Tamanho do texto

Gérson de Souza permanecerá afastado da emissora até o dia 10 de julho

Gérson de Souza
Reprodução/Record
Repórter da Record, Gérson de Souza foi afastado após acusações de assédio

A Record afastou, nesta sexta-feira (24), o repórter Gérson de Souza, do programa 'Domingo Espetacular', após ter sido denunciado por 12 mulheres de assédio sexual. Ele permanecerá afastado até o dia 10 de julho, quando entra de férias. A emissora só tomará novas decisões depois que o inquérito policial terminar.

Leia também: Repórter da Record é acusado de assédio sexual por 12 mulheres

Na última quinta-feira (23), por orientação da própria Record ,  duas jornalistas da casa  foram à Polícia Civil de São Paulo para denunciar o repórter. Hoje, mais dez funcionárias da Record foram a delegacia para denunciá-lo também. Elas contaram que Gérson tentava roubar beijos, falava palavras obscenas. Algumas disseram que foram apalpadas por ele.

O repórter , por sua vez, nega as acusações e afirma que são “revanchismo” de uma das mulheres. “Não houve nada, não assediei ninguém”, se defendeu Gérson.

Leia também: Relembre casos de assédio sexual que ganharam mídia

O Notícias da TV ouviu uma das mulheres que acusa Gérson de Souza de assédio e ela contou que no último dia 8 estava sentada em sua mesa, quando foi surpreendida. “Ele chegou por trás e me beijou na boca. Ficou mostrando a língua e saiu dizendo que roubado era mais gostoso. Foi nojento”, afirmou.

A jornalista ainda afirma que essa abordagem inconveniente não é de hoje, mas diz que tomou a decisão de denuncia-lo apenas agora porque o repórter passou a difamá-la. “Ele começou a gritar na redação que eu era incompetente, que meu trabalho é uma bosta”, disse.

Leia também: Repórter que acusou Datena de assédio sexual comparilha novo diagnóstico 

Ainda segundo o Notícias da TV, Gérson de Souza diz que é de uma época em que se brincava com as mulheres, mas volta a negar que tenha assediado alguém. “Isso é um grande mal-entendido”.