segmentação racial como mote, o portal The Cut reviveu uma entrevista de 1998 em que o diretor assume à revista Newsweek que mostrou o pênis para Cameron Diaz durante as filmagens de “Quem Vai Ficar com Mary?”.

Leia também: Após controvérsia, Academia decide adiar categoria de filme popular no Oscar

Peter Farrelly, diretor de
Divulgação
Peter Farrelly, diretor de "Green Book"

Conhecido por dirigir longas de comédia besteirol, em sua reportagem, o The Cut destacou que apesar de Peter Farrelly , diretor de " Green Book : o Guia", tentar se afastar do passado politicamente incorreto, nem sempre foi assim.

Leia também: Globo de Ouro radicaliza tendência e deve influenciar menos o Oscar em 2019

Na ocasião, Cameron Diaz chegou a comentar a situação. "Quando um diretor mostra o pênis dele na primeira vez que você o encontra, é preciso reconhecer o gênio criativo".

Procurado pelo veículo internacional, o diretor afirmou que mostrar o pênis para as atrizes não passava de uma “brincadeira”: "Eu era um idiota. Eu fiz isso há décadas e achava que estava sendo engraçado, mas a verdade é que estou constrangido e isso me envergonha atualmente. Eu sinto muitíssimo", lamentou ao The Cut .

“Green Book” e mais controvérsias

Cena de
Reprodução
Cena de "Green Book"

Além deste episódio, outra controvérsia pode colocar o longa de Farrelly fora da corrida pela cobiçada estatueta de Ouro. Em 2015, Nick Vallelonga, um dos roteiristas do filme escreveu um tuíte onde concordava com as afirmações de Donald Trump sobre uma suposta comemoração de muçulmanos após a queda das Torres Gêmeas.

"100% correto. Muçulmanos comemoraram quando as torres caíram. Eu vi, assim como você, provavelmente na CBS News local", escreveu Vallelonga. 

O posicionamento xenófobo de Nick ganhou forte repercussão não apenas pelo teor politicamente incorreto, mas pelo fato de o protagonista do longa, Mahershala Ali, ser muçulmano, mais especificamente o primeiro muçulmano a ganhar um Oscar .

E agora?

cena de
Reprodução
cena de "Green Book"

Leia também: Listamos dez filmes que vão estar no Oscar 2019

Diferente dos filmes anteriores do cineasta, " Green Book : O Guia" não têm a ver com o humor escrachado, mas sim com a inversão de papéis em uma época radical da segregação racial nos Estados Unidos. A obra estreou em 2018 e tem feito campanha para a tradicional premiação.

    Leia tudo sobre: Donald Trump

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.