Tamanho do texto

A montagem do musical contou com dicas do próprio criador Stephen Schwartz. Além disso, a coluna Bastidores traz detalhes da parceira de Ludmilla com Silva, da exposição Vaivém e do filme do musical "Wicked"

Como uma instigante mensagem sobre o que é o extraordinário, o musical “Pippin” chega a São Paulo para uma curta temporada no Teatro FAAP. O espetáculo teve sua estreia original em 1972 e é um daqueles clássicos atemporais da Broadway . Com os anos, sofreu algumas alterações, mas continua atual levando o público a fazer questionamentos sobre poder, política e desejos pessoais – tudo isso de forma simples e por vezes divertida.

Leia também: "As Cangaceiras" é musical gratuito que evidencia força da mulher no cangaço

Totia Meireles arrow-options
Divulgação/Daniel Coelho
Musical "Pippin" conta com Totia Meireles no elenco


O musical conta a história do príncipe Pippin (João Felipe Saldanha), o jovem filho do rei Carlos Magno (Fernando Patau) que segue na busca do autoconhecimento e de encontrar um sentido para sua vida. Seu maior desejo é fazer algo extraordinário e toda essa trajetória é narrada pela mestra de cerimônias (Totia Meireles) junto com sua trupe.

A montagem de Charles Möeller Claudio Botelho contou com o auxilio do próprio letrista do espetáculo Stephen Schwartz – autor de outros de sucessos de bilheteria da Broadway como “Godspell” (1971) e “Wicked” (2003), além carregar prêmios como o Oscar, o Grammy e o Globo de Ouro.

Leia também: Disney aposta em ator brasileiro para produção latina: "Novo público"

Stephen veio ao Brasil acompanhar a estreia do espetáculo em São Paulo e falou que, desde a concepção, “Pippin” tem um viés político e é isso é o que torna o musical tão atual. O letrista comentou que teve conflitos com o Bob Fosse, que dirigiu o espetáculo original, mas vê um lado positivo nisso. Ele explicou que na época ele era muito jovem e se via como o próprio Pippin, já Bob tinha uma visão mais madura e cínica por ser mais velho e queria ver isso na personagem.

Pippin arrow-options
Divulgação/Daniel Coelho
Pippin é um jovem filho do rei Carlos Magno que busca o autoconhecimento


“Esse conflito entre mim e o Fosse foi o que fez o ‘Pippin’ ser o que é hoje porque isso acabou sendo transferido para os personagens e para a forma como a história é contada”, comentou Stephen. O final do espetáculo nunca foi um consenso entre eles e ideia de mudá-lo surgiu depois que o letrista viu uma montagem do musical em Londres. Em 2013, houve um revival da peça na Broadway e foi nessa época que os direitos para ser montado no Brasil foram comprados.

Ter uma parceria tão próxima com o dono de uma obra conhecida da Broadway foi uma novidade para o veterano Claudio Botelho . Ele confessou que não esperava uma relação tão próxima com Stephen, definido pelo brasileiro como uma pessoa muito generosa. “Foi a experiência mais rica que já tive na minha carreira”, revelou Claudio. “Pippin” é apresentado de sexta a domingo e os ingressos variam de R$ 75 a R$ 120.

*Com reportagem de William Amorim

Ludmilla está com tudo

Depois de vencer a “Dança dos Famosos”, a cantora Ludmilla segue divulgando o clipe da música Um Pôr-Do-Sol na Praia que gravou com Silva. O videoclipe foi lançado na sexta-feira (19) e está fazendo sucesso nas plataformas digitais.

Leia também: Globoplay aposta em Luan Santana para atrair mais assinantes

“Estou muito feliz e animada com essa parceria. Estar ao lado do Silva, que é um artista que eu admiro e gosto muito, foi incrível. A música traz uma vibe gostosa e leve para curtir com toda a galera. Espero que o público goste e cante junto conosco”, declarou a cantora.

Exposição "Vaivém"

Exposição Vaivém arrow-options
Divulgação/CCBB
Exposição "Vaivém" segue em São Paulo

A exposição " Vaivém " fica no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo, até o dia 29 de julho. De forma criativa, a exposição leva a uma construção da identidade nacional através de redes de dormir. Com um caráter trans-histórico, a exposição reúne artistas de diferentes contextos sociais e de diferentes períodos e regiões do país. A curadoria é de Raphael Fonseca e a mostra conta com cerca de 300 obras de coleções públicas e privadas.

Vem filme por aí?

Quem é fã da obra de Stephen Schwartz segue na expectativa para saber mais detalhes dos filmes inspirados nos musicais “Wicked” e “Pippin”. O autor dos espetáculos disse que ambos estão em processo de produção, entretanto o filme que contará a história da bruxa verde de Oz está mais adiantado, mas não tem previsão de estreia. Já Pippin está enfrentando uma dificuldade de ser traduzido para as telonas por se passar em um cenário circense.