Tamanho do texto

O cineasta Cacá Diegues ("Deus é Brasileiro") foi eleito com 22 de 35 votos

Na tarde desta quinta-feira (30), a Academia Brasileira de Letras ganhou um novo integrante. Trata-se do cineasta Cacá Diegues , conhecido principalmente por longa-metragens como "Tieta do Agreste" e "Deus é Brasileiro". Seu projeto mais recente é "O Grande Circo Místico", que está para ser lançado em novembro deste ano.

Leia também: Poeta Antônio Cícero é eleito imortal da Academia Brasileira de Letras

O cineasta Cacá Diegues (
Divulgação
O cineasta Cacá Diegues ("Deus É Brasileiro") é o mais novo integrante da Academia Brasileira de Letras (ABL)

Cacá Diegues passou a ocupar a cadeira número 7 da Academia Brasileira de Letras após a morte de seu antecessor, o também cineasta Nelson Pereira dos Santos ("Vidas Secas"), que ocorreu em abril deste ano. A votação secreta foi feita nesta quinta-feira (30) e fez com que Diegues se sobressaísse sobre outros dez candidatos. Dentre 35 votos acadêmicos, Cacá conquistou 22.

Diegues nasceu no início dos anos 40 em Maceió e é considerado um dos fundadores do Cinema Novo. Responsável por 18 filmes, o cineasta teve suas produções exibidas em inúmeros festivais de cinema ao redor do mundo de grande nome (como é o caso do Festival de Cannes). 

Exilado na Itália e na França durante o período da ditadura militar, Cacá chegou a casar com a cantora Nara Leão, com quem teve dois filhos. Atualmente, é casado com a produtora de cinema Renata Almeida Magalhães.

O cineasta deixou para trás um total de dez candidatos à cadeira na ABL. Entre eles, o diplomata Pedro Corrêa do Lago e a escritora Conceição Evaristo . A cadeira número 7, que passou a ocupar nesta quinta, já pertenceu a nomes como Valentim Magalhães e Euclides da Cunha.

Leia também: Dez novos autores brasileiros para ficar de olho

Academia Brasileira de Letras poderia ter primeira mulher negra como integrante

A escritora Conceição Evaristo teria sido a primeira mulher negra a ingressar a Academia Brasileira de Letras, se fosse eleita
Richner Allan/ Divulgação
A escritora Conceição Evaristo teria sido a primeira mulher negra a ingressar a Academia Brasileira de Letras, se fosse eleita


A escritora e professora universitária Conceição Evaristo, uma das fortes candidatas, seria a primeira mulher negra a participar da ABL, se tivesse sido eleita à cadeira deixada por Nelson Pereira dos Santos. Houve uma petição em seu nome que já colheu mais de 20 mil assinaturas.

Conceição conquistou o Prêmio Jabuti, em 2015, com sua obra “Olhos d’água”. Escreveu inúmeros romances, como  “Ponciá Vicêncio” e  “Becos da Memória”.

Leia também: Clube de leitura por assinatura é o novo atrativo para apaixonados por livros

Atualmente, a Academia Brasileira de Letras conta com um total de 39 integrantes. Dentre os membros que fazem parte, apenas cinco são mulheres.