Tamanho do texto

Noticiário está prestes a completar 50 anos de existência e o iG Gente elaborou uma lista de apresentadores pouco lembrados pelo público

No próximo domingo (01) o principal noticiário da  Globo , o "Jornal Nacional", completa 50 anos. Em meio século de existência, o folhetim atravessou uma ditadura militar, substituições no elenco e dividiu opiniões em coberturas políticas. 

Leia também: Ao vivo, Globo falha e internautas veem truque no "Jornal Nacional"

Jornalistas que já passaram pela bancada do arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Jornalistas que já passaram pela bancada do "Jornal Nacional" e você não se lembra

Independente disto, o " Jornal Nacional " continua sendo uma das maiores referências de jornalismo televisivo do século XXI. De 1969, seu ano de estreia, até 2019 muitos jornalistas passaram pela bancada. Porém, alguns não são tão lembrados quanto outros. 

Leia também: Renata Vasconcellos e Boccardi são citados em documentos do Bradesco, diz jornal

Com intenção de celebrar os 50 anos do jornal, o iG Gente elaborou uma lista de 10 apresentadores que passaram pelo "JN" e ninguém se lembra.

Celso Freitas

Celso Freitas arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Celso Freitas

Em 1983, Sérgio Chapelin deixou a bancada do "JN" para migrar para o  SBT . Então Celso Freitas foi convidado a se juntar a Cid Moreira no telejornal. O jornalista permaneceu no posto até 1989, ano em que Chapelin retornou à emissora. À época, ele foi remanejado para o "Fantástico" e para o "Globo Repórter". 

Atualmente Celso Freitas apresenta o principal noticiário da Record TV , o "Jornal da Record". Além disso, ele comanda o semanal "Repórter Ação".

Marcos Hummel

Marcos Hummel arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Marcos Hummel

Marcos trabalhou durante 21 anos na Globo , em sua passagem pela emissora ele apresentou diversos programas, incluindo o "JN" durante o ano de 1984. Em 2008 ele assumiu o comando do "Câmera Record", na Record TV , onde permanece até hoje. 

Márcia Mendes

Márcia Mendes arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Márcia Mendes

Ex-esposa do ator Marcos Paulo, Márcia Mendes foi a primeira apresentadora eventual do sexo feminino do "JN". Em sua estreia na bancada, estava ao seu lado o jornalista Marcos Hummel. A jornalista e atriz morreu aos 34 anos devido a um grave quadro de leucemia. 

Valéria Monteiro

Valéria Monteiro arrow-options
Divulgação/TV Globo
Valéria Monteiro

Em 1992 Valéria Monteiro tornou-se a primeira mulher a apresentar titularmente o "JN". Em 1993 ela voltou ao "Fantástico". Em janeiro de 1994 foi capa da revista Playboy . Em 1995 foi apresentadora do "GNT Fashion".

Em 2017 ela lançou pré-candidatura à presidência da república. Em 2018 ela anunciou filiação ao Partido da Mobilização Nacional. No mesmo ano, a presidência do partido informou que não lançaria nenhum candidato e nem faria alianças por causa da impopularidade de Valéria. 

Berto Filho

Berto Filho arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Berto Filho

O comunicador trabalhou na emissora da Família Marinho entre os anos de 1970 e 1980. Neste período apresentou uma série de telejornais, incluindo o "JN". Ele permaneceu como titular na bancada de 1980 até 1986, quando desligou-se da transmissora.

Berto Filho morreu em 2016, em decorrência de câncer na garganta que se espalhou pelo cérebro. Ele Foi sepultado no Cemitério do Caju, no Rio de Janeiro.

Lillian Witte Fibe

Lillian Witte Fibe arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Lillian Witte Fibe

Com a reformulação do jornalismo da emissora em 1996 - comandada por Evandro Carlos de Andrade - Lillian Witte Fibe assumiu a apresentação do "JN" ao lado de William Bonner. Em 1998 deixou a bancada e passou para o "Jornal da Globo", onde permaneceu até os anos 2000.

Em 2017, Lilian tornou-se colunista da  Veja , onde assinava um blog, fazia transmissões ao vivo nas redes sociais e participava de programas da "TVEJA".

Hilton Gomes

Hilton Gomes arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Hilton Gomes

Em 1969 Hilton tornou-se, ao lado de Cid Moreira, o primeiro apresentador do "JN". Ele permaneceu no posto até 1972. O jornalista morreu em 1999, aos 75 anos de idade.

Ronaldo Rosas

Ronaldo Rosas arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Ronaldo Rosas

Ronaldo foi apresentador do "JN" em 1971. À época, ele substituía Hilton Gomes na bancada. Ele permaneceu no posto até o fim do mesmo ano, quando Sérgio Chapelin arcou com a vaga. Atualmente, apesar de não trabalhar na televisão, ele ainda exerce sua função jornalística.

Heron Domingues

Heron Domingues arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Heron Domingues

O jornalista foi apresentador eventual do telejornal em 1970. Domingues morreu em 1974, vítima de um infarto fulminante enquanto dormia. 

Mônica Waldvogel

Mônica Waldvogel arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Mônica Waldvogel

Em 1996, Mônica foi convidada para assumir o "Jornal da Globo" como editora-chefe e âncora. Paralelamente também passou a apresentar o "JN" até 1999. Em 10 de março de 1997, com a transferência de Fátima Bernardes para o telejornal, Mônica assumiu a bancada do "Jornal Hoje" até fevereiro de 1998.

Atualmente, Mônica Waldvogel dois programas na GloboNews , são eles: "Entre Aspas" e "Conta Corrente". A jornalista também atua como comentarista no "Em Pauta".

Renato Machado

Renato Machado arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Renato Machado

O jornalista foi apresentador eventual do "JN" entre 1996 e 2011. Atualmente ele atua como correspondente especial do "Globo Repórter".

Fernando Vannucci

Fernando Vanutti arrow-options
Divulgação / Rede Globo
Fernando Vanutti

Leia também: "Jornal Nacional" cita perfil fake no ar e pede desculpas por erro

Para finalizar a lista que começou com Celso Freitas está Fernando Vanucci. O jornalista apresentou o " Jornal Nacional " eventualmente entre 1983 a 1989. Em agosto de 2014, passou a fazer parte da equipe da Rede Brasil de Televisão , onde é editor de esportes.