Tamanho do texto

A modelo Adriana Ross é apontada como facilitadora dos encontros de bilionário e amigos, como o Príncipe, com meninas menores de idade

O caso envolvendo o bilionário Jeffrey Epstein, morto em agosto deste ano, continua sendo investigado, enquanto novos nomes surgem. Um deles é o da ex-modelo Adriana Ross, que já chegou a ser questionada pela polícia sobre o envolvimento do Príncipe Andrew, filho da Rainha Elizabeth, nos casos de pedofilia de Epstein.

Leia também: Príncipe Andrew é afastado de compromissos reais pela Rainha Elizabeth

Jeffrey Epstein e Adriana Ross arrow-options
Reprodução/The Mirror
Jeffrey Epstein e Adriana Ross, acusada de facilitar encontro de bilionário com menores

O Príncipe Andrew , que era amigo de Epstein e frequentava o mesmo círculo social, já foi acusado de pedofilia ao manter relações com uma jovem de 17 anos, supostamente apresentada pelo bilionário. Já Ross seria responsável por apresentar jovens a Epstein.

Tabloides britânicos como o The Mirror e Daily Mail tentaram contato com a modelo, que se recusa a dizer alguma coisa. De acordo com o The Mirror, ela é uma das possíveis conspiradoras de Epstein que conseguiram imunidade em um acordo que o empresário fez na justiça em 2008. De acordo com o jornal, ela deixou os EUA na última semana ao lado do atual marido.

Entenda o caso

principe andrew arrow-options
Divulgação / Shutterstock
Príncipe Andrew

Jeffrey Epstein  era um dos bilionários mais bem relacionados dos EUA, visto com frequência ao lado de artistas, autoridades, como o ex-presidente Bill Clinton e o presidente Donald Trump, além de figuras da realeza, como Andrew, Duque de York. O empresário foi preso no dia 6 de julho, sob acusações de tráfico sexual envolvendo dezenas de meninas de até 14 anos. Quatro dias depois, foi encontrado morto em sua cela no Metropolitan Correctional Center, em Lower Manhattan. O resultado da autópsia concluiu que ele se enforcou.

Leia também: Abalado, Príncipe Andrew nega caso de abuso sexual

Com a morte do empresário, milhares de documentos relacionados a suas denúncias de abuso sexual  tornaram-se públicos — entre eles um processo movido por Virginia Roberts Giuffre contra o Duque de York. Na ação, a jovem afirma que Epstein e pessoas próximas a ele a coagiram para que tivesse relações sexuais com o filho da Rainha Elizabeth II. À época, ela tinha 17 anos.

Além disso, os documentos citam Johanna Sjoberg, que acusa o Príncipe Andrew de ter  tocado em seus seios em uma festa em 2001, quando ela tinha 21 anos. A mulher afirma que o incidente teria acontecido quando ela foi obrigada a sentar em seu colo para tirar uma foto.