Tamanho do texto

"The Kominsky Method" conta com a direção de Chuck Lorre, o criador de "The Big Bang Theory" e "Two and a Half Men". Produção aborda sabores e dissabores do envelhecimento e estreia nesta sexta-feira (16); saiba mais

Michael Douglas é o protagonista da mais nova aposta da plataforma de streaming Netflix . Trata-se de "The Kominsky Method", cuja estreia está prevista para esta sexta-feira (16). Por trás da direção da série está Chuck Lorre, criador de "The Big Bang Theory" e " Two and a Half Men ". A junção entre a atuação de Michael, a direção de Chuck e os serviços da plataforma de Streaming é motivo para criar altas expectativas.

Michael Douglas protagoniza
Reprodução/Instagram
Michael Douglas protagoniza "The Kominsky Method", a nova comédia da Netflix dirigida pelo criador de "Two and a Half Men"

Leia também: Michael Douglas chega aos 72 anos e dá lição de como triunfar em Hollywood

Na trama de "The Kominsky Method", Michael Douglas  dá vida a Sandy Kominsky, um professor de interpretação que se encontra numa fase decadente de sua carreira. O enredo gira em torno de sua relação com um amigo de longa data, Norman Newlander (Alan Arkin), e o modo como lidam com a velhice em Los Angeles.

Nas mãos de Chuck Lorre, a série representa um potencial cômico, principalmente se levando em conta o que o diretor e produtor já fez durante sua jornada neste cenário, com "Two and a Half Men" sendo um marco na comédia televisiva - embora seus últimos suspiros tenham sido infelizes - e tendo conquistado uma legião de fãs pelo mundo inteiro.

O toque pessoal de Chuck Lorre e o envelhecimento em Hollywood

Michael Douglas estrela série voltada ao envelhecimento em Hollywood, baseada na própria jornada do criador
Reprodução
Michael Douglas estrela série voltada ao envelhecimento em Hollywood, baseada na própria jornada do criador

Chuck Lorre não escondeu o embasamento em sua própria vida pessoal e em sua carreira ao longo dos anos ao criar "The Kominsky Method". A série tem como principal foco o envelhecimento dentro de Hollywood, e tem como inspiração a própria evolução do diretor.

Sendo assim, pode ser que Chuck traga por meio da comédia algumas denúncias do que viu ao longo de sua carreira e também momentos sombrios pelos quais tenha passado durante sua jornada. De qualquer modo, uma série que é construída sob a inspiração da vida do próprio diretor é, no mínimo, atraente.

O criador da série chegou até a dizer em entrevista ao The Hollywood Reporter  durante o AFI Fest: "À medida que você envelhece, as coisas estão acontecendo tão rápido e é muito fácil sentir como se estivesse em uma doca e o mundo é um barco se afastando de você. É desorientador".

Lisa Eldestein, atriz que está presenta na trama, também deu entrevista ao The Hollywood Reporter e falou sobre o envelhecimento representado na mídia: "Envelhecer é uma coisa importante de se olhar e falar, celebrar, rir e fazer parte de nossa compreensão e experiência no mundo".

Leia também: Nos EUA, Netflix já supera interesse por TVs aberta e paga 

A confiança da Netflix e a liberdade de Chuck Lorre

Série protagonizada por Michael Douglas é a primeira parceria entre Chuck Lorre e Netflix
Reprodução
Série protagonizada por Michael Douglas é a primeira parceria entre Chuck Lorre e Netflix

Em outras entrevistas, o diretor da série também já deixou claro que a liberdade concedida pela Netflix quando o assunto foi construir a série, propriamente dito, foi um fator positivo. É a primeira vez que Chuck firma parceria com a plataforma de streaming.

A diferença entre criar uma série voltada à televisão em comparação com a criação de uma série com o intuito unicamente de ir ao ar por meio do catálogo do serviço de streaming, somada com a liberdade que Lorre teve para construir a produção, pode gerar bons frutos aos espectadores.

Michael Douglas e o grande elenco envolvido na série

Michael Douglas e Alan Arkin protagonizam
Reprodução
Michael Douglas e Alan Arkin protagonizam "The Kominsky Method"

Outro fator que alimenta altas expectativas é o grande elenco. Além de Michael na interpretação do protagonista, Alan Arkin ("Argo" e "Pequena Miss Sunshine") e Lisa Eldestein ("Dr. House") também chamam a atenção por causa da atuação. 

Leia também: Vício em Netflix? Plataforma pode minar mais do que sua vida social

Arkin e o próprio Chuck apontaram aspectos positivos de ter Michael Douglas envolvido no elenco. Enquanto Arkin se referiu a isso como algo glorioso, Chuck também não escondeu a empolgação: "Foi um presente. Ele tem todos esses anos de experiência como ator e como produtor, então ele traz muito à mesa". A histórica parceria entre Douglas, Lorre e a plataforma de streaming fazem o público não esperar por menos que algo memorável.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.