Tamanho do texto

O cineasta Cacá Diegues ("Deus é Brasileiro") foi eleito com 22 de 35 votos

Na tarde desta quinta-feira (30), a Academia Brasileira de Letras ganhou um novo integrante. Trata-se do cineasta Cacá Diegues , conhecido principalmente por longa-metragens como "Tieta do Agreste" e "Deus é Brasileiro". Seu projeto mais recente é "O Grande Circo Místico", que está para ser lançado em novembro deste ano.

Leia também: Poeta Antônio Cícero é eleito imortal da Academia Brasileira de Letras

O cineasta Cacá Diegues (
Divulgação
O cineasta Cacá Diegues ("Deus É Brasileiro") é o mais novo integrante da Academia Brasileira de Letras (ABL)

Cacá Diegues passou a ocupar a cadeira número 7 da Academia Brasileira de Letras após a morte de seu antecessor, o também cineasta Nelson Pereira dos Santos ("Vidas Secas"), que ocorreu em abril deste ano. A votação secreta foi feita nesta quinta-feira (30) e fez com que Diegues se sobressaísse sobre outros dez candidatos. Dentre 35 votos acadêmicos, Cacá conquistou 22.

Diegues nasceu no início dos anos 40 em Maceió e é considerado um dos fundadores do Cinema Novo. Responsável por 18 filmes, o cineasta teve suas produções exibidas em inúmeros festivais de cinema ao redor do mundo de grande nome (como é o caso do Festival de Cannes). 

Exilado na Itália e na França durante o período da ditadura militar, Cacá chegou a casar com a cantora Nara Leão, com quem teve dois filhos. Atualmente, é casado com a produtora de cinema Renata Almeida Magalhães.

O cineasta deixou para trás um total de dez candidatos à cadeira na ABL. Entre eles, o diplomata Pedro Corrêa do Lago e a escritora Conceição Evaristo . A cadeira número 7, que passou a ocupar nesta quinta, já pertenceu a nomes como Valentim Magalhães e Euclides da Cunha.

Leia também: Dez novos autores brasileiros para ficar de olho

Academia Brasileira de Letras poderia ter primeira mulher negra como integrante

A escritora Conceição Evaristo teria sido a primeira mulher negra a ingressar a Academia Brasileira de Letras, se fosse eleita
Richner Allan/ Divulgação
A escritora Conceição Evaristo teria sido a primeira mulher negra a ingressar a Academia Brasileira de Letras, se fosse eleita


A escritora e professora universitária Conceição Evaristo, uma das fortes candidatas, seria a primeira mulher negra a participar da ABL, se tivesse sido eleita à cadeira deixada por Nelson Pereira dos Santos. Houve uma petição em seu nome que já colheu mais de 20 mil assinaturas.

Conceição conquistou o Prêmio Jabuti, em 2015, com sua obra “Olhos d’água”. Escreveu inúmeros romances, como  “Ponciá Vicêncio” e  “Becos da Memória”.

Leia também: Clube de leitura por assinatura é o novo atrativo para apaixonados por livros

Atualmente, a Academia Brasileira de Letras conta com um total de 39 integrantes. Dentre os membros que fazem parte, apenas cinco são mulheres.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.