Deputado Átila Nunes denuncia Latino ao MP por intolerância religiosa
Divulgação
Deputado Átila Nunes denuncia Latino ao MP por intolerância religiosa


Após as declarações de Latino ao Flow Podcast, apresentado por Monark e Igor Coelho, nesta quarta-feira (14), o deputado estadual pelo Rio de Janeiro, Átila Nunes (MDB), abriu uma denúncia contra o cantor no Ministério Público por intolerância religiosa. Em sua fala, Latino atribuiu a  morte de seu macaco Twelves, que faleceu após ser atropelado, a um ‘trabalho de macumba’ feito contra ele.

"Denunciei o cantor Latino ao Ministério Público por escarnecer publicamente de culto religioso, crime previsto no artigo 208 do Código Penal, agravado por ter sido em veículo de comunicação. Pedirei à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Segurança (DECRADI) que abra um inquérito e convoque o cantor para confirmar suas declarações preconceituosas no podcast Flow. Latino mostrou seu lado intolerante no aspecto religioso e deve responder pelas ofensas aos praticantes da Umbanda e do Candomblé, que não têm qualquer culpa pela decadência da carreira dele", informa o político em comunicado.

Em sua fala, Latino diz acreditar ter sido alvo de um 'trabalho da macumba' que acabou caindo sobre seu animal de estimação. “Dizem que foi macumba, né. Os caras falaram que foi macumba. Fizeram um trabalho pra mim que o macaco foi no meu lugar. Quem conhece o mundo espiritual pode dizer melhor”, afirmou o cantor, que alegou ainda que a informação veio de uma médium e de um profeta.

Latino ainda deu sua opinião sobre o que acha da religião espírita. "Nessa parada de centro espírita, nesse bagulho de macumba, os caras fazem trabalhos pesados pra infernizar a vida do outro. E aí fizeram um trabalho, sei lá, de ebó… Sei lá que porra que chama essa merda de ‘macumbaria’. Eu não acredito nessa porra. Ficar falando da vida alheia. A gente vê muito no meio artístico”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários