Claudia Raia e Mariana Ximenes contracenaram em
Reprodução/Globo - 23.05.2022
Claudia Raia e Mariana Ximenes contracenaram em "A Favorita"


‘Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi”. Os famosos versos de Roberto Carlos podem muito bem definir a trajetória de Mariana Ximenes em “A favorita”, que está de volta à TV no “Vale a pena ver de novo”. Com uma vida permeada pelo drama, a mocinha Lara, interpretada pela atriz, é alvo da disputa entre suas mães biológica, Flora (Patricia Pillar), e adotiva, Donatela (Claudia Raia). Para a artista, de 41 anos, que tinha 26 na época em que a trama estreou originalmente, em 2008, a personagem foi uma das mais marcantes.

+ Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

— São aqueles trabalhos que mudam a vida da gente. Tanto na vida profissional, porque foi um papel superforte, emblemático, dramático, quanto na vida pessoal, por conta dos meus laços afetivos. Reencontrei Murilo Benício (o Dodi de “A favorita”), que ficou meu amigo em “Chocolate com pimenta” (de 2003). Virei amiga da Patricia Pillar e ganhei uma mãe postiça, a Claudia Raia — conta Mariana, citando a “grande família” que a veterana foi construindo em sua trajetória, “adotando” Mariana e outras atrizes como filhas: — Claudia é minha mãe do coração. Minha mãe aceita numa boa!


Na trama, Lara é criada por Donatela após a prisão da mãe biológica, que foi acusada de matar o amante, marido da personagem de Raia. A estudante de Geologia até aparenta ser durona, mas no fundo é delicada. Para mostrar toda a dualidade da jovem, Mariana lembra que se preparou com uma psicanalista.

+ Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

— É uma personagem que precisa de muita análise porque desde pequena já tinha a vida atribulada. Eu fiz muito boxe na época e era muito bom. Levava uma espuma que eu tinha para o Projac e pedia para alguém segurar para eu socar antes de entrar em cena, quando eu tinha uma briga. Fazia suar e estimulava um foco, uma força, uma raiva... Lara tinha muita mágoa. Uma mãe presa que matou o pai, um imbróglio, um monte de mentiras — relembra Mariana, que descobriu junto com o público quem era a mocinha e a vilã da trama, que cativou o telespectador justamente com a dualidade entre Flora e Donatela: — Acho que só Patricia e Claudia sabiam. Foi uma grande surpresa para mim e para os outros atores também.

Além de ser disputada pelas duas mães, o coração de Lara fica balançando entre dois bonitões: Cassiano (Thiago Rodrigues), seu namorado no início da novela, e Halley (Cauã Reymond), que mais para frente na história também mexe com a moça.

— Cassiano era aquele mais romântico, simbolizava o casamento, a família. Com Halley, era aquela coisa quente, temperatura alta. A torcida era bem dividida (risos) — lembra Mariana.

O fato é que Lara, além de marcar a carreira da atriz, cativou o público. Na época, o tipo de corte de cabelo da personagem era uma das informações mais procuradas pelo na Central de Atendimento ao Telespectador (CAT) da Globo. Mariana também viu o mesmo movimento acontecer com a Raíssa de “América” (2005), que entrou recentemente no catálogo do Globoplay e virou até meme nos últimos dias com a cena em que dança funk no quarto:

— Fazemos a novela para o público, queremos que ele goste, mas é sempre uma surpresa. É uma glória quando dá certo, quando as pessoas começam a reproduzir na rua. Com Lara, além do corte de cabelo, o sutiã e a calcinha que apareciam também chamaram atenção. Com Raíssa, até o nome (repercutiu). Na época, tinha uma brincadeira do “Casseta & Planeta”, que até hoje o povo brinca comigo (chamando a personagem de “Ra-íííísssa). Muita gente me falou que botou esse nome na filha e até no bichinho de estimação!

Trabalhos atuais

Após o fim de “Nos tempos do Imperador”, em que viveu Luísa, a Condessa de Barral, amante de Dom Pedro II (Selton Mello), Mariana emendou um outro trabalho. Ela estreou como apresentadora no “Happy hour com Mariana Ximenes”, programa que fez sua primeira temporada no GNT e agora está disponível no Globoplay.

— Adorei estrear como apresentadora, mas dá um nervoso! É uma loucura! Foi muito gratificante, sabe?”, diz a artista, que completa: — Mas também demandou muito porque fui produtora também. Ainda não consegui descansar. Se você me perguntar o que quero fazer amanhã, vou falar que quero tirar férias. Acho que estou precisando (risos)!

Velhos tempos

Mariana conta que quando “A favorita” chegou ao Globoplay, ela chegou a assistir a dois capítulos na casa de sua mãe postiça, Claudia Raia.

— Eu tinha 26 anos! Era nova, mas estava totalmente entregue ali. É muito lindo rever. A lembrança e os afetos ficam quentes, mas os 13 anos (que a separam de Lara) estão ali. O tempo passou, e é isso aí, está tudo certo também. A outa alternativa é péssima — conclui.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários