Tamanho do texto

O iG já assistiu a "Honor", episódio que marca o retorno da 8ª temporada de "The Walking Dead" neste domingo na FOX. Veja o que esperar do show

Divulgação
"Honor", 9º episódio da oitava temporada de The Walking Dead, foca em Carl

“The Walking Dead” retorna para a segunda parte de sua oitava temporada neste domingo (25). O 9º episódio, intitulado “Honor” , será exibido nos canais FOX e FOX Premium 2, às 23h30, simultaneamente aos EUA. A série retorna para o ato final do 8º ano em crise. Processos judiciais movidos por ex-produtores, troca de showrunners e uma negociação penosa com Lauren Cohan, que interpreta Maggie, pautaram o noticiário do programa durante o hiato.

Leia também: Focado em Ezekiel, episódio resgata valores que consagraram "The Walking Dead"

O episódio mantém o investimento nas linhas paralelas e em uma narrativa fragmentada. O primeiro fato notável em “Honor”, em relação aos oito episódios que vieram antes, diz respeito ao nível dos diálogos – mais bem escritos e conscienciosos dos conflitos dos personagens. “The Walking Dead” volta com o foco em Carl (Chandler Riggs), que vimos em maus lençóis no midseason finale por ter sido mordido por um zumbi.

Leia também: Veja as dez melhores séries disponíveis no app da FOX

Cena do episódio
Divulgação
Cena do episódio "Honor", que vai ao ar neste domingo (25) na FOX e marca retorno da 8ª temporada de The Walking Dead

“Honor” ressignifica a morte de Carl , mostrando que as circunstâncias foram diferentes daquelas que intuímos ao fim de “How it´s Gotta Be”. O episódio, que recebe a emoção com comedimento e autenticidade, honra um dos personagens mais importantes e impactantes da série. Seguramente um dos que mais cresceram com o show e que o propiciou momentos de tensão, reflexão e humanidade.

Ainda que a linha central do episódio seja Rick (Andrew Lincoln) e Michonne (Danai Gurira) confortando e chorando Carl, há outras linhas de ação se desenvolvendo no episódio. A oitava temporada, talvez mais do que qualquer outra, tem uma preocupação narrativa de ligar todas as pontas – e até a razão pela qual Carl foi mordido remete ao 1º episódio. Nem sempre, contudo, essa ligação é satisfatória. Na maior parte das vezes é apenas enfadonha. Não é o caso de “Honor”, porém, um episódio que funciona singularmente muito bem e, no contexto da série, representa mais uma oportunidade de evolução narrativa.

Leia também: Cinco razões que explicam péssimo momento de “The Walking Dead”

Carol (Melissa McBride) e Morgan (Lennie James) tentam resgatar Ezekiel (Khary Payton) depois dele ter sido sequestrado pelos salvadores e surge nesse arco mais algumas boas referências aos melhores momentos de “The Walking Dead”, como a perdição da infância neste mundo pós-apocalíptico e a nebulização dos conceitos de bem e mal e certo e errado.

Carol e Morgan partem no resgate de Ezekiel
Divulgação
Carol e Morgan partem no resgate de Ezekiel

Incerto precisar se “Honor” representa um reajuste de rota para “The Walking Dead”. Sem dúvida alguma se configura como uma oportunidade. A partida de Carl traz de volta um público que estava ficando indiferente à série e permite uma reconciliação narrativa. Os cliffhangers (ganchos) seguem interpostos – um especialmente interessante unindo Negan (Jeffrey Dean Morgan) e Rick. O episódio se resolve como um alerta de que as virtudes podem até reaparecer, mas só serão efetivas se os vícios forem embora.

    Leia tudo sobre: The Walking Dead
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas