Tamanho do texto

Média de idade da categoria, que tem Sam Rockwell como favorito absoluto pelo filme "Três Anúncios para um Crime", é de 65 anos. Confira a disputa

Da esquerda para a direita: Willem Dafoe, Woody Harrelson, Richard Jenkins , Sam Rockwell e Christopher Plummer
Montagem/divulgação
Da esquerda para a direita: Willem Dafoe, Woody Harrelson, Richard Jenkins , Sam Rockwell e Christopher Plummer

Não é exatamente sorte de principiante, até porque o americano Sam Rockwell, 49 anos e favorito ao Oscar de Ator Coadjuvante, é um veterano do cinema, mas fato é que ele é o único debutante entre os indicados na categoria em 2018. Pelo papel do policial racista e com alguma debilidade mental de "Três Anúncios para um Crime", Rockwell já venceu mais de 15 prêmios na temporada, incluindo o Globo de Ouro, o Critic´s Choice Awards, o SAG e o Bafta.

Leia também: Soberbo, “Três Anúncios para um Crime” captura América enfurecida da era Trump

Sam Rockwell em cena de
Divulgação
Sam Rockwell em cena de "Três Anúncios para um Crime"

Sam Rockwell é um ator tarimbado pelo cinema independente, onde consegue protagonizar filmes como “Lunar” (2009) e “A Condenação” (2010). É um ator que enseja tanta confiança que George Clooney o chamou para estrelar seu primeiro filme como cineasta, “Confissões de uma Mente Perigosa” (2002). Pelo papel, o ator recebeu o Urso de Ouro no Festival de Berlim.  Afagos da crítica não são novidade para Rockwell, mas prêmios são raros. Nesse sentido, o Oscar deve consagrar uma carreira marcada por muitos acertos e algumas aventuras por filmes mais comerciais como “Homem de Ferro 2” (2010).

Leia também: “Pequena Grande Vida” traz crítica certeira ao consumismo que vem da alma

Talvez a maior ameaça a Rockwell venha de seu colega de elenco Woody Harrelson . Na pele do xerife que sofre de câncer e é achacado por uma mãe enlutada que cobra resultados a respeito do assassinato de sua filha, Harrelson atinge outro momento maravilhoso como ator. Aos 56 anos, ele não é um estranho aos prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Por “Três Anúncios para um Crime”, ele recebeu sua 3ª indicação. Já havia concorrido como coadjuvante em 2010 por “O Mensageiro” e em 1997 como ator por “O Povo Contra Larry Flynt”. Daqueles atores a la Jack Nicholson que trafegam pelo drama e pela comédia com desenvoltura e em escalas minimalistas ou intensas, Harrelson é um ator frequentemente subestimado.

Já passou da hora da Academia premia-lo e aqui ele defende um atuação digna de prêmios, mas o buzz em torno de Rockwell já parece ter definido o páreo.

Woody Harrelson em cena de
Divulgação
Woody Harrelson em cena de "Três Anúncios para um Crime"

Veteranos em boa forma

Este é mesmo um ano dos atores veteranos. Tanto o é que a média de idade dos atores indicados é a mais alta da década. Nesta categoria, por exemplo, a média é de 65 anos. Certamente Christopher Plummer , 88, contribuiu decisivamente para essa estatística. Ele que já se tornara o ator, independente do gênero, mais velho a ganhar um Oscar competitivo em 2012 pelo filme “Toda Forma de Amor”, quando tinha 82 anos. Agora ele se tornou o mais velho indicado a um Oscar competitivo de atuação.

Plummer só teve seu trabalho acolhido pela Academia nessa década. Sua primeira indicação foi em 2010, também como coadjuvante, por “A Última Estação”. Indicado por “Todo o Dinheiro do Mundo”, filme no qual substituiu Kevin Spacey após a detonação do escândalo de assédio e abusos sexuais, Plummer caiu de paraquedas em uma disputa que lá em setembro, quando a corrida tem sua largada, ele nem sequer estava apto a participar. Pode ser a zebra perfeita.

Christopher Plummer em cena de
Divulgação
Christopher Plummer em cena de "Todo o Dinheiro do Mundo"


Richard Jenkins em cena de
Divulgação
Richard Jenkins em cena de "A Forma da Água"

Aos 70 anos, Richard Jenkins recebeu por “A Forma da Água” sua segunda indicação. Ele já havia concorrido a Melhor Ator por “O Visitante” em 2009. No filme de del Toro, ele interpreta o vizinho da protagonista, a jovem muda que se apaixona por uma criatura anfíbia. Jenkins faz um homem gay e velho que não sabe exatamente como se comportar em uma sociedade que recrimina tudo o que ele é. Sua interpretação é pautada pela ternura e leveza, mas não está no mesmo nível das três anteriores.

Willem Dafoe em cena de
Divulgação
Willem Dafoe em cena de "Projeto Flórida"

Já Willem Dafoe, outro ator frequentemente subestimado, chega a sua terceira indicação ao prêmio aos 62 anos de idade. Ele concorre pelo indie “Projeto Florida” e ganhou alguns prêmios da crítica no início da temporada, mas parece não ter nenhuma chance aqui. Dafoe chega ao Oscar, portanto,  nos mesmos termos em que concorreu em 2001 por “A Sombra do Vampiro” e em 1987 por “Platoon”. Ator daqueles que desaparece no papel, Dafoe tem uma carreira que combina com certo brilhantismo filmes indie, comerciais e incursões pelo cinema de outros países. Recentemente, por exemplo, estrelou “Meu Amigo Hindu” (2015), último filme de Hector Babenco.

Leia também: Esquisitice de “Trama Fantasma” adorna história de amor e conflito de gêneros

Todos os atores que compõem a categoria são frequentemente subestimados, apesar de Plummer já ostentar um Oscar. É justamente Sam Rockwell, pela idade e pelo favoritismo, quem pode reverter esse indesejado estigma com relativo sucesso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.