Tamanho do texto

Algumas possuem imagens chocantes, outras manchetes bizarras; confira capas de revistas que causam certa vergonha alheia nos dias atuais

As famosas revistas que conhecemos nos dias de hoje passaram por uma longa história até alcançarem o status que possuem atualmente. As primeiras magazines chegaram ao Brasil em meados no século XIX, junto com a corte portuguesa. No entanto, as revistas brasileiras, que imitavam os modelos estrangeiros, só foram lançadas nas terras nacionais por volta de 1812, em Salvador.

Leia também: Com 57 kg, Fátima Bernardes celebra boa forma: "Acho que estou bem"

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Montagem por reprodução
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

Com o avanço das publicações e da própria comunicação, ainda mais com o surgimento da internet, muitas revistas antigas podem ser acessadas facilmente hoje em dia, tal facilidade tem seus prós e contras. Apesar de fazerem parte da história, muitas revistas antigas trouxeram suas capas imagens um tanto quanto vergonhosas.

Leia também: Mariah Carey revela luta contínua contra transtorno bipolar

Diante disso, nós do iG Gente vasculhamos o passado de algumas revistas e separamos publicações que causam um certo sentimento de constrangimento ao olharmos. Algumas com imagens chocantes, outras com manchetes bizarras. Então, não perca tempo e confira dez capas muito vergonha alheia de revistas antigas nessa volta ao passado:

1- Cid Moreira: O Jornal Nacional na Banheira (Caras -1993)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Divulgação
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

A capa da Revista Caras, que em 1993 trouxe Cid Moreira em uma cena bem íntima, e um tanto quando constrangedora, foi uma das mais comentadas da época. A imagem em que o jornalista, aparece em uma banheira de espuma, com as pernas para cima, repercutiu mundialmente. Dono de uma das vozes mais conhecida do Brasil, Cid mostrou sua casa de uma maneira como ninguém havia visto antes.

Leia também: Fim de uma era! Playboy deixará de ser vendida nas bancas

2- A mulher vista como carne (Hustler-1978)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Divulgação
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

Em 1978, a Revista Hustler foi às bancas com a seguinte capa: "Nós não vamos mais pendurar mulheres como pedaços de carne", gerando uma grande polêmica. Hustler foi conhecida durante muito tempo, por estampar apenas mulheres, que muitas vezes não eram vistas como um ser humano, e sim como um objeto carnal. A imagem levou aos leitores, a mensagem que o veículo, a partir de então, mudaria o seu posicionamento.

3- Fasolo: o cinto de couro do homem que ela ama (1983)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Divulgação
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

A propaganda que estampou a capa de uma revista com uma curiosa foto para vender cintos, em 1983, é uma das que causa vergonha alheia nos dias de hoje. Com o anúncio: "O cinto de couro do homem que ela ama”, exibindo uma mulher vestida com vários cintos, e ainda fumando, a imagem da revista geraria grande repercussão se fosse publicada atualmente.

Leia também:Caliente! Confira as 10 melhores fotos da modelo e influencer Alexis Ren

4- Sandy e Junior na Disney (2002)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Divulgação
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

A edição da Caras que trouxe Sandy e Junior como as estrelas da capa em 2002, é literalmente uma vergonha alheia. Tudo bem que os irmãos estavam no auge da carreira, mas o que é essa capa Brasil? Com uma foto em que a ex-dupla pop aparece com chapéus de bruxa com a manchete: "Não queremos sair do Brasil, mas temos medo da violência", a imagem chega a ser um tanto quanto intimidante.

5- Paulo Goulart aprova romance de Tônia & Marcos Paulo (Sétimo Céu - 1973)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Divulgação
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

Sétimo Céu foi uma revista de fotonovelas e variedades, publicada pela Editora Bloch, que circulou entre 1958 até o fim da editora no ano 2000, sendo a única revista a produzir suas próprias histórias na época. A edição de abril de 1973, que trouxe na capa a manchete: “Paulo Goulart aprova romance de Tônia & Marcos Paulo”, chega até a ser engraçada, mas no entanto, um pouco “sem noção”.

Leia também: Manifestações vivas: conheça os famosos que são pura arte

6- O X da questão – A folia de Itamar no Carnaval (Veja- 1994)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Divulgação
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

A capa da Veja de 1994, que trouxe o Presidente da República, Itamar Franco curtindo o carnaval no Sambódromo, no Rio de Janeiro, foi uma das mais (desa)vergonhosas dos anos 90. Um dos fatos que chamou a atenção na imagem foi que ele apareceu ao lado de Lílian Ramos, a modelo que desfilou sem calcinha.

“Vulgaridade, ingenuidade, esperteza, bebedeira e oportunismo se misturam na folia vã e inconsequente do camarote do poder”, escreveu a Veja. O episódio que foi considerado extremamente vergonhoso, além de prejudicar Itamar, também deixou uma imagem constrangedora do País. Na Itália, escreveram que o presidente se envolveu com uma estrela pornô. Na Alemanha, o caso foi rotulado de "O escândalo da calcinha".

Leia também: Ironia, decepção e festa: como os famosos reagiram à ordem de prisão contra Lula

7-  Samara Felippo Boa de corpo (Capricho -1990)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Divulgação
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

Qual foi a intenção dessa capa mesmo? Mostrar a atriz “boa de corpo”? A capa da Revista Capricho publicada nos anos 90, que trouxe Samara Felippo mostrando sua barriga, tragicamente segurando sua regata com a boca, é muita vergonha alheia. Se a proposta da imagem era ser sensual, eles erraram totalmente no conceito.

Leia também: Depois de autobiografia, vocalista do Iron Maiden vem ao Brasil a negócios

8- Queda de Ufo na Rússia (Ufo - 1998)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Reprodução
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

A revista Ufo, que é especializada em ufologia trouxe em sua edição de 1998, informações sobre as quedas de UFOs pelo planeta - em especial na extinta União Soviética, em 1969. Apesar do tema polêmico, essa é uma das capas que nos causam uma certa vergonha e, até medo, com esses “etezinhos estranhos” na capa. A edição ainda traz supostos contatos com ETs entre os índios do Xingu.

9 - Jânio: só falta agora o Catete (Manchete -1954)

Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia
Reprodução
Confira capas de revistas antigas que são símbolo de vergonha alheia

Com poucos recursos financeiros, Jânio Quadros teve uma campanha chamada de “o tostão contra o milhão”. Conhecido por ter conquistado uma grande experiência política em poucos anos, Jânio defendeu o combate à corrupção durante toda a sua carreira e, no final, enfrentou acusações da mesma.

Em 1954, quando concorreu contra Ademar de Barros ao governo de São Paulo, seu próximo passo previsto seria ocupar o cargo no Palácio do Catete. No entanto, o que aconteceu anos depois, foi um momento vergonhoso onde um presidente que proibiu o biquíni na transmissão televisada dos concursos de miss, acabou renunciando seu mandato.

10 - A dupla elétrica do Carnaval da Bahia (Veja - 1990)

Confira dez capas de revistas antigas que simbolo de vergonha alheia
Reprodução
Confira dez capas de revistas antigas que simbolo de vergonha alheia


A Veja é uma revista que trata temas variados de abrangência nacional e global. Reconhecida por dar notoriedade a assuntos que estão em alta, suas publicações geralmente são mais relacionadas à política. No entanto, essa edição de 1990, trouxe a dupla Pepeu Gomes e Moraes Moreira que na década ficou conhecida com música Preta Pretinha .

Contudo, é difícil entender o objetivo dessa capa, será que ela estaria fazendo uma homenagem ao jogo Twister com esse fundo de bolinha? Ou será que, em pleno a era do rock, eles estariam usando algum tipo de influência do movimento hippie que já havia passado há um bom tempo? 

Leia também: Celebridades sem pudores! Dez capas de revistas mais polêmicas já publicadas