Tamanho do texto

"A Forma da Água" deve liderar a corrida que terá como um de seus principais elementos a força feminina dentro e fora das telas. Indicações ao prêmio serão anunciadas nesta terça-feira (23). Veja a análise completa

Em uma tumultuada, altamente especulativa e extremamente politizada temporada do Oscar, as expectativas pelas indicações, que serão anunciadas nesta terça-feira (23), às 11h30 com transmissão para o Brasil do canal pago TNT, estão ainda mais inflamadas do que de costume. Tudo porque indústria, críticos e detratores esperam para ver como a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas vai formatar a corrida à luz de movimentos como o Times´s UP e o #MeeToo e com o #Oscarssowhite não tão distante no retrovisor.

Leia também: Consagração de Gary Oldman, força feminina e drama gay: o que esperar do Oscar?

Guillermo Del Toro orienta o elenco de
Divulgação
Guillermo Del Toro orienta o elenco de "A Forma da Água", que deve liderar a corrida pelo Oscar a exemplo de "Gravidade" e "O Regresso", de seus colegas mexicanos

“A Forma da Água”, que venceu o Critic´s Choice Awards e o prêmio do sindicato dos produtores, deve liderar a corrida pelo Oscar com algo entre nove e doze indicações, incluindo melhor filme, atriz para Sally Hawkins e direção para Guillermo Del Toro que parte para buscar a consagração que seus amigos mexicanos Alfonso Cuarón e Alejandro González Iñarritu já conquistaram com “Gravidade” e “Birdman” respectivamente.

Leia também: Delicado, "Me Chame pelo Seu Nome" contribui para fim do rótulo "filme gay"

A disputa por melhor filme, que deve ter entre os indicados ainda “Três Anúncios para um Crime”, “Corra!”, “Dunkirk”, “The Post: A Guerra Secreta”, “Projeto Flórida”, “Me Chame pelo Seu Nome”, “Eu, Tonya” e “Lady Bird”, se apequena diante de certos desafios postos à Academia. Acusados de assédio e violência contra a mulher como James Franco e Gary Oldman, cotados a melhor ator por “Artista do Desastre” e “O Destino de uma Nação respectivamente”, serão indicados?A Academia nomeará uma mulher na categoria de direção?

Espere refletidas nas indicações inquietações que repousam no seio da sociedade. Rachel Morrison deve ser a primeira mulher indicada ao Oscar em direção de fotografia por “Mudbound: Lágrimas sobre o Mississipi”, categoria que deve ter o veterano e injustiçado Roger Deakins concorrendo pela 14ª vez por seu trabalho primoroso em “Blade Runner 2049”, um filme que certamente terá presença menor do que deveria no Oscar.

Leia também: Soberbo, “Três Anúncios para um Crime” captura América enfurecida da era Trump

Autoralidade

Greta Gerwig, à direita, e sua protagonista em
Divulgação
Greta Gerwig, à direita, e sua protagonista em "Lady Bird": ano forte para mulheres e personagens femininas

A categoria de melhor diretor parece já ter quatro nomes certos, todos autores formais de seus filmes. Christopher Nolan deve finalmente ser reconhecido pelo brunch de diretores da Academia e ser indicado por “Dunkirk”. Além dele, Guillermo Del Toro ( “A Forma da Água” ) e Martin McDonagh (“Três Anúncios para um Crime”) e Greta Gerwig (“Lady Bird”) devem estar na lista. Gerwig se tornará apenas a quinta mulher indicada na categoria. Antes dela foram Lina Wertmüller por “Pasqualino Sete Belezas” (1975), Jane Campion por “O Piano” (1993), Sofia Coppola por “Encontros e Desencontros” (2003) e Kathryn Bigelow por “Guerra ao Terror” (2009).

A quinta vaga deve ficar entre Steven Spielberg, por “The Post” e Sean Baker, por “Projeto Flórida”.

Atuações

Margot Robbie deve ser indicada como atriz e produtora de
Divulgação
Margot Robbie deve ser indicada como atriz e produtora de "Eu, Tonya"

Este ano pode ser o primeiro ano desde 1977 que as cinco indicadas a melhor atriz defendem produções indicados a melhor filme. Será a primeira vez desde a flexibilização da categoria que passou receber até dez indicados em 2010. Margot Robbie (“Eu, Tonya”), Saoirse Ronan (“Lady Bird”), Frances McDormand (“Três Anúncios para um Crime”), Sally Hawkins (“A Forma da Água”) e Meryl Streep (“The Post”) devem ser nomeadas. Jessica Chastain, expert em campanhas de Oscar, pode roubar a 21ª indicação de Streep por seu trabalho em “A Grande Jogada”, outro dos muitos filmes dessa temporada focado em personagens femininas.

Entre os homens, Gary Oldman já está suficientemente consolidado na corrida para se ver fora do Oscar, mas com a cerimônia só acontecendo em março e com James franco eventualmente fora do páreo, suas chances de vitória se reduzem drasticamente. Daniel Day Lewis se despedindo da atuação, promessa dele, deve ser lembrado por “Trama Fantasma”, assim como a sensação Timothée Chalamet por “Me Chame pelo Seu Nome”. Outro nome que deve se garantir entre os indicados é o de Daniel Kaluuya (“Corra!”), uma indicação tão fora da caixa quanto a de Johnny Depp foi por “Piratas do Caribe: A Maldição do Perola Negra” em 2004, ainda assim motivo de comemoração.

A quinta vaga que antes era dada como certa para Franco pode aterrissar no colo de Denzel Washington, indicado ano passado por “Um Limite entre Nós” e de volta ao páreo por “Roman J. Israel, Esq.”), ou Tom Hanks (“The Post”), que não é lembrado desde “Naúfrago” (2000). Ambos veteranos, confiáveis e melhor: sem controvérsia a tiracolo.

Daniel Day Lewis em cena de
Divulgação
Daniel Day Lewis em cena de "Trama Fantasma", que deve lhe valer sua sexta indicação ao Oscar

A disputa pelos coadjuvantes pode reservar algumas surpresas como Michael Stuhlbarg,  presente em três filmes da temporada e fantástico em pelo menos um deles, “Me Chame pelo Seu Nome”, Michael Shannon, um favorito da academia e que está brilhante em “A Forma da Água”, mas nomes como Willem Dafoe (“Projeto Flórida”), Sam Rockwell e Woody Harrelson, ambos por “Três Anúncios para um Crime”, já parecem assegurados.

Entre as mulheres, certezas absolutas apenas as inclusões de Allison Janney (“Eu, Tonya”) que parte como favorita, e Laurie Metcalf (“Lady Bird”). Mary J. Blige (“MudBound”) e Hong Chau (“Pequena Grande Vida”) são possibilidades palpáveis. Potenciais surpresas são as atrizes de “Trama Fantasma”, Lesley Manville e Vicky Krieps.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.