Lucas Penteado
Reprodução Globo
Lucas Penteado

Lucas Penteado  desistiu, neste domingo (07), do confinamento do "Big Brother Brasil 21". O ator, que já tinha sido excluído pelo elenco da casa, não aguentou mais pressões e resolveu abdicar de sua vaga na corrida pelo prêmio de R$ 1,5 milhão.

Com a saída de Lucas Penteado do reality show , anônimos e famosos se mobilizaram - criando campanhas coletivas - para auxiliá-lo financeiramente. Entre nomes que colaboraram estão grandes da TV , como Tatá Werneck e Luciano Huck. 

Sabendo que o ex-brother tinha problemas psicológicos e visilmente estava abalado emocionalmente, o Portal iG entrevistou o psicólogo e escritor Alexander Bez para analisar o estado mental de Lucas em sua saída.

  • Em sua visão profissional, qual era estado psicológico de Lucas ao deixar o reality?

"O jovem já era fragilizado emocionalmente, quanto mais emocional o participante for, maior a probabilidade de não se encontrar no jogo. Além das pressões do reality, Lucas enfrentou diversas agressões psicológicas, agressões essas capazes de minar qualquer pensamento positivo. Penteado chegou no seu limite emocional, mas mesmo em um momento de crise, teve auto cuidado e resolveu desistir do programa. Com certeza está se sentindo frustrado, emotivo e ansioso. Passar pelo que ele passou não é fácil para ninguém, as retaliações severas podem causar cicatrizes permanentes".

Você viu?

  • Sabendo que ele foi excluído por colegas de confinamento por seus atos, dá para dizer que a desistência de Lucas era questão de tempo?

"Na minha opinião, sim, sua permanência na casa estava datada. Sua decisão de sair foi a melhor escolha. Lucas chegou no seu limite psicológico, a exposição estava lhe causando inquietação e extrema tristeza. Ele se tornou alvo fácil dos outros participantes, afinal, é fácil remar a favor da maré. Poucos estavam lhe apoiando e dando apoio emocional. Ele é jovem e já possuía alguns traumas, seria muito difícil aguentar viver naquela situação degradante por 3 meses".

  • O problema de Lucas com álcool - o qual ele omitiu da produção - ajudou ele a chegar no ponto de desistir?

"O álcool tem que ser dividido em duas instancias comportamentais. A primeira instancia é a da conduta normal, não há muitas alterações de humor e despersonificação. Já a segunda acarreta a inibição do superego, responsável por reprimir os instintos primitivos com base nos valores morais e culturais. A ingestão de álcool pode sim ter potencializado os problemas do Lucas dentro da casa, pois ele acaba ficando mais suscetível e fragilizado, perdendo sua censura pessoal. Ficando mais exposto a críticas e opiniões dos outros participantes. O álcool também aniquila 'a capacidade reacional', onde a pessoa acaba se desconectando do foco, inclusive abdicando-se de intenções associadas ao desejo de realizar algo, no caso do Lucas , o da premiação. Além, é claro, de toda a fragilidade ocasionada pelas repressões que ele estava vivendo".

  • Alguém com o emocional como o de Lucas Penteado deveria estar em um programa como o "BBB"?

"Não tem como saber como será os outros participantes do reality, Lucas sofreu devido ataques intencionais, repressões e isolamento. Na verdade, o que deve ser discutido é o caráter das outras pessoas, não as fragilidades emocionais de Penteado. Se as outras pessoas fossem mais acolhedoras, amorosas e racionais, talvez o jovem não tivesse desistido. Mas é um ponto muito importante, é preciso muita sabedoria e reflexão antes de embarcar nesse tipo de reality, a pressão é intensa e o julgamento também".

  • Sabendo que Lucas era vigiado 24h00 por dia, dá para falar de negligência por parte da Globo?

"A situação é bastante complexa, afinal ele escolheu estar dentro do reality, mas uma coisa é certa, até onde é legal o entretenimento abusar da saúde emocional? A intervenção poderia sim ajudá-lo em alguns momentos, mas não apagaria todo o dano que já lhe foi causado. O participante estava se sentindo constantemente excluído, mas intervir durante sua vivência estragaria a proposta do programa, onde o grande atrativo são os conflitos da vida real".

  • Fora da casa, o que aconselharia para Lucas retomar o equilíbrio?

"Para estruturar a parte psicológica, é necessário o acompanhamento com especialista. O tratamento irá reestruturar a estima de Lucas, cuidando de todo o trato psicológico e emocional. Com o tempo, Lucas irá compreender que as situações vividas dentro do reality são consequências de preconceitos e repressões causados intencionalmente. Fará parte do tratamento a compreensão de que ele não teve nenhuma culpa, podendo fortalecer sua saúde emocional e dando força para ele ajudar, como figura pública, outras pessoas aqui fora".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários