Tamanho do texto

Na web, ex-deputado federal comentou sobre o posicionamento do jornalista em relação ao crime que chocou o País nos últimos dias

O clima esquentou entre Luis Ernesto Lacombe e Silvia Poppovic durante o "Aqui na Band", na última segunda-feira (23). A apresentadora do programa da Band comentava sobre a morte da menina Ágatha Felix, de 8 anos, vítima de uma bala de fuzil, e sobre os desdobramentos do caso. No Twitter, Jean Wyllys criticou o jornalista.

Leia também: Lacombe revela que “não pediu cabeça” de José de Abreu

Lacombe e Silvia Poppovic arrow-options
Reprodução/Twitter
Lacombe e Silvia Poppovic


"Terrível essa história. Terrível essa política de segurança que não pensa em resguardar a vida da população e sai atirando assim. É isso o que acontece, é triste mesmo. É lamentável", disse Silvia. No entanto, o assunto se tornou (ainda mais) polêmico quando Luis Ernesto Lacombe discordou da colega.

"Eu acho ainda um pouco precipitado dizer o que aconteceu, ainda será feito uma perícia. Eu vejo as pessoas se voltando contra o trabalho da polícia (...) Os traficantes estão nessas comunidades exatamente porque ali eles estão protegidos por pessoas inocentes. Então, é muito complicado acusar sempre a polícia", declarou ele.

Leia também: Segue flopando! “Aqui na Band” não emplaca e é mais um fracasso da emissora


Visivelmente incomodada com o comentário de Lacombe, Silvia rebateu: "Eu não estou acusando a polícia do Rio de Janeiro, estou acusando a política de segurança pública do estado, que permite a polícia a atirar na cabecinha, como disse o Governador. Quando existe uma política agressiva, de matar quem está na frente, acontece esse tipo de desgraça”, afirmou.

Logo depois, o apresentador interrompeu a jornalista. “A gente não sabe realmente se foi a polícia. A gente sabe que os traficantes se protegem. Como acontece na Palestina. Os palestinos se protegem colocando na linha de frente mulheres e crianças”, disse. 

O bate-boca fica mais intenso quando Silvia pergunta ao colega se ele acha que foi isso o que realmente aconteceu. Então, ele afirma que prefere esperar a conclusão do caso e ainda defende a política do Governador Wilson Witzel. "Os índices de violência no Rio tem caído com a atuação mais eficaz da Polícia”, disse.

Leia também: José de Abreu rebate Lacombe após apresentador pedir sua demissão ao vivo

Além disso, Lacombe ainda fez um outro comentário, polêmico, sobre a ativista Greta Thunberg. A repórter Marina Machado ficou visivelmente chocada ao ouvir o colega falar do discurso da jovem na Cúpula das Nações Unidas para o Clima.

"Eu não compro essa menina, me desculpa. Acho que essa menina tem um discurso alarmista com frases de efeito. Eu acho que a gente tem que ter um debate pesado sobre o clima e de quanto o homem influencia na mudança climática", afirmou.


Depois disso, Jean Wyllys usou o Twitter para comentar o caso. O ex-deputado federal criticou o posicionamento do jornalista.


"O abismo em que o Brasil se encontra - do qual a morte da garotinha Ágatha é a expressão mais dolorosa - em parte foi cavado pela mediocridade intelectual e pelos preconceitos de jornalistas como Luis Ernesto Lacombe . Ainda bem que há uma Sílvia Poppovic para contrapor!", declarou.