Tamanho do texto

Sucedendo o professor Eduardo Portella, falecido do dia 3 de maio deste ano, o autor e compositor ganhou a eleição com 30 votos e se tornou “imortal”

Na última quinta-feira, dia 10 de agosto, a Academia Brasileira de Letras (ABL) elegeu o novo ocupante da Cadeira 27 da instituição: o poeta, filósofo e compositor Antonio Cícero. O letrista, que sucede o professor e escritor Eduardo Portella, falecido do dia 3 de maio deste ano, ganhou a eleição com 30 votos.

Leia também: O brasileiro e a falta de gosto pela leitura: mito ou verdade?

Antônio Cícero é o novo ocupante da Cadeira 27 da Academia Brasileira de Letras
Reprodução/Twitter
Antônio Cícero é o novo ocupante da Cadeira 27 da Academia Brasileira de Letras

Junto com o novo imortal Antonio Cícero, concorreram também para ocupar a Cadeira 27 da Academia Brasileira de Letras os candidatos Alfredo Sirkis, Cláudio Aguiar, Eloi Angelos G. D’Aracosia, José Itamar Abreu Costa, Adenildo de Lima, Helio Begliomini, Delasnieve Daspet, Luís Carlos de Morais Junior e Felisbelo da Silva. Os ocupantes anteriores da Cadeira 27, fundada por Joaquim Nabuco, foram o próprio Joaquim, que selecionou o patrono Maciel Monteiro, Dantas Barreto, Levi Carneiro, Otávio de Faria e Gregório da Fonseca.

Na Academia, há quarenta cadeiras ocupadas por quarenta membros perpétuos, o que significa que só em caso de morte eles abandonam o cargo. Por esse motivo é que os ocupantes de cadeiras da instituição são chamados de “imortais”.

Antônio Cícero

Antônio Cícero Correia Lima se formou filósofo em 1972 pela University College London, da Universidade de Londres. Além da filosofia, na vida de Antonio também vive o ofício da escrita. Entre seus trabalhos do autor, estão os livros de poemas “Guardar” (1996), “A cidade e os livros” (2002), “Porventura” (2012) e, “O livro de sombras” (2010), que contou com a participação e parceria do artista plástico Luciano Figueiredo.

O autor e compositor também publicou outros trabalhos que não se restringem ao formato clássico de livros.  Entre eles, estão as obras de ensaios filosóficos “O mundo desde o fim” (1995), “Finalidades sem fim” (2005) e “Poesia e filosofia” (2012). Além de todos esses feitos, o letrista ainda tem entrevistas reunidas no livro de Arthur Nogueira, chamado “Encontros: Antonio Cícero” (2013).

Leia também: Flip registra recorde de autoras na programação: "É uma luta constante"

Antonio Cícero, atual ocupante da Cadeira 27 da Academia Brasileira de Letras (ABL), também tem prêmios recebidos. Em 2012, o letrista ganhou o “Prêmio Alceu Amoroso Lima – Poesia e Liberdade”, dado pela Universidade Candido Mendes e pelo Centro Alceu Amoroso Lima pela Liberdade.