Tamanho do texto

Colombiana voltou a cidade sete anos depois de sua última passagem e destilou hits da carreira como Estoy Aqui e Hips Don’t Lie

Shakira passou sete anos longe do público paulistano e na noite deste domingo (21) fez o que pôde para compensar a demora em voltar. A cantora, que tem intimidade com os brasileiros e já passou por aqui diversas vezes, aproveitou para falar português e entregar seus maiores hits em show no Allianz Parque em São Paulo.

Shakira em show em SP após sete anos
Reprodução/ Instagram
Shakira em show em SP após sete anos

A colombiana subiu ao palco 15 minutos antes do previsto usando um look simples porém cheio de transparências, e já começou entregando para o público uma de suas principais faixas, Estoy Aquí . Um dos primeiros singles de sua carreira, a faixa  está presente em “Pies Descalzos”, de 1995, disco que daria visibilidade internacional a Shakira .

Leia também: Ministro da Cultura diz que Roger Waters fez campanha contra Bolsonaro em shows

Ela seguiu o momento nostalgia do show com outro clássico do mesmo álbum, Donde Estás Corazon e o público estava ganho. Ela seguiu com She Wolf e então ficou evidente que a cantora ainda não está 100% recuperada da cirurgia nas cordas vocais que a fez adiar a turnê. Sua voz estava baixa e em boa parte da música a voz do público sobressaia a sua. Assim se seguiu por boa parte do show, com ela se poupando e buscando tons que forçassem menos sua voz.

Shakira em São Paulo
Divulgação/Allianz Parque
Shakira em São Paulo

Nada, porém, que atrapalhasse o andamento da apresentação. Sempre falando em português, ela agradeceu aos fãs e ressaltou seu apoio “nos bons e maus momentos”.

A primeira etapa do show é dedicada a faixas de toda a sua carreira, mas que não ganharam o status de hit. Do disco novo, ela apresentou Nada , Amarillo , Me Enamoré e Chantaje , esta uma parceria com Maluma, que aparece no telão. E é justamente nesse momento que o show muda de ritmo e ela destila hits.

Leia também: Após simulação de sexo polêmica em show, cantor Ferrugem se retrata no Instagram

La Tortura , Loka , Rabiosa e Whenever, Wherever fazem o público cantar junto, mas é em Waka Waka que ela finalmente coloca todos para dançar. No bis mais músicas de “El Dorado”, Toneladas, seguida por Hips Don’t Lie . A noite termina com La Bicicleta que parece ser a música perfeita para encerrar a noite, com momentos na medida para dançar e soltar a voz.

A marca registrada de Shakira

Shakira em São Paulo
Divulgação/Allianz Parque
Shakira em São Paulo

Hips Don’t Lie só chega no bis, mas os movimentos da cantora, que já viraram sua marca registrada, a acompanham o tempo todo. Mais acanhados no começo,  ela eventualmente exibe seu rebolado de dar inveja, além da já tradicional dança do ventre.

Em ótima forma aos 41, ela apresenta um show sem nenhuma coreografia ou dançarinos. É só ela, sua banda e seu público. O figurino é discreto, assim como o palco, mas ela parece muito à vontade do começo ao fim. Toca guitarra e violão (decorado com uma foto do marido e dos filhos), se arrisca na bateria no final de Can’t Remember To Forget You e relembra o público diversas vezes como está feliz de estar de volta ao Brasil.

Leia também: Paul McCartney só melhora com a idade e faz show impecável em São Paulo

Uma chuva de papel picado marca o fim das duas horas de apresentação da cantora. A turnê El Dourado é dançante, como a carreira de Shakira , mas tem um ritmo menos acelerado, como se fosse esquentando aos poucos. Funciona e serve como uma linha do tempo de sua carreira. De Estoy Aqui até La Bicicleta ela reconta sua história e relembra os paulistanos do poder de se perder na música e na dança, nem que seja por algumas horas.

    Leia tudo sobre: músicas
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.