Tamanho do texto

Elas estão muito longe do exemplo de boa mãe e só se importam com o que as favorece, deixando os filhos completamente de lado e sem nenhum afeto

"Amor de Mãe" já está chegando e a gente sabe que esse amor é fundamental para qualquer um, e que ganhar o carinho de uma mãe é uma das melhores coisas do mundo. E, mesmo que a relação com elas não seja a mais incrível, só de tê-las por perto já nos deixa mais feliz. Bom, mas nas novelas nem sempre é assim. 

Leia também: Qual humilhação de "A Dona do Pedaço" você merece? Faça o teste e descubra

Nazaré (Renata Sorrah) arrow-options
TV Globo
Nazaré (Renata Sorrah)


Em "Amor de Mãe", a nova novela da Globo , por exemplo, a relação das mães protagonistas Lurdes (Regina Casé),  Thelma (Adriana Esteves) e Vitória (Taís Araújo), com seus filhos nem sempre será um mar de rosas, mas que já se sabe é que amor nunca vai faltar.

No entanto, existem algumas relações entre mãe e filhos que não são tão amorosas assim. Na verdade, o amor é quase nulo. E, já que estamos falando de mamães relapsas, separamos as oito matriarcas mais detestáveis das novelas, que não são tão amorosas assim.

1. Eva, "A Vida da Gente"

Eva (Ana Beatriz Nogueira) e Ana (Fernanda Vasconcellos) arrow-options
TV Globo
Eva (Ana Beatriz Nogueira) e Ana (Fernanda Vasconcellos)


Autoritária e extremamente dependente da filha, Ana (FernandaVasconcellos), Eva (Ana Beatriz Nogueira) não esconde a preferência pela jovem, deixando de lado Manuela (Marjorie Estiano), sua outra herdeira. A tensão entre elas fica mais intensa quando Ana engravida e decide ter o filho.

E aí, depois que a criança nasce, a relação delas, que já era ruim, fica pior quando as irmãs sofrem um sério acidente com o bebê, o que faz com que a favorita de Eva fique em coma durante anos. O inferno recomeça quando a mãe acusa Manu de ter causado a tragédia.

2. Flora, "A Favorita"

Flora (Patrícia Pillar), Donatela (Claudia Raia) e Lara (Mariana Ximenes) arrow-options
TV Globo/Renato Rocha Miranda
Flora (Patrícia Pillar), Donatela (Claudia Raia) e Lara (Mariana Ximenes)


Se você quer uma mãe capaz de tudo para ter dinheiro, Flora (Patrícia Pillar) é a escolha certa. Em "A Favorita", exibida em 2008, a mãe de Lara (Mariana Ximenes) foi capaz de matar o próprio amante, marido de sua melhor amiga Donatela (Claudia Raia) e pai de sua filha, e ainda incriminá-la. Depois de sair da cadeia, Flora tentou se reaproximar da filha, criada pela rival, já que a moça era a grande herdeira da fortuna do pai.

3. Bárbara, "Da Cor do Pecado"

Bárbara (Giovanna Antonelli) e Otávio (Felipe Latgé) arrow-options
TV Globo
Bárbara (Giovanna Antonelli) e Otávio (Felipe Latgé)


Quem assistiu "Da Cor do Pecado", em 2004, sabe que Bárbara (Giovanna Antonelli) só engravidou de Paco (Reynaldo Gianecchini) para conseguir o dinheiro do rapaz. Depois de Otávio (Felipe Latgé) nascer, a vilã da novela não dava a mínima para o garoto e só o tratava mal. No decorrer da trama, o público ainda descobriu que o menino era filho de outro homem, e não do herdeiro das empresas Lambertini.

Leia também: Por quais razões Vivi Guedes, de "A Dona do Pedaço", se tornou tão chata?

4. Marta, "Páginas da Vida"

Marta (Lília Cabral) e Nanda (Fernanda Vasconcellos) arrow-options
TV Globo
Marta (Lília Cabral) e Nanda (Fernanda Vasconcellos)


Em 2006, Lília Cabral interpretou Marta, mãe de Nanda (Fernanda Vasconcellos), e se tornou uma das matriarcas mais odiadas das novelas. Na trama de Manoel Carlos, Marta descobre que a filha voltou para o Brasil porque engravidou e a expulsa de casa. Depois, ela fica sabendo que a filha morreu no parto, mas deu à luz os gêmeos Clara e Francisco. A menina, que nasceu com Síndrome de Down, foi rejeitada pela avó materna.

5. Branca, "Por Amor"

Branca (Susana Vieira) arrow-options
Reprodução/TV Globo
Branca (Susana Vieira)


Uma das vilãs mais odiadas da televisão brasileira, Branca Letícia de Barros Motta (Susana Vieira), foi uma péssima matriarca. Mãe de Marcelo (Fabio Assunção), Milena (Carolina Ferraz) e Leonardo (Murilo Benício), Branca idolatrava seu filho mais velho e desprezava completamente os outros dois, sempre humilhando Milena e Léo.

6. Jezebel, "Chocolate com Pimenta"

Jezebel (Elizabeth Savalla) e Bernadete (Kayky Brito) arrow-options
TV Globo
Jezebel (Elizabeth Savalla) e Bernadete (Kayky Brito)


Em "Chocolate com Pimenta", a relapsa Jezebel (Elizabeth Savalla) praticamente abandonou a filha, Bernadete (Kayky Brito), que foi criada pelos empregados da casa. Tão abandonada que Jezebel só descobriu que Bernadete, na verdade, era um menino, quase na reta final da novela global.

Leia também: Humilhados foram exaltados? Confira as 10 humilhações de "A Dona do Pedaço"

7. Beatriz, "Celebridade"

Beatriz (Deborah Evelyn) arrow-options
TV Globo
Beatriz (Deborah Evelyn)


Sofrer com a morte de um irmão já é difícil, mas imagina ser acusado da morte dele injustamente, ainda mais pela sua própria mãe. Beatriz (Deborah Evelyn) só tinha olhos para o filho mais velho, Fábio (Bruno Ferrari), que morreu em um acidente. Então, ela passa a desprezar e a culpar Inácio (Bruno Gagliasso), o filho mais novo, pela morte do primogênito.

8. Carminha, "Avenida Brasil"

Carminha (Adriana Esteves) arrow-options
Divulgação/TV Globo
Carminha (Adriana Esteves)


Mãe de dois filhos, a icônica Carminha (Adriana Esteves), de "Avenida Brasil", idolatrava o primogênito, Jorginho (Cauã Reymond), e maltratava completamente a caçula Agata (Karol Lannes). A megera pegava no pé da menina principalmente quando o assunto era a aparência física dela.

Leia também: Oito coisas que não fazem sentido na trama de "A Dona do Pedaço"

Menção honrosa: Nazaré, "Senhora do Destino"

Nazaré (Renata Sorrah) arrow-options
TV Globo
Nazaré (Renata Sorrah)

Não tem como falar de mães icônicas , boas ou más, sem falar de Nazaré Tedesco (Renata Sorrah). A vilã de "Senhora do Destino" roubou Lindalva/Isabel (Carolina Dieckmann) de Maria do Carmo (Susana Vieira) e criou a menina como se fosse filha dela. Não dá pra dizer que a loira não foi uma boa mãe para a jovem, mas só o fato de ter sequestrado uma criança já a caracteriza como um péssimo exemplo maternal.