Flavia Monteiro e Aretha Oliveira defendem a índole de Carla Diaz
Arquivo pessoal
Flavia Monteiro e Aretha Oliveira defendem a índole de Carla Diaz


Carla Diaz vem passando por um período difícil dentro do "BBB 21" por ter se envolvido com o grupo errado dentro do programa. Na noite deste domingo (7), a atriz foi colocada no Paredão (falso) pelo líder da semana, Rodolffo , com o discurso de que sua escolhida não tem "coerência e lealdade". Além disso, o cantor sertanejo falou que diversos participantes também pensam o mesmo sobre ela.

O iG Gente foi atrás de quem conhece Carla de verdade e que conviveu com ela durante anos. Para quem não se lembra, a atriz viveu a pequena Maria na novela “Chiquititas” - 1997 e 1999 -, e contracenou com diversas atrizes que hoje continuam sendo suas amigas na vida real. A convivência de todo o elenco era um verdadeiro “Big Brother”. As famílias e as crianças viviam, trabalham e estudavam no mesmo lugar.

Entre os momentos mais marcantes da novela, Carla gravou o clipe da música "Coração com Buraquinhos" com Flavia Monteiro, que interpretou a personagem Carolina. Ela, por sua vez, enumera que Carla sempre foi uma menina "tranquila, gentil, de bom caráter, honesta, verdadeira, leal e fiel a todos a sua volta". Por este motivo, Flavia rebate que o discurso dos brothers não condiz com a realidade.


“Acredito que ninguém muda o caráter e a índole por causa de um reality. Eles só têm um. Não acredito nisso”, afirma. “Lá de fato a gente vê quem é boa gente, com caráter transparente, como a Carla, e isso incomoda. Ela é muito fiel às pessoas, e os outros acham que ela está interpretando por ser atriz. A profissão dela é pegar um papel e interpretar um personagem na televisão, mas outra coisa é interpretar você mesma na vida, fingir que é algo dentro de um jogo. Não dá para sustentar isso nem que queira. Aos poucos as pessoas vão entender que não é jogo. Carla é isso: verdadeira, transparente, do bem e não tem malícia”, declara.

É da mesma forma que Aretha Oliveira pensa sobre sua amiga de tantos anos. Na época em que elas estiveram juntas no elenco, Carla ainda era muito pequena, mas a amizade também permaneceu na maioridade de ambas. A intérprete de Pata comenta que, apesar de morarem em cidades diferentes, o sentimento de irmãs ainda permanece intacto desde o fim da década de 1990.

“A gente se vê sempre que pode, seja quando ela estreia no teatro ou no aniversário dela que fui no ano passado. Também trocamos mensagens de telefone e o carinho se mantém vivo até hoje”, diz. “Desde pequena, ela sempre foi humilde, supercarinhosa e rapidamente se tornou o nosso xodozinho ali entre o elenco. Estava sempre no colo de todos, éramos muito grudadas”, comenta.

Marina Beluzzo, que interpretou Lúcia, tinha a mesma idade da sister na época de “Chiquititas”. As duas eram melhores amigas no elenco e lembra que viviam brincando de uma na casa da outra. Inclusive, ela conta que Carla reproduziu no BBB algo que era muito comum na infância da amiga: não conseguir segurar nada na boca enquanto cai na gargalhada.

“Em uma festa, a Carlinha estava com alguma coisa na boca, a fizeram rir e ela cuspiu tudo. Tenho várias lembranças dela fazendo isso”, lembra. “Aconteceram esses episódios algumas vezes no camarim também. A gente já deu banho de cuspe uma na outra”, se diverte.

Marina Beluzzo lembra com carinho das travessuras ao lado de Carla Diaz
Arquivo pessoal
Marina Beluzzo lembra com carinho das travessuras ao lado de Carla Diaz


Chiquitita no pejorativo

Você viu?

Algumas pessoas dentro do BBB usaram o trabalho de Carla Diaz de forma pejorativa dentro do jogo. Em uma discussão após uma festa, Karol Conká , tomada por ciúme de Bil, trocou farpas com a atriz e seu trabalho na novela foi usado de forma pejorativa pela cantora. Dias depois, Lumena Aleluia teceu críticas à sister, afirmou que a trama do SBT não tinha nenhuma atriz negra e que não seria “token de Chiquitita preta” .

Esses e outros comentários soaram muito mal aqui do lado de fora e o elenco que participou da novela ficou muito incomodado com o uso do nome do trabalho. Mariane Oliva, por exemplo, que interpretou Marian e hoje não tem mais uma vida artística, rebate que a novela foi um marco tão grande na televisão que até hoje é comentada e lembrada.

“Podemos observar isso facilmente porque a novelinha começou há mais de 20 anos, não era época de redes sociais e até hoje é tão falada, lembrada e querida por tantos. Para mim foi ótimo! Não trabalho mais nessa área, mas sempre recordo com muito carinho”, declara. “É um orgulho enorme! Não consigo nem mensurar o quanto a novela foi importante na minha infância e o quanto eu fico feliz em saber que foi tão importante na vida de tanta gente”, reforça Beluzzo.

Renata del Bianco, que interpretou Vivi e emprestou o figurino original usado atualmente por Carla em suas redes sociais, foi além: falou que um comentário em tom depreciativo como tem sido usado dentro do reality show é, no mínimo, uma tremenda falta de respeito.

“Não respeitam a história que vivemos porque não foi uma novela que passou desapercebida, foi um marco na televisão brasileira. Não importa se elas gostavam ou não, com certeza, elas sabem o sucesso que ‘Chiquititas’ teve, falaram para menosprezar. Talvez porque nenhuma delas teve todo esse sucesso. Inveja? Talvez”, pontua.

Flavia assinala as palavras da ex-colega de elenco e comenta que não consegue entender o porquê menosprezar o talento de alguém. “Eu poderia desdenhar o trabalho da Karol porque ela é uma rapper e eu não gosto do ritmo? Acho que isso é jogar sujo, baixo. Cada um com sua profissão, sua história. Você não pode menosprezar a profissão do outro. Foi um jogo baixo”, detona.

Mariane Oliva interpretou Marian Chiquititas quando conheceu Carla Diaz
Arquivo pessoal
Mariane Oliva interpretou Marian Chiquititas quando conheceu Carla Diaz


Virada de jogo

Na próxima terça-feira, o público vai escolher quem terá o direito de desfrutar do Quarto Secreto em um Paredão Falso, e Carla poderá ser uma das escolhidas. Se isso acontecer, o jogo poderá ter uma reviravolta e colocar a atriz como uma das favoritas ao prêmio máximo de R$ 1,5 milhão ou mesma leva-la à final do programa. Todas as atrizes concordam no mesmo ponto e acreditam que tudo possa acontecer daqui para frente.

“Acho que não tem nada fechado ainda até porque as pessoas aqui estão muito atentas e tudo muda o tempo todo. Hoje uma pessoa que é amada, amanhã é odiada. Sei que a Carla é uma pessoa do bem e sempre vou acreditar que ser do bem te leva mais longe. Então, eu tenho certeza que ela tem uma jornada bonita para fazer lá dentro e acredito, sim, que ela ainda possa sair como vencedora”, afirma Aretha.

Mariane acredita que, além do vencer, ela terá muito aprendizado para a vida particular dela fora do reality, mas Beluzzo e Renata preveem que a amiga sairá com o prêmio na mão.

“Ainda tem muito jogo pela frente e o Big Brother é cheio de altos e baixos. Acredito que, como ela está sendo uma pessoa verdadeira, então pode levar o cheque para casa”, aponta Beluzzo. “A Carlinha, apesar de pequena, ela não é mais criança, é um mulherão. Logo logo ela coloca o Arthur nos eixos, assim que o Projota sair. Ela é íntegra”, afirma.

Renata del Bianco abraça Carla Diaz pouco antes de ir ao BBB
Arquivo pessoal
Renata del Bianco abraça Carla Diaz pouco antes de ir ao BBB


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários