Tamanho do texto

Músico se apresentou em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre em shows marcados por protestos políticos que foram além do palco; veja

A passagem de Roger Waters no Brasil foi recheada de polêmicas desde seu primeiro show, dia 9 de outubro, no Allianz Parque, em São Paulo, quando ele fez inúmeros protestos políticos. Em seu último show, na noite da última terça-feira (30), no Beira-Rio, Porto Alegre, o cantor repetiu a dose e protestou contra Jair Bolsonaro , o que causou muita polêmica (mais uma vez).

Leia também: Roger Waters chama Bolsonaro de fascista e é vaiado durante show em São Paulo

Passagem de Roger Waters no Brasil é marcada por polêmicas
Reprodução/Instagram
Passagem de Roger Waters no Brasil é marcada por polêmicas


Pensando nisso, listamos abaixo alguns dos momentos mais polêmicos da passagem de Roger Waters no Brasil durante seus shows em São Paulo, no Rio, Curitiba e Porto Alegre.

Roger Waters no Brasil protesta contra Bolsonaro

Shows de Roger Waters no  Brasil são marcados por protestos políticos
Reprodução/Twitter
Shows de Roger Waters no Brasil são marcados por protestos políticos


Em seus shows, Roger Waters atacou Bolsonaro de todas as formas. Além de exibir a frase "Ele não", adotada por eleitores contrários ao político, o cantor colocou o nome do Presidente eleito em uma lista de nomes "fascistas", sendo vaiado e aplaudido. Nos shows seguintes, ele censurou o nome de Jair Bolsonado com um tarja. 

Show investigado

Show de Roger Waters no Brasil é investigado
Reprodução/Instagram
Show de Roger Waters no Brasil é investigado


Por conta disso dessa onda de protestos, o TSE, Tribunal Superior Eleitoral, aceitou uma ação apresentada pela campanha de Jair Bolsonaro contra Fernando Haddad, a respeito dos shows. A produtora T4F Entretenimento e o ex-candidato petista foram acusados de realizarem propaganda eleitoral irregular.

Pouco tempo depois, Jorge Mussi, do TSE, descartou a ação movida pela campanha do Presidente eleito em que ele pedia acassação dos direitos políticos do candidato derrotado Fernando Haddad e sua vice, Manuela D'Ávila (PCdoB).

Leia também: Ministro da Cultura diz que Roger Waters fez campanha contra Bolsonaro em shows

Campanha ilegal e Caixa 2

Roger Waters no Brasil fez diversos protestos contra Bolsonaro
Reprodução/Twitter
Roger Waters no Brasil fez diversos protestos contra Bolsonaro


Em sua conta no Twitter, o Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, disse que o ex-Pink Floyd recebeu R$ 90 milhões para "fazer campanha eleitoral" contra o candidato à Presidência pelo (PSL).

Segundo o Ministro da Cultura, o músico fez "campanha ilegal e caixa 2" pela sequência de manifestações contra Bolsonaro no segundo turno das Eleições 2018. 

Protesto antes da proibição legal

Roger Waters no Brasil fez protesto antes de proibição legal
Reprodução/Twitter
Roger Waters no Brasil fez protesto antes de proibição legal


Durante show realizado em Curitiba um dia antes das eleições, Roger Waters também protestou e exibiu o "Ele Não" mais uma vez. Para cumprir a legislação eleitoral brasileira, pouco antes das 22h, as luzes do Estádio Major Antônio Couto Pereira se apagaram e, apareceu no telão atrás de Roger Waters: "Essa é a nossa última chance de resistir ao fascismo antes de domingo. Ele Não". Depois disso, a mensagem no telão dizia: “São 10h. Obedeçam a Lei”. 

Leia também: Roger Waters volta a protestar contra Bolsonaro pouco antes de proibição legal

Roger Waters e Lula

Durante passagem de Roger Waters no Brasil, músico pede para visitar Lula na cadeia
Reprodução/Instagram/ Fernando Frazão/Agência Brasil - 6.6.16
Durante passagem de Roger Waters no Brasil, músico pede para visitar Lula na cadeia


A passagem de Roger Waters no Brasil também ficou marcada pelo fato do ex-Pink Floyd pedir pra visitar o ex-Presidente Lula na prisão. De acordo com informações, os advogados do músico entraram com um pedido na Justiça para que o músico conseguisse  conhecer o ex-político na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde Lula está preso desde abril.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.