Ana Maria Braga e Renata Ceribelli
Reprodução Globo
Ana Maria Braga e Renata Ceribelli

Neste domingo (08), quando completou-se uma semana da morte de Tom Veiga, o parceiro de Ana Maria Braga foi lembrado e homenageado por fãs e amigos . Pela manhã, o Padre Antonio Maria celebrou uma missa de 7º dia, transmitida em seu canal no YouTube. Ana e quase duas mil pessoas acompanharam a cerimônia.

Em seu Instagram, o religioso fez o poético convite: “‘Olhai as aves do céu’, disse Jesus. Parafraseando esta palavra do mestre, quero dizer: ‘Olhai a ave no céu, o Louro’. O voo, para eternidade, que nosso querido Tom Veiga alçou, é um convite de Deus a olharmos mais para o céu”. A transmissão foi realizada direto da Casa Sagrada de Nossa Senhora do Novo Caminho e durou aproximadamente uma hora.

À noite, no “Fantástico”, Ana Maria Braga falou à repórter Renata Ceribelli sobre a dor da partida prematura de seu companheiro de trabalho, pai do querido Louro José.

“Eu fiquei arrasada com a notícia, não queria acreditar. Essa é a primeira reação que você tem, a negação. Você fala: isso não está acontecendo, né? Vai ser tudo bem, ele vai chegar em casa aqui amanhã e a gente vai se encontrar. Eu rio e choro ao mesmo tempo. Sabe quando você ainda não caiu na real? Vai ser um novo recomeço, eu acho. Tão difícil quanto”, desabafou a apresentadora, cuja força surpreendeu os telespectadores do “Mais você”.

Questionada se Louro José permaneceria no ar (manipulado por outra pessoa), Ana afirmou que ainda é cedo para responder essa dúvida , que é de muita gente: “Mas obviamente o Tom é inigualável”.

A apresentadora comentou outra turbulência em seu ano pessoal: a descoberta de que o câncer de pulmão havia voltado, na mesma época do seu casamento com o francês Johnny Lucet. “Eu disse pra ele: ‘Eu vou sobreviver.... Você sabe o quanto é importante pra gente a parceria e o amor”.

Tom Veiga sofria por amor

“Eu devia ter botado ele no colo e dado umas palmadas em várias situações. Acho que, de repente, ele pudesse ter se cuidado melhor. Se amado mais. Ele amou muito, muito, muito os outros. Muito. E ele sofria muito. Por amor”.

Após a morte de Tom, com quem viveu por 14 anos e de quem se separou em 2018, Alessandra Veiga revelou que os dois haviam reatado o relacionamento e que ele planejava ir morar com ela e os dois filhos nos Estados Unidos , ano que vem. Em janeiro deste ano, ele se casou com Cybelle Hermínio Costa, mas a união só durou oito meses.

Ana afirmou que ela e o amigo nunca tinham conversado sobre morte. “Estive pensando nisso, inclusive. Eu nunca conversei sobre o Tom a respeito de por exemplo: ah, se a gente, um de nós morrer? Ou o que você acha de ser enterrado assim? Eu penso em morrer com mais frequência porque me dão uns sustos, né? Agora, ele não. Moleque jovem, moleque que a bem da verdade não cuidava da saúde como deveria. Todos os amigos falavam pra ele: ‘Olha, precisa dormir mais’. ‘Olha, precisa fazer isso menos’. ‘Olha, precisa ir no médico ver essa dor na coluna’. Mas era uma coisa impensável, né? Impensável.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários