Cantora Joelma
Reprodução/Instagram
Cantora Joelma

Joelma virou assunto entre os moradores de um dos condomínios mais badalados de Goiânia, o Aldeia do Vale. Tudo por conta de uma confusão envolvendo também a sua filha Natália Sarraff e sua ex-assessora de imprensa, Rafaela Freitas. As duas estão sendo acusadas em dois processos diferentes por terem supostamente emprestado seus respectivos nomes para Joelma .

No caso de Natália, o proprietário de uma casa alega ter feito uma transação de compra e venda do imóvel diretamente com Joelma pelo valor cerca de de R$ 3,7 milhões. No entanto, garante que na hora de assinar o contrato, a cantora teria pedido para retirar seu nome do documento para incluir o de sua filha, se comprometendo a ser a responsável por quitar a dívida da compra - que no fim das contas acabou não se concretizando. É que Joelma combinou de dar uma entrada de R$ 120 mil, que seria paga em uma parcela de R$ 20 mil e outras 10 de R$ 10 mil, mas segundo o dono do imóvel, o restante do valor (cerca de R$ 3,5 milhões) teria ficado combinado de ser pago em abril de 2020, ou seja, quase um ano depois da data da assinatura do contrato.

Joelma se mudou para o imóvel enquanto pagava as parcelas, mas de acordo com os proprietários, a última foi quitada em outubro de 2019, restando um débito de seis parcelas a serem pagas. Na inicial do processo ainda consta que a cantora teria feito dívidas de condomínio, IPTU, luz e água, além de ter deixado o imóvel em estado de abandono com avarias, sujeiras e, inclusive, com o impecável jardim praticamente morto, como comprova laudo anexado na ação.

Joelma teria justificado a crise da pandemia como a responsável por ela não ter quitado as dívidas do imóvel. O valor desta ação em que Natália é ré ultrapassa pouco mais de R$ 500 mil, valor referente às parcelas não pagas, taxas de água, luz, IPTU e honorários advocatícios.

Já no caso de Rafaella, o proprietário de outro imóvel no mesmo condomínio afirma que a ex-assessora teria entrado com seu nome no contrato de locação, no final de 2018. Ele alega ter alugado a residência para a cantora por R$ 6,5 mil mensais. Segundo o proprietário, os alugueis começaram a atrasar já nos primeiros meses após o acordo ter sido firmado entre as partes.

Segundo consta na inicial deste segundo processo, em março de 2019, um pouco mais de três meses depois Rafaella teria entrado em contato com o proprietário afirmando que o imóvel já estaria disponível, uma vez que Joelma já teria comprado outra casa naquele mesmo condomínio. Ou seja, descumpriu o contrato sem notificação prévia. O autor da ação alega que Rafaela e Joelma demonstraram entender que não deveriam pagar multa contratual. O valor total desta causa é de cerca de R$ 30 mil referentes ao aluguel do mês de abril que não foi pago, multa pelos débitos quitados em atraso, além da multa contratual e honorários advocatícios.

A coluna procurou a assessoria de imprensa de Joelma, que disse que ia consultar os advogados da cantora, mas ninguém se pronunciou até o fechamento desta edição.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários