Tamanho do texto

Carreira do astro que estava em decomposição volta a respirar com personagem que apresenta potencial para ser dos maiores da cultura pop

A escolha de Johnny Depp para viver o grande vilão da série “Animais Fantásticos” foi controvertida. Fãs de Harry Potter atacaram a decisão de J.K. Rowling de escalar o ator para viver Gellert Grindelwald, mas ela o defendeu com veemência nas redes sociais, na imprensa e sempre que a questão surgia durante a promoção do primeiro longa.

Leia também: Às vésperas de um novo "Piratas do Caribe", Johnny Depp tenta recuperar apelo

Johnny Depp como Grindelwald em cena de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald
Divulgação
Johnny Depp como Grindelwald em cena de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

Johnny Depp , para quem não se lembra, estava no olho do furacão após ser acusado de violência doméstica por sua ex-mulher, a atriz Amber Heard, em meio a um turbulento processo de divórcio . O ator também enfrentava numerosas ações judiciais contra ex-empresários e agentes, a quem acusava de tê-lo roubado, problemas em sets de filmagens e outras tantas encrencas que pareciam apontar para um ruidoso e melancólico fim de carreira.

Como se não bastasse todo esse cenário, a Disney sinalizou há poucas semanas que não tem planos de contar com Depp para o reboot de “Piratas do Caribe”, que foi o principal ganha-pão do astro nos últimos anos.

Johnny Depp e Amber Heard: divórcio turbulento
Reprodução/Youtube
Johnny Depp e Amber Heard: divórcio turbulento

Eis que surge “Os Crimes de Grindelwald” , que estreia mundialmente nesta semana, para mudar todo esse penoso status quo. O segundo filme da quintologia “Animais Fantásticos” tem o personagem do ator como principal eixo gravitacional e Depp está inspiradíssimo no papel. Depois de uma curta introdução em “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, o show agora é todo dele, que tem a oportunidade de criar uma figura sombria, algo exótica, mas radicalmente diferente de tudo o que vinha fazendo nos últimos 20 anos.

Grindelwald é literalmente a melhor coisa que poderia ter acontecido para a carreira de Depp. Para além da reconquista da confiança de Hollywood e dele mesmo nele como intérprete, o astro tem a oportunidade de criar um dos vilões mais emblemáticos da cultura pop e exorcizar toda a má vontade generalizada com ele simplesmente bancando o malvadão no cinema. Roda-gigante mais hollywoodiana do que essa poucas vezes vimos na história do cinema.

Incompreendido e revolucionário

Johnny Depp em cena de
Divulgação
Johnny Depp em cena de "Os Crimes de Grindelwald"

Grindelwald é mau, mas não podemos colocar um ponto final nessa afirmação e Depp se aproveita da ambiguidade que paira sobre o personagem para fazer uma composição minuciosa e cheia de gracejos oportunos. Há potencialmente uma frustração romântica muito grande norteando suas ações, assim como um desejo de se libertar do que considera ser uma “ditadura comportamental” a emanar do centro do poder bruxo e Depp compreende muito bem como ator essas inquietações que movem seu personagem.

Leia também: Johnny Depp se diz vítima de conspirações em Hollywood: "Um maldito circo"

Não se espante se começar a ver mais de Johnny Depp no futuro próximo e, em um contexto histórico, “Os Crimes de Grindelwald” e esse personagem tão sedutor e dramaticamente poderoso, serão apontados como os  responsáveis por mais uma improvável guinada na carreira de um dos maiores camaleões do cinema americano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.