Datena
Reprodução Band
Datena

José Luiz Datena, apresentador do "Brasil Urgente" , gerou polêmica nesta segunda-feira (10) ao falar sobre as relações entre Brasil e China. O jornalista criticou o fato de o país estar barrando o envio de alguns insumos necessários para a produção da vacina e disse que a nação deveria ter mais responsabilidade, visto que foi supostamente responsável por deixar o novo coronavírus (Sars-coV-2) "escapar" para o mundo. 

"A China deveria ter uma responsabilidade maior sobre liberação de insumos e quebra de batente de vacina, porque o vírus se criou lá e saiu de lá. Então eles devem ter mais responsabilidade. Não tenho nada contra chinês, contra a China, contra a cultura chinesa, não tenho nada com isso, mas esse negócio de ficar segurando vacina, isso é uma sacanagem", disse Datena no "Brasil Urgente".

"É porque o Bolsonaro meteu o pau nos caras? O que o brasileiro tem a ver com isso?", questionou o jornalista. Vale lembrar que Jair Bolsonaro sempre criticou o país oriental, criando mal-estar entre as nações. "A China tem responsabilidade já que deixou escapar o vírus. Devia pensar melhor na questão de quebrar patente, ou, pelo menos, mandar insumo para os outros porque esse vírus escapou de lá", continuou o jornalista .

"Eles demoraram demais pra anunciar e a Organização Mundial de Saúde também dormiu no meio do caminho. Então, principalmente a China não tinha que segurar insumo coisa nenhuma. Se o nosso presidente da República mete o pau, que culpa tem a população brasileira disso?", questionou.

"Isso é uma sacanagem. Até agora eu não ataquei chinês, não ataquei ninguém em relação às vacinas, mas ser contra quebra de patentes e ficar enrolando no envio de insumos pra gente produzir vacina aqui, eles deveriam pensar na responsabilidade, já que o vírus saiu de lá. É o fim do mundo!", pontuou.

As relações entre China e Brasil estão estremecidas após recentemente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) insinuar uma "guerra biológica" citando o país asiático. Esta não é a primeira vez que as relações com os chineses é colocada em cheque. Em novembro de 2020, Eduardo Bolsonaro, filho do chefe de estado, acusou o governo chinês de ter um "comportamento perigoso" na pandemia - o que reverberou negativamente no cenário internacional. Assista ao vídeo. Minutagem: 1h13.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários