Tamanho do texto

A estrela de "Star Wars" contou que os comentários ofensivos reforçaram uma narrativa que ela ouviu durante anos, mas que isso não importa mais

Kelly Marie Tran se pronunciou pela primeira vez sobre os comentários machistas e racistas de que foi alvo após o lançamento de "Star Wars: Os Últimos Jedi". Em entrevista uma carta publicada pelo  The New York Times , a atriz  contou como se sentiu ao sofrer preconceito por ser mulher e asiática.

Leia também:Após "Han Solo", o que esperar do futuro de "Star Wars" no cinema?

Atriz de Star Wars fala sobre caso de racismo e machismo
Divulgação
Atriz de Star Wars fala sobre caso de racismo e machismo

“As palavras pareciam confirmar o que aprendi ao crescer como uma mulher e uma pessoa de cor: pertenço às margens, válida apenas como uma personagem menor nas suas vidas e histórias”, disse a estrela de " Star Wars " sobre os comentários ofensivos.

Leia também:Disney é reprovada por fãs de “Star Wars” e futuro da saga pode ser prejudicado

"E as palavras deles reforçaram a narrativa que ouvi durante toda a minha vida: que eu era o 'outro', que não pertencia, que não era boa o suficiente simplesmente porque não era como eles. Percebo agora que esse sentimento foi e é vergonha pelo que me torna diferente, vergonha da cultura da qual vim. E, para mim, o mais decepcionante é que senti tudo isso”, ressaltou.

A atriz também revelou que já se culpou por ser asiática e por não ser magra como os estereótipos do cinema geralmente buscam. "Durante meses, entrei em uma espiral de ódio, entrei nos recessos mais sombrios da minha mente, lugares onde me rasguei, onde coloquei as palavras deles acima da minha própria autoestima."

Apesar de ter passado um longo tempo, com os 'olhos vendados' Kelly Marie Tran afirma que conseguiu se libertar e superar obstáculos. "Foi então que percebi que fui enganada. Fizeram uma lavagem cerebral em mim para que acreditasse que minha existência foi limitada às fronteiras da aprovação do outro. Me fizeram acreditar que meu corpo não era meu, que sou bonita apenas se outra pessoa acredita nisso, independentemente da minha opinião.”

“Ouvi isso várias vezes da mídia, de Hollywood, de empresas que lucram com as minhas inseguranças, me manipulam para que compre suas roupas, suas maquiagens, seus sapatos para preencher um vazio que foi perpetuado por eles em primeiro lugar", explicou ela.

Leia também: Harrisson Ford aprova Alden Ehrenreich como Han Solo: "Acertou em cheio"

"Star Wars" fez Kelly Marie crescer

A atriz de Star Wars foi alvo de comentários ofensivos
Reprodução
A atriz de Star Wars foi alvo de comentários ofensivos

Kelly Marie ainda disse que se sente grata pela oportunidade que teve no cinema. "Esses pensamentos surgem na minha cabeça toda vez que pego um roteiro ou um livro. Sei que a oportunidade que tive é rara. Sei que pertenço a um pequeno grupo de pessoas privilegiadas que vive para contar histórias, que são ouvidas e vistas por um mundo que, durante tanto tempo, só provou a da mesma coisa. Sei o quão importante isso é. E não vou desistir".

Confirmada no elenco do Episódio IX da saga, que chega aos cinemas em 20 de dezembro de 2019, a atriz ainda contou o quanto a conquista de seu papel foi importante para ela e deixou seu recado: "Vocês podem me conhecer como Kelly. Sou a primeira mulher de cor a ter um papel de protagonista em um filme da franquia " Star Wars" . Sou a primeira mulher asiática a aparecer na capa da Vanity Fair . Meu nome verdadeiro é Loan. E só estou começando".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.