Tamanho do texto

Paola Carosella rebateu ataques em seu perfil do Twitter; tudo começou quando a cozinheira fez um discurso sobre os "cidadãos de bem"

Não é de hoje que os apoiadores do presidente da república Jair Bolsonaro (PSL) criticam Paola Carosella, jurada do "MasterChef", no Twitter. Porém, nesta quarta-feira (14) a chef resolveu tirar um tempo para esclarecer alguns pontos. 

Leia também: Depois de recusar papel em "A Dona do Pedaço", Globo não renova com Bianca Bin

Paola Carosella arrow-options
Divulgação
Paola Carosella

Desafiada por uma seguidora, identificada como Lara, a servir pão com mortadela em seu restaurante "nada socialista", a jurada do " MasterChef " rebateu dizendo que serve há tempos.

Leia também: Paola Carosella se envolve em confusão no Twitter após ironizar João Doria

"Faz tempo! Mortadela artesanal feita por nós com pão de fermentação natural, uma delícia! Eu não sou socialista Larinha, eu sou uma empresária muito bem-sucedida e ainda tenho voz própria e opinião, e quando discordo de alguém não o faço atacando com pobres frases toscas", respondeu a Paola Carosella .

Ao ver uma usuária do Twitter criticar Manuela D'avila e Jean Wyllys, Paola replicou: "Carla, você tem capacidade de análise político e social? Consegue discordar sem o discurso ineficaz e bronco do PT e a Venezuela? É fundamental para o País ter a capacidade de crítica, de observação e de revolta, mesmo se você votou no atual presidente".

Outra internauta, chateada com o quebra-pau, publicou: "Paola, você na cozinha é bem melhor, não mexe em time que está ganhando, amor". Em resposta, a cozinheira alfinetou: "O que tem a ver uma coisa com a outra? Eu posso cozinhar e pensar ao mesmo tempo, opinião tenho o tempo todo, e até agora tem funcionado bastante".

Leia também: Jurada do "Masterchef" é xingada de "vaca escravocrata" após falar de política

A briga entre os internautas e a jurada do " MasterChef " começou quando ela criticou os "cidadãos de bem". "Cidadaõs do bem, armados até os dentes, cidadãos do bem que matam em nome de Deus, que estupram em nome de Deus, que discriminam em nome de Deus, que desmatam em nome da Pátria, assasinam lideranças indígenas, mulheres, negros, em nome da paz", refletiu ela na rede social.