Primeiro eliminado do "Aprendiz Celebridade" fala ao iG sobre sua reação na saída do reality e se diz aliviado: "Estou gostando muito mais de assistir do lado de fora"


Nico Puig esteve longe da TV desde 2011. Um pouco - ou muito -, por opção. Depois de finalizar seus trabalhos na novela “Amor e Revolução”, do SBT, o ator negou, por duas vezes, o convite para participar do reality “A Fazenda”, da Record. "O que me impediu de fato, mesmo ficando envaidecido com o convite, é o fato de passar três meses tomando banho de sunga. Não comprei o ‘meu’ em três vezes sem acréscimo. Preciso higienizar direitinho. Isso iria me deixar muito agoniado. E essa coisa de dividir quarto também. Já fui da fase de acampamento, tenho ótimas lembranças, então não quero estragá-las”, explicou Nico durante visita à redação do iG , em São Paulo.

Nico Puig
Edu Moraes
Nico Puig

Enquanto negava os convites, Nico participava do primeiro musical de sua carreira, o “Café Cabaret”, se dedicava a seu trabalho como artista plástico e seguia como padrinho do projeto “Diga Não à Leishmaniose”.

Isso antes de repensar sua participação em realities e aceitar integrar a equipe do “Aprendiz Celebridades”, da Record. Desta vez, ele disse sim.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias nos famosos

“Eu acho que o ‘Aprendiz’ tem um embasamento que me instiga. O fato de ser uma zona que não é a minha de conforto... Tem também minha admiração por esse mercado empresarial, e eu muito ouvia falar de Roberto Justus na minha casa. A admiração que tenho por ele como empresário, comunicador, cantor, escritor... Gente, ele me abre um leque de opções", afirmou Nico, que apesar da empolgação para disputar o prêmio de 1 milhão de reais, foi o primeiro eliminado do jogo. "O fato de eu ter sido demitido por ele dentro do jogo não me desmerece. Só me abre a possibilidade de ter tido contato com ele (Roberto Justus) e quem sabe um dia ele lembrar de meu nome para algum musical ou alguma coisa que a gente possa trocar figurinhas”, afirmou.

“Eu não sou a personagem bad boy, eu não sou os vilões, os estupradores, os drogados".

Lágrimas

Na ocasião da demissão, Nico ficou bastante emocionado, mas nega ter chorado. “Revi a cena por diversas vezes. Me vi com a voz embargada, que é a mesma coisa, afinal”, analisa, reforçando a admiração por Justus. “Sou um cara que trabalha com reciclagem, sou ator, escrevo contos e poemas... como não vou admirar esse cara?”.

As lágrimas – ou apenas emoção – também foram por outro motivo. “É um pouco de vergonha, também, de não poder ter me superado dentro daquela tarefa mesmo achando que eu fiz bem e que existiram outros motivos para minha demissão de fato”.

A sensação de fracasso desapareceu na manhã seguinte, quando participou do programa “Hoje em Dia”, na mesma emissora, logo após sua demissão. “Acho que o maior alívio que senti foi quando saí cabisbaixo , envergonhado, e comecei a encontrar algumas pessoas e elas mostraram que, com prêmio ou sem prêmio, eu era vencedor para elas”, explicou Nico sem conter as lágrimas novamente.

“Isso me aliviou de fato. No dia seguinte, eu estava em um programa matinal da Record e eu percebi que eu estava ao lado de um humorista incrível e me diverti com ele. Nesse momento, falei: ‘que bom, passou’”.

Demissão

Eu sei o que Justus procura no programa: o que dá ibope”

Nico elogiou a forma como Justus o demitiu. O ator afirmou que o apresentador foi bastante polido em seu discurso. “Para mim, o que veio de pérolas de delicadezas foi um plus, um ganho. Eu estava esperando uma porrada maior. Até porque quando fui convidado para fazer o programa, eu sabia do que se tratava. Eu sei o que ele procura no programa: o que dá ibope”.

Nico considera que este foi seu maior erro na atração: não ser polêmico. Mas não se arrepende. “Eu não sou a personagem bad boy, eu não sou os vilões, os estupradores, os drogados”, falou em referência aos personagens que interpretou nas novelas e que fizeram com que muitos o comparassem a esse perfil. Uma vontade do ator, aliás, é fazer um mocinho nas tramas, um personagem do bem, longe de um estereótipo criado ao longo de sua carreira e iniciado na novela “Olho por Olho”, nos anos 1990, quando viveu o paranormal Fred.

“Também não sou santo. Sou uma pessoa temperada, tenho sangue catalão. Mas procuro cada dia fazer o meu melhor, tratar o outro como quero ser tratado. Então, de certa forma, eu achei legal, saí bem, saí feliz . Se eu não fui a personagem que eles gostariam que eu fosse, que a imagem que a televisão criou, desculpa, mas eu não sou aquilo. Eu sou o Nico. E o Nico é coração mole, sim”, explicou o ator.

O maior alívio que eu tive foi quando eu saí cabisbaixo , envergonhado, e algumas pessoas me mostraram que, com prêmio ou sem prêmio, eu era vencedor para elas"

Nico ainda ressaltou que o prêmio final faria muita diferença em sua vida, embora ele reconheça que muita gente diz que ele tem uma boa situação financeira antes mesmo de ele ingressar na TV, em 1988, quando apresentava o programa “Revistinha”, na TV Cultura. Antes disso, aos 15 anos de idade, buscava oportunidades em produtoras para fazer alguns "bicos" na TV. Na mesma época, saiu de casa e foi morar sozinho.

“Um milhão faz uma diferença absurda na vida do Nico. Porém, não paga o mal estar que eu teria se eu fosse um cara contra a minha ideologia. Eu preciso, antes de qualquer coisa, honrar o meu mundo. Minha felicidade não está no dinheiro. O dinheiro me daria conforto, segurança, tranquilidade. Mas a minha felicidade, isso não tem preço”.

O que também parece não ter preço para Nico é torcer pelos antigos concorrentes de reality, mas longe do confinamento. “Estou gostando muito mais de assistir do lado de fora (risos). Ninguém me proíbe de fumar...”, concluiu Nico, que não tem ainda uma torcida definida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.