Melhem participou de campanha contra assédio sexual feminino
Globo/Reprodução
Melhem participou de campanha contra assédio sexual feminino

Após pipocarem uma série de denúncias de assédio sexual e moral praticadas pelo ator e diretor Marcius Melhem , um perfil no Twitter resgatou uma participação do humorista em um debate no Altas Horas, da Globo, cuja pauta era justamente a violência e assédio contra a mulher. Na ocasião, Melhem posou com o cartaz da campanha Eu Não Mereço Ser Estuprada.

O programa foi ao ar em 2014, dia 5 de abril de 2014. Participaram da conversa Claudia Leitte, Juliana Paes e Marcelo Adnet, com mediação da escritora e jornalista Nana Queiroz.

O ator se pronunciou na última quinta-feira (3) sobre as denúncias, e disse que entrou com ação contra a advogada Mayra Cotta, que representa as mulheres e testemunhas que o acusam de assédio, para que ela prove as denúncias.

"Uma advogada devia ser a primeira pessoa a acreditar na lei, e não buscar justiça pela imprensa. A justificativa que ela usa de que as vítimas teriam medo de se expor, as vítimas estão expostas, estão completamente expostas. Não tem ninguém mais exposto hoje que a Dani Calabresa."

Dani Calabresa, uma das assediadas, também se manifestou pela primeira vez ontem (4) sobre os novos detalhes das denúncias de assédio moral e sexual reportadas na Piauí.

"Nunca quis ser vista como uma mulher assediada", afirmou Calabresa, em mensagem postada nas redes sociais. "Mas para recuperar a minha saude, precisei me defender. Nunca procurei a imprensa. Tomei as medidas cabiveis para conseguir ajuda. Tudo e muito dificil, dá medo, vergonha, mas temos que lutar por respeito e justica. Nao passarao. Assedio e crime!"

O movimento Me Too Brasil divulgou uma nota de apoio à atriz. "Dani Calabresa sofreu calada durante anos. Foi assediada diversas vezes, viu seus sonhos serem despedaçados e ainda enfrentou desconfiança e inúmeras dificuldades para denunciar a série de abusos que sofreu de seu ex-chefe, Marcius Melhem. O Me Too Brasil apoia sua atitude de denunciar, sua força é o exemplo que precisamos para ajudar a diminuir os casos de assédio no Brasil e no mundo", diz o comunicado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários